Uso da hidroxicloroquina e azitromicina para covid-19 pode ser letal!

A hidroxicloroquina e azitromicina podem ter um sério impacto no sistema cardiovascular e são uma combinação potencialmente letal, de acordo com uma grande análise de um banco de dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre reações adversas a medicamentos.

A combinação da hidroxicloroquina e azitromicina

O estudo, é uma meta-análise retrospectiva observacional de um banco de dados da OMS que abrange mais de 21 milhões de relatórios de casos adversos em todas as classes de medicamentos de mais de de 130 países entre 14 de novembro de 1967 e 1º de março de 2020, principalmente antes da pandemia do COVID-19.

O estudo comparou reações cardiovasculares adversas a medicamentos (CV-ADRs) em pacientes que receberam hidroxicloroquina e azitromicina ou a combinação de ambos os medicamentos com todos os outros medicamentos cardiovasculares no banco de dados. A hidroxicloroquina e azitromicina, isoladamente ou em combinação, foram propostas para o tratamento de pacientes com COVID-19.

Dos mais de 21 milhões de relatos de casos de reações adversas a medicamentos, os pesquisadores extraíram relatos de casos de hidroxicloroquina e azitromicina, isoladamente ou em combinação:

  • 76.822 relatos de eventos adversos foram associados apenas à hidroxicloroquina e em 28,4% desses casos (21.808), suspeita-se que a hidroxicloroquina esteja associada ao evento adverso;
  • 89.692 notificações de eventos adversos foram associados apenas à azitromicina e, em 60,8% desses casos (54.533), suspeita-se que a azitromicina esteja associada ao evento adverso;
  • 607 relatórios de eventos adversos relatados foram associados à combinação de ambos os medicamentos.

A análise constatou:

  • Houve um relato maior estatisticamente significativo de QT prolongado (LQT) e / ou taquicardia ventricular, incluindo Torsades-de-Pointes (TdP/VT) para cada medicamento individualmente nos casos suspeitos em comparação com todos os outros medicamentos;
  • A hidroxicloroquina também foi significativamente associada ao desenvolvimento de distúrbios de condução (bloqueio atrioventricular e bloqueio de ramo) e insuficiência cardíaca;
  • A monoterapia com azitromicina foi associada a uma maior notificação de LQT e / ou TdP / VT do que a hidroxicloroquina sozinha (0,8% vs. 0,3%, respectivamente);
  • A combinação de hidroxicloroquina e azitromicina foi associada a uma maior notificação de LQT e / ou TdP / VT do que qualquer medicamento isoladamente (0,6% vs. 1,5%, respectivamente);
  • Nenhum outro evento adverso cardiovascular, incluindo isquemia cardíaca e miocardite, foi significativamente associado a esses medicamentos;
  • A proporção de casos que resultaram em morte para casos de TdP / TV foi de 8,4% (7/83) com hidroxicloroquina e 20,2% (52/257) com azitromicina, vs. 0% (0/53) e 5,4% (12 / 223) para LQT sem TdP / VT com hidroxicloroquina e azitromicina, respectivamente;

Os pesquisadores concluem que “relatos de efeitos pro-arritmogênicos cardíacos agudos potencialmente letais [promovendo ritmos cardíacos irregulares] foram descritos principalmente com azitromicina, mas também com hidroxicloroquina. Sua combinação produziu um sinal ainda mais forte. A cloroquina também foi associada à insuficiência cardíaca potencialmente letal. Embora os números absolutos de casos sejam baixos, esses CV-ADRs são importantes a serem considerados no cenário de pacientes com COVID-19 que podem apresentar fatores de risco adicionais para LQT/TdP, incluindo inflamação com interleucina-6 elevada, hipocalemia, numerosos medicamentos interativos, bradicardia e doses mais altas de hidroxicloroquina”.

A hidroxicloroquina e azitromicina para covid-19 pode ser letalConforme detalhado na orientação conjunta da American Heart Association de 8 de abril de 2020, “Considerações para interações medicamentosas no QTc no tratamento exploratório COVID-19 (doença de coronavírus 2019)”, sabe-se que ambos os medicamentos têm complicações potencialmente graves para pessoas com doenças cardiovasculares, incluindo aumento do risco de morte súbita e o efeito no intervalo QT ou no risco de arritmia desses dois medicamentos combinados não foi estudado.

“A hidroxicloroquina e a azitromicina aumentaram a toxicidade cardiovascular, não devem ser administradas fora de um estudo clínico e requerem monitoramento e tratamento cardiovascular adicional próximo”, disse Mariell Jessup, Diretor Médico e de Ciência da American Heart Association.

 

_____________________________

O estudo foi publicado ontem no Circulation, o principal jornal da Associação Americana de Cardiologia.

* “Considerations for Drug Interactions on QTc in Exploratory COVID-19 (Coronavirus Disease 2019) Treatment”

Autores do estudo: Dan M. Roden, Robert A. Harrington, Athena Poppas, and Andrea M. Russo – 10.1161/CIRCULATIONAHA.120.047521

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.