Stenotrophomonas maltophilia: propagação de patógeno multirresistente preocupa cientistas!

Um consórcio internacional encontrou uma notável disseminação global de cepas de uma bactéria multirresistente que pode causar infecções graves – a Stenotrophomonas maltophilia. O estudo, publicado sob a supervisão do Centro de Pesquisa Borstel Leibniz Lung Center (FZB), fornece pela primeira vez uma compreensão sistemática da filogenia global de cepas de S. maltophilia e mostra maneiras de monitorar com eficiência o patógeno usando um sistema de classificação genômica. Cientistas da DZIF de Lübeck, Borstel e Braunschweig estão envolvidos no estudo.

A propagação da Stenotrophomonas maltophilia

As cepas da Stenotrophomonas maltophilia ocorrem em vários ecossistemas naturais e humanos associados. A bactéria era considerada relativamente pouco problemática, mas agora é considerada um dos patógenos hospitalares mais temidos, pois frequentemente causa infecções e é resistente a vários antibióticos. Isso pode ser particularmente perigoso para pacientes com comprometimento imunológico ou para pacientes com doenças pulmonares inflamatórias subjacentes, como fibrose cística.

Embora quase todos os órgãos possam ser afetados, infecções do trato respiratório, bacteremia ou infecções relacionadas à cateter da corrente sanguínea são as mais comuns. Em vista da crescente importância desse patógeno e das consequências clínicas muitas vezes graves de uma infecção, o conhecimento sobre os fatores de virulência e sobre a transmissão local e global da bactéria Stenotrophomonas maltophilia é urgentemente necessária.

Cientistas de um total de oito países estabeleceram inicialmente um método de genotipagem que permite a análise padronizada dos diferentes genomas de cepas de S. maltophilia. As equipes da DZIF em torno do Prof. Stefan Niemann (FZB), do Prof. Jan Rupp, (Clínica de Infectiologia e Microbiologia, Campus Lübeck) e do Prof. Ulrich Nübel do Instituto Leibniz DSMZ (Coleção Alemã de Microorganismos e Culturas de Células GmbH) em Braunschweig foram as envolvidas no estudo.

As descobertas preocupantes

Os cientistas descobriram que o complexo S. maltophilia pode ser dividido em um total de 23 linhagens com diferentes níveis de prevalência. Uma linha de descendência específica apareceu em todo o mundo e teve a maior taxa de cepas associadas a humanos. Esta estirpe “Sm6” também foi caracterizada pela presença de genes chave de virulência e genes de resistência. “Isso sugere que uma configuração genética específica pode promover a disseminação de diferentes subtipos de S. maltophilia no ambiente hospitalar, ou seja, sob tratamento antimicrobiano”, diz Matthias Gröschel, principal autor do estudo.

Stenotrophomonas maltophiliaA análise de transmissão também identificou vários eventos potenciais de surtos de cepas geneticamente relacionadas que foram isoladas em dias ou semanas nos mesmos hospitais. “Combinados com estudos sobre outros patógenos, nossos resultados mostram como o monitoramento sistemático baseado em genoma de S. maltophilia e outros patógenos em ambientes hospitalares pode ajudar a detectar vias de transmissão e melhorar o controle de infecções”, concluiu oThomas Kohl, autor sênior do estudo na FZ Borstel.

 

________________________________

Os resultados do estudo foram publicados n conceituada revista científica Nature.

* “The phylogenetic landscape and nosocomial spread of the multidrug-resistant opportunist Stenotrophomonas maltophilia” – 2020.

Autores do estudo: Matthias I. Gröschel, Conor J. Meehan, Thomas A. Kohl  – 10.1038 / s41467-020-15123-0

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.