Uma droga utilizada contra o HIV interrompe a infecção pelo Zika vírus!

Em um novo estudo os pesquisadores da Faculdade de Medicina Lewis Katz da Temple University, Filadélfia, Pensilvânia, EUA, relatam que um medicamento usado no tratamento do HIV também suprime a infecção pelo Zika vírus.

Nos modelos de células e animais, eles mostram que a droga, chamada “Rilpivirina”, interrompe o vírus do zika ao direcionar enzimas das quais o HIV e o vírus do zika dependem para sua replicação. Essas enzimas ocorrem em outros vírus intimamente relacionados ao Zika, incluindo os vírus que causam dengue, febre amarela, febre do Nilo Ocidental e hepatite C.

A infecção pelo Zika vírus

“O vírus HIV e Zika são tipos distintos de vírus RNA. Ao descobrir que a Rilpivirina bloqueia a replicação do vírus Zika ao se ligar a uma enzima RNA polimerase comum a uma família de vírus RNA, abrimos o caminho para potencialmente sermos capazes de tratar várias infecções por vírus RNA usando a mesma estratégia”, explicaram o Dr Kamel Khalili e a Dra Laura H. Carnell diretores do Departamento de Neurociência, Neurovirologia e NeuroAIDS da Temple University.

Historicamente raro e isolado em partes da África e Ásia, o vírus Zika agora está presente nas Américas e ocorre em várias outras regiões do mundo. Atraiu uma atenção crescente nos últimos anos, devido a seus efeitos prejudiciais ao cérebro e ao sistema nervoso. O vírus é transmitido aos seres humanos por mosquitos.

Uma vez no corpo, infecta as células e se replica, normalmente residindo nas células dos tecidos neurais. Em casos graves, a infecção pelo Zika vírus pode causar uma condição auto-imune conhecida como síndrome de Guillain-Barré, que culmina em paralisia muscular. Os bebês nascidos de mães infectadas durante a gravidez podem sofrer atrasos no desenvolvimento neurológico e podem ser afetados pela microcefalia (pequenez anormal da cabeça).

O novo estudo

Para replicar dentro das células, o vírus Zika requer uma enzima chamada RNA polimerase dependente de RNA de proteína não estrutural 5 (NS5 RdRp). No novo estudo, mostrou-se que a Rilpivirina suprime a infecção pelo Zika vírus nas células, bloqueando a replicação viral. Usando biologia estrutural e estudos computacionais, os pesquisadores conseguiram mostrar que a Rilpivirina impede a replicação viral, ligando-se especificamente ao domínio NS5.

Infecção pelo zika vírus - Dr Kamel Khalili e a Dra Laura H Carnell
Dr Kamel Khalili e a Dra Laura H. Carnell diretores do Departamento de Neurociência, Neurovirologia e NeuroAIDS da Temple University. Crédito: Temple University.

A equipe realizou experimentos em ratos, nos quais os animais foram infectados com o vírus Zika através das patas, semelhante à maneira como uma pessoa é infectada pela picada de um mosquito. Os ratos infectados pelo vírus Zika normalmente ficam muito doentes em cerca de uma semana e acabam morrendo. Descobriu-se no entanto, que quando tratados com a Rilpivirina, os animais sobreviveram, o que conclui que a droga interrompeu o curso usual de infecção do vírus.

A Rilpivirina é um dos vários medicamentos inibidores da transcriptase reversa não nucleósidos (ITRNNs) que foram desenvolvidos para o tratamento da infecção pelo HIV. Experimentos em que os pesquisadores da Temple University testaram outros dois ITRNNs em células infectadas pelo Zika e revelaram efeitos semelhantes na replicação viral, com os medicamentos inibindo especificamente a atividade do NS5.

“Agora temos um caminho claro a seguir, temos um ponto de partida a partir do qual podemos encontrar maneiras de tornar esses medicamentos ainda mais potentes e mais eficazes contra os flavivírus”, disse o Dr Khalili. Os pesquisadores planejam em breve intensificar seus estudos para desenvolver maneiras de melhorar a eficácia dos ITRNNs no bloqueio da infecção pelo vírus Zika e outros flavivírus.

As epidemias envolvendo infecções por flavivírus, particularmente HIV, Zika, dengue e hepatite C, frequentemente se sobrepõem geográfica e temporalmente.

O estudo completo foi publicado na revista médica científica Molecular Therapy.

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.