Indometacina para persistência do canal arterial em bebês prematuros

A persistência do canal arterial (PCA) é uma complicação comum entre bebês prematuros e com baixo peso ao nascer. A PCA é um canal vascular aberto entre os pulmões e o coração, que geralmente se fecha logo após o nascimento. Em bebês prematuros, a PCA permanece aberta e pode contribuir para complicações com risco de vida.

A equipe queria saber se um medicamento comumente usado para fechar a PCA, a indometacina, era melhor ou pior do que nenhum tratamento ou placebo para bebês prematuros que apresentavam sintomas de PCA.

Revisão da pergunta

Os autores avaliaram a eficácia e a segurança da indometacina quando comparada com nenhum tratamento ou placebo (uma substância sem efeito terapêutico) no tratamento de persistência do canal arterial sintomática (PCA) em um bebê prematuro.

Coleta e análise de dados

Os pesquisadores utilizaram os métodos padrão da Cochrane Neonatal, com avaliação separada da qualidade do estudo e extração de dados por pelo menos dois revisores.

Também foi usada a abordagem GRADE para analisar a certeza das evidências para os seguintes resultados: falha no fechamento do PCA dentro de uma semana após a administração da primeira dose de indometacina, displasia broncopulmonar (DBP) na idade pós-natal de 28 dias e na idade pós-menstrual de 36 semanas, proporção de bebês que requerem ligadura cirúrgica ou oclusão transcateter, mortalidade neonatal por todas as causas, enterocolite necrosante (NEC) e sangramento mucocutâneo ou gastrointestinal.

Características do estudo

Foram feitas pesquisas nos bancos de dados científicos para ensaios clínicos randomizados (estudos clínicos onde as pessoas são colocadas aleatoriamente em um de dois ou mais grupos de tratamento) em bebês prematuros (nascidos com menos de 37 semanas de gravidez) ou com baixo peso ao nascer (pesando menos de 2500 gramas) com um PCA sintomático diagnosticado por uma combinação de características clínicas específicas e/ou ultrassom do coração.

Os estudos incluídos compararam a indometacina com nenhum tratamento ou placebo. Os ensaios escolhidos tinham data de publicação até 31 de julho de 2020.

Principais resultados

A revisão de 14 ensaios clínicos (880 bebês) descobriu que a indometacina é muito eficaz no fechamento de uma PCA, reduzindo o risco de ser aberto em uma semana em 70%, quando comparado a nenhum tratamento ou placebo. Do total de 14 estudos, oito relataram morte, o que não foi diferente entre os grupos.

Apenas um estudo relatou o número de bebês que precisam de oxigênio aos 28 dias de vida, e apenas um estudo relatou o número de bebês que usam oxigênio às 36 semanas de idade pós-menstrual (quantas semanas de gravidez mais há quanto tempo o bebê está vivo).

Os dados não são adequados para permitir conclusões sobre esses resultados. Ambos os estudos não mostraram diferença entre aqueles que receberam indometacina ou nenhum tratamento ou placebo.

Os efeitos colaterais dos medicamentos ou outros efeitos adversos (como sangramento intestinal, lesão renal e infecção intestinal/falta de fluxo sanguíneo denominada enterocolite necrosante) não foram diferentes entre os grupos.

Certeza de evidência

De acordo com o GRADE (um método usado para avaliar a certeza dos ensaios que apoiam cada resultado), evidências de alta certeza mostram que a indometacina é eficaz no fechamento de um PCA em um bebê prematuro com sintomas. No entanto, não há evidências suficientes para dizer se a indometacina ajuda a reduzir a morte ou lesão pulmonar.

Além disso, não existem evidências suficientes para dizer se a indometacina causa maior dano em comparação com nenhum tratamento ou placebo. Mais estudos são necessários para verificar se a indometacina pode reduzir a morte ou lesão pulmonar em bebês com PCA sintomático.

Conclusão dos autores

Evidências de alta certeza mostram que a indometacina é eficaz no fechamento de um PCA sintomático em comparação com placebo ou nenhum tratamento em bebês prematuros.

As evidências são insuficientes em relação aos efeitos da indometacina em outros resultados clinicamente relevantes e efeitos adversos relacionados à medicação.

___________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Indomethacin for symptomatic patent ductus arteriosus in preterm infants” – 2021

Autores do estudo: Evans P, O’Reilly D, Flyer JN, Soll R, Mitra S – 10.1002/14651858.CD013133.pub2

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.