Tratamento para obesidade em pacientes com transtorno bipolar

O transtorno bipolar é uma das doenças mentais graves mais comuns, afetando aproximadamente 60 milhões de pessoas em todo o mundo.

Caracterizado por alterações extremas no humor, cognição e comportamento, o transtorno bipolar pode ter um impacto negativo significativo no funcionamento e na qualidade de vida do indivíduo afetado. Comparado com a população em geral, a prevalência de obesidade mórbida é significativamente maior no transtorno bipolar.

Aproximadamente 68% dos pacientes que procuram tratamento para o transtorno bipolar apresentam sobrepeso ou obesidade. Os médicos sabem que a obesidade tem o potencial de contribuir para outras condições de saúde física em pessoas com a doença, incluindo diabetes, hipertensão, síndrome metabólica, doença cardiovascular e doença cardíaca coronária.

As condições contribuintes incluem fatores relacionados à doença (fatores relacionados ao humor, ou seja, mania ou depressão), fatores relacionados ao tratamento (implicações de peso e outros efeitos colaterais dos medicamentos) e fatores do estilo de vida (inatividade física, dieta inadequada, tabagismo e abuso de substâncias).

As abordagens para o gerenciamento da obesidade em indivíduos com transtorno bipolar são diversas e incluem intervenções não farmacológicas (ou seja, dieta, exercício, comportamento ou multicomponentes), intervenções farmacológicas (ou seja, medicamentos para perda de peso ou troca de medicamentos) e cirurgia bariátrica.

Objetivos do estudo

O estudo pretende avaliar a eficácia de intervenções para o tratamento da obesidade em pessoas com transtorno bipolar.

Critério de seleção

Foram elegíveis para a inclusão na revisão ensaios clínicos randomizados (ECR), que fossem randomizados no nível do indivíduo ou cluster e delineamentos cruzados de intervenções para tratamento da obesidade, nos quais pelo menos 80% dos participantes do estudo tiveram um diagnóstico clínico para transtorno bipolar e obesidade mórbida (corpo índice de massa (IMC) ≥30 kg / m²)

Nenhuma exclusão foi baseada no tipo de transtorno bipolar, estágio da doença, idade ou sexo. Foram incluídas intervenções não farmacológicas compreendendo intervenções dietéticas, de exercício, comportamentais e de múltiplos componentes, intervenções farmacológicas que consistem em medicamentos para perda de peso e intervenções de troca de medicamentos, assim como intervenções cirúrgicas como bypass gástrico, bandas gástricas, desvio biliopancreático e gastroplastia vertical em faixas.

Os comparadores incluíram as seguintes abordagens: intervenção alimentar versus comparador inativo. intervenção do exercício versus comparador inativo, intervenção comportamental versus comparador inativo, intervenção no estilo de vida com múltiplos componentes versus comparador inativo, intervenção de troca de medicação versus comparador inativo, intervenção medicamentosa para perda de peso versus comparador inativo e intervenção cirúrgica versus comparador inativo.

Os desfechos primários de interesse foram alterações na massa corporal, eventos adversos relatados pelo paciente e qualidade de vida.

Coleta e análise de dados

Quatro autores da revisão estiveram envolvidos no processo de seleção dos estudos. Dois autores da revisão selecionaram independentemente os títulos e resumos dos estudos identificados na pesquisa. Os estudos trazidos para a fase de texto completo foram selecionados por outros dois autores da revisão que trabalhavam de forma independente.

No entanto, nenhum dos estudos de texto completo atenderam aos critérios de inclusão. Se os responsáveis pelo estudo tivessem incluído material, teriam avaliado sua qualidade metodológica utilizando os critérios que são recomendados no Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions. 

Os autores pretenderam combinar dados dicotômicos usando taxas de risco (RRs) e dados contínuos através das diferenças médias (MDs). Para cada resultado, a intenção foi calcular o tamanho total do efeito com intervalos de confiança de 95% (ICs).

Resultados principais

Nenhum dos estudos selecionados foram eficientes para atender aos critérios de inclusão.

Conclusão dos autores

Nenhum dos estudo encontrados e avaliados atendeu aos critérios de inclusão da revisão. Portanto, os pesquisadores não foram capazes de determinar a eficácia das intervenções para o manejo da obesidade em indivíduos com o transtorno bipolar.

Dada a extensão e o impacto do problema e a ausência de evidências de boa qualidade, a revisão destaca a necessidade de mais pesquisas nessa área.

Os autores sugerem a necessidade de mais ensaios clínicos randomizados que estejam focados apenas nas populações com transtorno bipolar e obesidade mórbida. Além disso, identificaram vários estudos que estão em andamento e futuramente podem ser incluídos na atualização da pesquisa.

______________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Interventions for the management of obesity in people with bipolar disorder” – 2020

Autores do estudo: Agnes Tully, Siobhan Smyth, Yvonne Conway, John Geddes, Declan Devane, John P Kelly, Fionnuala Jordan – 10.1002/14651858.CD013006.pub2

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.