Instituto na Califórnia publica detalhes do genoma do coronavírus!

O Instituto de Genômica da UC Santa Cruz, na Califórnia, EUA, publicou hoje o código biomolecular completo do vírus – genoma do coronavírus – para uso em pesquisadores de todo o mundo.

“Quando exibimos dados de coronavírus, permitimos que os pesquisadores examinem a estrutura do vírus e, mais importante, trabalhem com ele para que possam pesquisar como querem atacá-lo”, disse Hiram Clawson, engenheiro do Instituto Genômica.

Detalhes do genoma do coronavírus

Amostras do vírus foram processadas em laboratórios em todo o mundo, e as informações brutas sobre seu código genético foram enviadas ao repositório mundial de informações genômicas no Centro Nacional de Bioinformática (NCBI) do National Institutes of Health em Bethesda, Maryland.

“O NCBI é um repositório mundial estabelecido nos primeiros dias da genômica. Quando as pessoas encontram novos vírus, eles os enviam para o NCBI, e o NCBI atribui um nome e número para que todos possam se referir a uma amostra exata. Depois que processam as informações genômicas, elas são disponibilizadas ao mundo pelo banco de dados”, disse Clawson.

A partir daí, o Navegador Genome processa as informações em uma exibição visual do vírus. O NCBI nomeou o vírus da pneumonia de Wuhan como “2019-nCoV”, que significa novo coronavírus descoberto em 2019.

O Instituto recuperou a informação, consistindo em 29.903 nucleotídeos – os pares de bases que compõem as moléculas de DNA e RNA que codificam toda a vida na Terra.

“Quando obtemos esses dados do NCBI, é um único arquivo com as letras do DNA ou RNA (A, C, G e T). Este é um RNA de fita simples, uma estrutura relativamente simples”, disse Clawson.

Essas informações são processadas e colocadas em um banco de dados, onde o Navegador Genome pode acessar o material e exibi-lo em um navegador da Web em um formato muito mais útil.

Os pesquisadores podem ampliar e reduzir o genoma. Isso permite que eles vejam pares de bases no nível mais detalhado. Ou, eles aumentam o zoom e veem os 10 genes individuais que compõem os 29.903 pares de bases.

Instituto publica detalhes do genoma do coronavírusO navegador também contém uma faixa CRISPR, que permite que os pesquisadores vejam onde podem unir material genético e como podem cortá-lo. Com o CRISPR, os pesquisadores podem editar o material genético, uma ferramenta tremendamente valiosa para determinar quais genes fazem o quê.

O Navegador também permite anotações, para que pesquisadores de todo o mundo possam colaborar e compartilhar informações experimentais.

Para visualizar o genoma do coronavírus diretamente no Navegador Genome, visite:

genome.ucsc.edu/cgi-bin/hgTracks?db=wuhCor1

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.