Sal líquido via oral mostrou-se eficaz para retardar o ganho de peso!

Um novo estudo do Instituto Wyss de Harvard para Engenharia Biologicamente Inspirada e da Escola John A. Paulson de Engenharia e Ciências Aplicadas (SEAS) descobriu que um sal líquido administrado por via oral chamado colina e geranato (CAGE) pode reduzir fisicamente a absorção de gorduras de alimentos sem efeitos colaterais perceptíveis em camundongos e retardar o ganho de peso corporal total em cerca de 12%.

A obesidade, que afeta mais de um terço dos adultos no mundo, é mais do que apenas um desconfortável excesso de peso – é um fator determinante de várias doenças frequentemente fatais, como pressão alta, diabetes, asma, acidente vascular cerebral e falha de saúde congestiva.

Sal líquido para retardar o ganho de peso?

Enquanto a genética desempenha um papel, comer alimentos ricos em carboidratos e gorduras é uma das principais causas dessa epidemia, e embora médicos e nutricionistas recomendem uma dieta saudável e equilibrada como estratégia de prevenção, muitas pessoas simplesmente não têm acesso acessível a alimentos saudáveis.

Vários medicamentos para perda de peso que reduzem o peso em cerca de 10% foram aprovados nas últimas décadas, mas apresentam efeitos colaterais significativos, incluindo dores de cabeça, diarréia, lesões graves no fígado, defeitos congênitos, apnéia do sono, pancreatite e suicídio.

“Uma redução de 12% no peso corporal é como levar um ser humano de 100 quilos a 88, o que é uma mudança significativa. Nosso objetivo é traduzir esse trabalho em um produto que possa ajudar as pessoas a manter um peso mais saudável, e este estudo marca o início dessa jornada”, disse o autor do estudo o Dr Md Nurunnabi, professor de ciências farmacêuticas na Universidade do Texas em El Paso.

Transformando um bug em um recurso

O CAGE, que é um sal em seu estado líquido, foi criado há alguns anos como parte de um esforço para melhorar a absorção de medicamentos pelo organismo. No entanto, em seu estudo das propriedades do CAGE, os pesquisadores descobriram que havia uma molécula que não era absorvida pelo líquido: uma pequena molécula hidrofóbica. A equipe de Mitragotri teve um pressentimento de que o CAGE estava de alguma forma vinculado a essa molécula e impedindo que ela fosse absorvida.

“Essa observação nos levou a pensar se havia algum contexto em que gostaríamos de impedir a absorção desse tipo de molécula. Percebemos que as gorduras são pequenas e hidrofóbicas, e que o CAGE poderia ser de interesse como tratamento médico para a obesidade”, disse Mitragotri, um dos autores do estudo.

Os pesquisadores começaram a avaliar as interações do CAGE com as gorduras, misturando o líquido com uma gordura ômega-3 chamada DHA e água. Eles viram que o DHA formava grandes partículas com cerca de 3-4 mícrons de comprimento, aproximadamente do tamanho do núcleo de uma célula. As moléculas de DHA misturadas apenas com água formaram partículas muito menores na faixa de 50 a 400 nanômetros, sugerindo que há alguma interação entre as moléculas CAGE e DHA que as faz se agregarem em partículas maiores.

A equipe então adicionou a mistura DHA-CAGE aos intestinos de camundongos saudáveis. Comparada aos intestinos que foram injetados apenas com DHA, a inclusão de CAGE reduziu significativamente a permeação de DHA no tecido intestinal ao longo de seis horas.

Ajudando camundongos a resistir à obesidade

Para avaliar o desempenho do CAGE em organismos vivos, os pesquisadores prepararam cápsulas com uma mistura de DHA e CAGE e as administraram por via oral aos camundongos. Após seis horas, a quantidade de DHA absorvida no sangue pela mistura era cerca de metade da quantidade absorvida quando receberam DHA isoladamente.

Estudos de bio-distribuição mostraram que a administração de CAGE juntamente com o DHA aumentou em duas vezes a concentração nos estômagos e intestinos dos camundongos e reduziu sua presença no fígado, sugerindo que o CAGE impede o DHA de sair do trato gastrointestinal.

Eles então estudaram o efeito do CAGE na absorção de gordura em camundongos que foram alimentados com uma dieta rica em gordura, que possui 20% mais gordura do que uma dieta normal, por 30 dias. Uma dose diária de 10 microlitros de CAGE fez com que os camundongos ganhassem 12% menos peso do que os que receberam uma dose de 5 microlitros ou nenhum CAGE.

Sal líquido mostrou-se eficaz para retardar o ganho de pesoOs camundongos não tratados geralmente ingeriam cerca de 10 gramas de comida todos os dias, enquanto a coorte de alta dose do CAGE comia cerca de 8 gramas de alimento, sugerindo que o CAGE também pode afetar as enzimas que regulam a digestão e / ou aumentar a sensação de saciedade após a ingestão.

É importante ressaltar que, durante o período de 30 dias, não foram observados efeitos colaterais nos camundongos tratados com CAGE, e não houve sinais de inflamação ou diferenças na estrutura ou função dos órgãos dos animais. Também não havia vestígios dos componentes do CAGE no corpo após o tratamento.

“Esta é a primeira prova de conceito de que líquidos iônicos administrados por via oral podem ajudar a reduzir a captação de gordura e a retardar o ganho de peso, e essa abordagem tem um potencial clínico significativo, pois é simples, rápido e muito menos invasivo que a lipoaspiração ou cirurgia bariátrica e, porque seu mecanismo de ação é físico e não químico, carece dos efeitos colaterais observados com outras drogas”, disse Mitragotri.

Agora, a equipe está buscando respostas para as perguntas mais mecanicistas sobre o CAGE, incluindo exatamente como o CAGE se liga às gorduras, quanto tempo duram seus efeitos, quais são suas possíveis interações com a via de sinalização da leptina associada à obesidade e para onde vai a gordura não absorvida.

 

_____________________

A pesquisa foi publicada com seus resultado no renomado jornal científico PNAS.

* “Oral ionic liquid for the treatment of diet-induced obesity” – 2019.

Md Nurunnabi , Kelly N. Ibsen , Eden EL Tanner e Samir Mitragotri – 10.1073/pnas.1914426116

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.