Medicamento para alivar a dor da osteoartrite das mãos é ineficaz

O bloqueador do receptor da interleucina (IL)-6 tocilizumabe (Actemra) não foi eficaz no alívio da dor da osteoartrite das mãos (OA), descobriu um estudo multicêntrico randomizado francês.

Após duas infusões intravenosas de tocilizumabe ou placebo, a alteração média desde o início em uma escala visual analógica de 100 pontos de dor em 6 semanas foi -7,9 no grupo de tratamento ativo e -9,9 no grupo de placebo, o que não foi uma diferença significativa, de acordo com Pascal Richette, MD, PhD, do Hôpital Lariboisière em Paris, e colegas.

Também não houve diferenças entre o tocilizumabe e o placebo em vários desfechos secundários, como rigidez e articulações inchadas, os pesquisadores relataram online no Annals of the Rheumatic Diseases.

A OA das mãos é uma doença comum, afetando cerca de um em cada 10 adultos com dor, rigidez e deficiências na função física e, apesar das recomendações para tratamentos farmacológicos e não farmacológicos, muitos pacientes não conseguem obter alívio.

Nos últimos anos, os estudos clínicos e de imagem implicaram sinovite, lesões na medula óssea e inflamação local como mecanismos contribuintes na OA de mão, mas estudos anteriores sobre IL-1 e inibidores do fator de necrose tumoral (TNF) não encontraram benefícios em termos de alívio da dor , sugerindo pouca influência para as citocinas inflamatórias IL-1 ou TNF na OA de mão.

“IL-6 é uma citocina inflamatória pleiotreópica envolvida em muitas doenças e particularmente em OA, onde atua como um mediador do fator 2α indutível por hipóxia para regular positivamente os níveis de metaloproteinase 3 e 13 da matriz”, explicou Richette e colegas.

Altos níveis de IL-6 no soro foram associados à osteoartrite do joelho, e a citocina também foi detectada na sinóvia da articulação de pacientes com OA. Além disso, o direcionamento de IL-6 em um modelo murino inibiu a progressão da OA.

Como o estudo foi conduzido

Portanto, para explorar a possibilidade de bloquear a IL-6 para o alívio da dor da osteoartrite das mãos, os pesquisadores inscreveram 91 pacientes de 11 centros durante os anos de 2015 a 2018, randomizando-os para duas infusões de 8 mg/kg de tocilizumabe ou placebo em intervalos de 4 semanas. Um total de 79 pacientes completaram o estudo de 12 semanas.

A idade média dos participantes foi de 64,4 e 82% eram mulheres. A duração da doença foi de aproximadamente 10 anos, a pontuação média da dor inicial foi de 58,6 e o ​​número de articulações doloridas e inchadas foi de 5,7 e 2,9, respectivamente.

A mudança nos escores de dor permaneceu semelhante nos grupos tocilizumabe e placebo nas semanas 8 e 12, sem diferenças significativas observadas em qualquer momento.

Além disso, nenhuma diferença foi observada na semana 12 em vários endpoints secundários para tocilizumabe versus placebo:

  • Rigidez matinal (minutos), -8,5 vs -19,6, para uma diferença de 11,1
  • Articulações inchadas, -1,4 vs -1,2, para uma diferença de -0,1
  • Avaliação global do paciente, -13,4 vs -12,9, para uma diferença de -0,5
  • Avaliação global do médico, -14,2 vs -12,1, para uma diferença de -2,1
  • Índice funcional para OA de mão, -1,0 vs -0,1, para uma diferença de -0,9

No geral, a taxa de quaisquer eventos adversos foi maior no grupo tocilizumabe (69% vs 53,7%). Os eventos adversos graves no grupo com tocilizumabe incluíram neutropenia (<1.000/mm3), fratura e tentativa de suicídio, enquanto no grupo do placebo houve um caso de lesão causada pelo trânsito.

Os eventos adversos não graves incluíram infecções em 12 pacientes no grupo tocilizumabe e seis pacientes no grupo placebo. Nenhuma morte ocorreu.

“Nosso estudo não conseguiu demonstrar a eficácia do bloqueio de IL-6 em relação ao placebo para aliviar a dor e melhorar a função em pacientes com OA de mão”, observaram os pesquisadores.

Eles também observaram que estudos anteriores de terapias direcionadas a citocinas em osteoartrite de mão também não conseguiram demonstrar benefícios.

Estes incluíram os inibidores do TNF etanercepte (Enbrel) e adalimumab (Humira), e a imunoglobulina de domínio variável duplo que inibe IL-1α e 1β, lutikizumabe.

Conclusão dos autores

Esses resultados negativos sugerem que a dor na OA das mãos é um processo complexo que pode se estender além da inflamação, osso subcondral, dano estrutural e nocicepção.

“Um crescente corpo de evidências apoia um papel para as vias imunológicas inatas na dor de OA, com o envolvimento de proteínas como o ligante de quimiocina 2 do motivo CC e o fator de crescimento do nervo ou fragmento de agrecan que ativa o receptor 2 do tipo toll nos nociceptores das articulações”, os pesquisadores escreveram.

“Visar a sinalização de IL-6 pode ser ineficaz para melhorar os sintomas da OA das mãos”, concluíram Richette e os coautores, advertindo, no entanto, que o estudo foi desenvolvido para detectar um grande efeito analgésico (0,6) e pode ter sido insuficiente para identificar um efeito menor.

______________________________

O estudo original foi publicado Annals of the Rheumatic Diseases

* “Efficacy of tocilizumab in patients with hand osteoarthritis: double blind, randomised, placebo-controlled, multicentre trial” – 2020 

Autores do estudo: Pascal Richette, Augustin Latourte, Jérémie Sellam, Daniel Wendling, Muriel Piperno, Philippe Goupille, Yves-Marie Pers, florent Eymard, Sébastien Ottaviani, Paul Ornetti, René-Marc Flipo, Bruno Fautrel, Olivier Peyr, Jean Pierre Bertola, Eric Vicaut, Xavier Chevalier – 10.1136/annrheumdis-2020-218547

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.