Descoberto novo método capaz de detectar o câncer em estágio inicial!

Uma equipe de pesquisadores liderada pela professora Jenny Yang, da Universidade estadual da Georgia descobriram um novo método capaz de detectar o câncer em estágio inicial usando um agente de contraste de ressonância magnética que se liga a proteínas.

Detectar o câncer em estágio inicial

Em seu estudo, Yang e seus colegas da Universidade estadual da Georgia e da Universidade Emory, também na Georgia, descrevem um biomarcador recém-identificado para a detecção de metástases hepáticas. Com testes atuais como biópsias, o câncer no fígado é frequentemente detectado em estágios avançados, o que pode limitar as opções de tratamento e reduzir as taxas gerais de sobrevivência. A descoberta pode ter impactos abrangentes, incluindo diagnóstico e tratamento de precisão mais eficazes e menos riscos para os pacientes.

“Isso é um divisor de águas. Tem a possibilidade de ter muito mais aplicações, realmente para qualquer tipo de câncer. Nós já o estamos aplicando a 10 tipos diferentes de câncer no laboratório”, disse Yang.

Os pesquisadores, cujo trabalho é financiado pelo Instituto Nacional do Câncer, desenvolveram um agente que pode atingir certos receptores – nesse caso, o receptor de quimiocina 4 (CXCR4). O receptor é superexpresso em órgãos comuns de metástase, como o fígado, entre pessoas que têm câncer.

Espera-se que o agente de contraste de ressonância magnética à base de proteínas direcionado ao CXCR4 supere as principais barreiras no diagnóstico precoce, mostrando até pequenos casos de células cancerígenas em varreduras multicoloridas chamadas precisão MRI (pMRI), uma nova metodologia de imagem.

O uso da RM

Usando a tecnologia de ressonância magnética (RM), os agentes de contraste carregam o elemento gadolínio para aprimorar as imagens. Durante seu trabalho anterior de análise de cálcio, Yang decidiu testar como um metal, como o gadolínio, interagia com a proteína. A proteína envolve o elemento e o leva ao local para geração de imagens. A equipe de Yang descobriu que o design de proteínas é muito mais eficaz no direcionamento dos sinais da doença.

“Atualmente, é difícil ver estágios iniciais da doença no fígado, mesmo na biópsia invasiva. Os testes de diagnóstico usando esse agente de contraste podem não apenas identificar a presença da doença, mas também diferenciar os estágios da doença com alta sensibilidade e precisão. Essa é a beleza deste trabalho”, disse Yang.

As descobertas são tão promissoras que o agente alvo de contraste de proteínas está sendo acelerado pela Agência de Medicamentos e Alimentos dos EUA (FDA) no primeiro passo em direção a ensaios clínicos para avaliar sua eficácia em humanos.

“Já nos encontramos com a FDA, então temos um plano. Esperamos que dentro de 18 meses a dois anos possamos realizar nossos primeiros ensaios clínicos em patentes”, disse Yang.

Yang, que também detém 17 patentes nos EUA e 18 estrangeiras em engenharia de proteínas. Recentemente, ela se tornou a primeira professora da universidade a receber uma bolsa da Academia Nacional de Inventores. Sua empresa iniciante InLighta Biosciences tem sido um canal essencial para permitir que ela concorra a importantes financiamentos e traga novas descobertas ao mercado.

Novo método capaz de detectar o câncer em estágio inicialA pesquisa se baseia em um estudo de 2019 publicado na revista Nature Communications, no qual a equipe de Yang identificou a primeira detecção precoce de fibrose hepática usando um agente de contraste de proteínas direcionado ao colágeno. Combinados, esses estudos representam o trabalho de mais de uma dúzia de cientistas de universidades dos EUA e suas descobertas podem ajudar a transformar uma indústria de US $ 300 milhões que viu poucos avanços nas últimas décadas.

“Temos usado os mesmos agentes de contraste há 30 anos, com poucas descobertas. Acho que esta é minha maior contribuição científica. E espero que ainda haja muito por vir”, concluiu Yang.

 

_________________________

O estudo completo foi publicado na conceituada revista Science Advances.

* “Chemokine receptor 4 targeted protein MRI contrast agent for early detection of liver metastases” – 2020.

Autores do estudo: Shanshan Tan, Hua Yang, Shenghui Xue, Jingjuan Qiao, Mani Salarian, Khan Hekmatyar, Yuguang Meng, Rao Mukkavilli, Fan Pu, Oluwatosin Y. Odubade, Wayne Harris, Yan Hai, Melinda L. Yushak, Vanessa M. Morales-Tirado,*, Pardeep Mittal, Phillip Z. Sun, David Lawson, Hans E. Grossniklaus e Jenny J. Yang – 10.1126/sciadv.aav7504

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.