Tratamento alternativo para carcinoma basocelular avançado

De 20 a 30% dos pacientes com carcinoma basocelular avançado (CBC) responderam ao inibidor PD-1 cemiplimabe (Libtayo) após resistência ou intolerância a um inibidor da via de hedgehog, de acordo com resultados atualizados de um ensaio de fase II.

Os dados de resposta geral incluíram 21,4% dos pacientes com CBC localmente avançado e 31% daqueles com doença metastática. A duração da resposta ainda não havia sido alcançada no subgrupo com doença localmente avançada, mas previa-se que continuasse por pelo menos 12 meses. No subgrupo com doença metastática, todas as respostas continuaram após um ano de tratamento.

“Cemiplimabe é o primeiro agente que parece fornecer atividade antitumoral clinicamente significativa, incluindo respostas duráveis, em pacientes com carcinoma basocelular localmente avançado, e agora nesta coorte de pacientes com carcinoma basocelular metastático, que progrediram anteriormente ou eram intolerantes à terapia hedgehog”, Karl Lewis, MD, da University of Colorado Anschutz Medical Campus em Aurora, relatou durante uma coletiva de imprensa antes da reunião virtual da Society for Immunotherapy of Cancer. “O perfil de segurança é consistente com relatórios anteriores e os dados estão atualmente sob revisão prioritária no FDA.”

CBC avançado que não responde à inibição da via de hedgehog “constitui uma doença realmente terrível”, e um ensaio clínico de fase II mostrando atividade com cemiplimabe nesses pacientes é um grande desenvolvimento, comentou o moderador do comunicado de imprensa Mario Sznol, MD, da Yale School of Medicine em New Haven, Connecticut. As evidências anteriores foram limitadas a relatos de casos.

Em comparação com a atividade do cemiplimabe no carcinoma de células escamosas cutâneo (CCE), o início da resposta no CBC pareceu atrasado, continuou Sznol, perguntando sobre as potenciais diferenças mecanicistas nos dois tipos de câncer de pele.

“Na coorte localmente avançada em particular, as respostas pareciam atrasadas e não está claro o porquê”, disse Lewis. “Claramente, eles são tumores diferentes [CCE e CBC] e os infiltrados imunológicos ao redor dos tumores são diferentes. Esperançosamente, com um acompanhamento mais longo, podemos ver a taxa de resposta [em CBC] melhorar.”

Atualmente, não existem opções aprovadas pela FDA para carcinoma basocelular avançado que progride durante ou após o tratamento com um inibidor de hedgehog (hedgehog inhibitor [HHI]) ou para pacientes que não toleram um HHI. Como Sznol apontou, relatos de casos forneceram evidências da atividade do cemiplimabe nesses pacientes.

Os investigadores de um estudo principal de fase II examinaram a segurança e a eficácia do cemiplimabe em pacientes com CBC localmente avançado/metastático que progrediu durante ou após o tratamento com um HHI ou que eram intolerantes à terapia.

Os resultados iniciais para pacientes com CBC localmente avançado foram relatados na reunião virtual da European Society for Medical Oncology. Lewis revisou os resultados iniciais e relatou os achados de uma análise pré-especificada de pacientes com CBC metastático.

Estudo

A análise de dados incluiu 84 pacientes com CBC localmente avançado e 28 pacientes com doença metastática. O tratamento continuou até a progressão da doença ou desenvolvimento de toxicidade inaceitável. O desfecho primário foi a taxa de resposta objetiva (objective response rate [ORR]), conforme determinado por revisão central independente.

Conforme relatado anteriormente, o cemiplimabe levou a uma ORR de 31% em pacientes com CBC localmente avançado, incluindo respostas completas em cinco pacientes (6%). Outros 41 pacientes (48,8%) apresentaram doença estável como melhor resposta ao tratamento. A duração mediana da resposta ainda não havia sido alcançada no corte de dados, mas a probabilidade de resposta contínua em 6 meses era de 90,9% e 85,2% em 12 meses.

Todos os 28 pacientes com doença metastática já haviam recebido vismodegibe (Erivedge), três receberam sonidegibe (Odomzo) e três receberam ambos os medicamentos. Três quartos dos pacientes tiveram progressão da doença com terapia HHI anterior.

Lewis relatou dados de resposta para 28 pacientes acompanhados por aproximadamente 57 semanas. Seis pacientes (21,4%) obtiveram respostas parciais com cemiplimabe e 10 (35,7%) apresentaram doença estável, resultando em uma taxa de controle da doença de 57,1%.

A duração mediana da resposta ainda não havia sido alcançada, mas a probabilidade de resposta contínua em 6 meses era de 100% e 66,7% em 12 meses. Todas as respostas tiveram uma duração observada de pelo menos 8 meses.

Cinco pacientes apresentaram eventos adversos relacionados ao tratamento de grau ≥3, e um paciente morreu de pneumonia estafilocócica, que foi considerada não relacionada ao tratamento do estudo.

Conclusão

O papel futuro do cemiplimabe no CBC avançado permanece indeterminado, mas o potencial para uso no ambiente de primeira linha – antes de um HHI – é uma questão importante, disse Lewis.

“As terapias com inibidores de hedgehog são muito difíceis de tolerar. Elas têm muitas toxicidades”, disse ele. “Se um inibidor de PD-1 em algum ponto pode ser usado como terapia de primeira linha será algo que precisa ser respondido.”

_______________________________

O estudo original foi publicado no Society for Immunotherapy of Cancer

* “Interim analysis of phase II results for cemiplimab in patients with metastatic basal cell carcinoma (mBCC) who progressed on or are intolerant to hedgehog inhibitors (HHIs)” – 2020

Autores do estudo: Lewis KD, et al – Estudo

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.