Estudo descobre um novo gene de risco para Alzheimer!

Pesquisadores encontram um gene de risco para Alzheimer que pode ajudar a explicar grande parte do desenvolvimento da doença. A doença de Alzheimer de início tardio, a forma mais comum da doença, é uma condição neurológica devastadora com aspectos de risco hereditário que são incompletamente compreendidos.

Infelizmente, a complexidade do genoma humano e as deficiências de pesquisas anteriores são fatores limitantes, de modo que alguns fenômenos genéticos não foram pesquisados ​​completamente em estudos anteriores. Por exemplo, existem muitas regiões genômicas incompletamente mapeadas e áreas com sequências repetitivas que não puderam ser estudadas anteriormente.

Gene de risco para Alzheimer

Embora se saiba que a doença de Alzheimer é amplamente herdada, uma proporção substancial do risco genético real para a doença permaneceu inexplicável, apesar de extensos estudos. Essa lacuna de conhecimento é conhecida pelos pesquisadores como o problema da “falta de herança (ou ocultação) de herdabilidade”.

Por exemplo, enquanto em um estudo sueco com gêmeos a herdabilidade explicou 79% do risco de doença de Alzheimer de início tardio, variantes de risco comuns identificadas por estudos genéticos evidentes explicaram apenas 20% a 50% da doença de Alzheimer tem início tardio. Em outras palavras, uma quantidade relativamente grande de influência genética no risco tardio da doença de Alzheimer não foi explicada por estudos genéticos anteriores.

Avanços recentes nas tecnologias de sequenciamento permitiram estudos mais abrangentes. Tais desenvolvimentos permitem uma identificação mais precisa e exata do material genético do que estava disponível em estudos anteriores de variantes genéticas.

No presente estudo, os pesquisadores analisaram os dados do Projeto de Sequenciamento da Doença de Alzheimer derivados de mais de 10.000 pessoas (voluntários da pesquisa que concordaram em ter seus dados genéticos avaliados em combinação com o status da doença), com o objetivo de identificar a variação genética associada à doença de Alzheimer de início tardio.

Estudo descobre um novo gene de risco para AlzheimerResultados preliminares encontraram evidências de variação genética ligada à doença de Alzheimer de início tardio em um segmento de um gene chamado Mucin 6. Embora os mecanismos subjacentes ainda sejam desconhecidos, os pesquisadores acreditam que é possível traçar hipóteses credíveis e testáveis ​​com base nesses resultados. Por exemplo, este novo gene de risco para Alzheimer pode implicar uma via bioquímica no cérebro que representa um possível alvo terapêutico, um tópico para estudos futuros.

Os autores do estudo foram o Dr Yuriko Katsumata e o Dr Peter Nelson, ambos da Universidade de Kentucky. O Dr. Nelson disse sobre este estudo: “Nossas descobertas foram feitas em um grupo de pacientes relativamente pequeno para um estudo de genética – alguns estudos recentes incluíram centenas de milhares de sujeitos de pesquisa! Esse pequeno tamanho de amostra significa duas coisas: primeiro, devemos tenha cuidado e precisamos garantir que o fenômeno possa ser replicado em outros grupos; e segundo, isso implica que há um tamanho de efeito muito grande – a variação genética está fortemente associada à doença”.

 

______________________

O artigo foi publcado no Journal of Neuropathology & Experimental Neurology.

* “Alzheimer Disease Pathology-Associated Polymorphism in a Complex Variable Number of Tandem Repeat Region Within the MUC6 Gene, Near the AP2A2 Gene” – 2019.

Yuriko Katsumata, PhD, David W Fardo, PhD, Adam D Bachstetter, PhD, Sergey C Artiushin, PhD, Wang-Xia Wang, PhD, Angela Wei, Lena J Brzezinski, Bela G Nelson, Qingwei Huang, Erin L Abner – nlz116/5631811

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.