Bebidas energéticas podem provocar alterações e danos a pressão arterial

Segundo um estudo publicado no Journal of the American Heart Association. Beber em torno de 800 ml a 1 lt de bebida energética em um curto período de tempo, pode aumentar a pressão arterial e o risco de distúrbios elétricos no coração, que afetam o ritmo cardíaco.

 Energéticos x pressão arterial

O estudo envolveu 34 voluntários saudáveis ​​entre as idades de 18 e 40 anos. Os participantes foram aleatoriamente designados para beber cerca de 800 ml a 1 litro de uma das duas bebidas energéticas cafeinadas comercialmente disponíveis ou uma bebida placebo em três dias separados. As bebidas foram consumidas dentro de um período de 60 minutos, mas não mais rápido do que uma lata de 350 ml em 30 minutos.

Os pesquisadores mediram a atividade elétrica dos corações dos voluntários pelo eletrocardiograma, que registra a maneira como o coração está batendo. Eles também registraram a pressão sanguínea do participante. Todas as medidas foram tomadas no início do estudo e a cada 30 minutos por 4 horas após o consumo da bebida.

Ambas as bebidas energéticas testadas continham 304 a 320 miligramas de cafeína por 400 ml fluidas. Não se espera que a cafeína em doses abaixo de 400 miligramas induza quaisquer alterações eletrocardiográficas. Outros ingredientes comuns nas bebidas energéticas do estudo incluíram taurina (um aminoácido), glucuronolactona (encontrada em plantas e tecidos conjuntivos) e vitaminas do complexo B. A bebida placebo continha água gaseificada, suco de limão e aroma de cereja.

Nos participantes que consumiram qualquer tipo de bebida energética, os pesquisadores descobriram que o intervalo QT foi 6 milissegundos ou 7,7 milissegundos maior em 4 horas em comparação com os bebedores de placebo. O intervalo QT é uma medida do tempo que leva os ventrículos do coração (as câmaras inferiores) para se preparar para gerar uma batida novamente. Se este intervalo de tempo for muito curto ou muito longo, pode fazer com que o coração bata de maneira anormal. A arritmia resultante pode ser fatal.

Os resultados do estudo confirmam achados anteriores e sugerem que as mudanças no intervalo QT são geralmente sustentadas durante o período de monitoramento de quatro horas, em vez de um efeito de curta duração após o consumo de 800 ml a 1 litro de uma bebida energética.

Os pesquisadores também encontraram um aumento estatisticamente significante de 4 a 5 mmHg na pressão arterial sistólica e diastólica nos participantes que consumiram as bebidas energéticas.

Pressão arterial e as bebidas energéticas

O estudo é o maior estudo controlado dos efeitos de bebidas energéticas no coração e na pressão sanguínea em jovens voluntários saudáveis. Estimativas indicam que cerca de 30% dos adolescentes entre 12 e 17 anos de idade nos Estados Unidos e 8% no mundo, consomem regularmente bebidas energéticas, o que tem sido associado ao aumento das visitas ao pronto-socorro e à morte.

4Medic

4Medic

4Medic é uma empresa especializada em gestão de clinicas e consultórios médico. Que fornece diariamente notícias sobre a área de saúde em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *