Gripe e coronavírus: sintomas semelhantes, medos diferentes!

É a gripe, um resfriado ou o novo coronavírus? Médicos estão vivendo um dilema no dia a dia para tratar os pacientes, ideinticar sinais de doença para descobrir as diferenças entre gripe e coronavírus.

Existem três vírus principais diferentes propagando ao mesmo tempo, causando sintomas semelhantes – mas diferentes níveis de preocupação. Então, qual é o maior perigo? E por que estamos respondendo a eles de maneira tão diferente?

Gripe e coronavírus – Sintomas semelhantes

O COVID-19, a doença causada pelo novo coronavírus, é uma doença semelhante à gripe que mata milhares de pessoas todos os anos. Nos primeiros quatro meses do surto, o coronavírus matou cerca de 4.300 pessoas. A gripe mata 290.000 a 650.000 todos os anos em todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para especialistas em saúde pública, o grande número de mortes por gripe é exatamente o motivo pelo qual medidas extraordinárias devem ser tomadas para tentar impedir que o novo coronavírus se espalhe amplamente.

O retorno anual da gripe não pode ser interrompido porque já está tão incorporado à população. Ainda há uma chance de os casos de COVID-19 serem limitados ou se espalharem lentamente, enquanto os tratamentos são desenvolvidos.

Quão mortalmente são os vírus?

A gripe mata cerca de 0,1% das pessoas infectadas, mas ainda são centenas de milhares de pessoas a cada ano, porque infecta milhões.

Os pesquisadores ainda estão tentando entender o quão mortal é o novo coronavírus. A taxa de mortalidade por infecção pelo vírus ainda não é conhecida, porque os casos detectados em uma parte inicial de um surto costumam ser os mais graves, pessoas com sintomas leves ou inexistentes não estão sendo testadas e, às vezes, hospitais sobrecarregados lutam para cuidar os pacientes mais doentes. Vários relatórios estimaram a taxa de mortalidade entre menos de 1% e até 4% entre os casos diagnosticados até o momento, dependendo da localização.

A maioria das pessoas infectadas pelo novo coronavírus desenvolve sintomas leves ou moderados e se recupera após cerca de duas semanas.

Então, o que eu tenho?

Resfriado, gripe e coronavírus geralmente compartilham certos sintomas, mas as diferenças de intensidade e como elas aparecem pode oferecer pistas sobre quem está causando a miséria. Os médicos podem testar a gripe e obter resultados dentro de um dia, mas o teste de coronavírus ainda é limitado pela disponibilidade no Brasil.

Os resfriados são frequentemente suspeitos porque os adultos costumam ter os sintomas pelo menos duas vezes por ano. O resfriado comum começa com dor de garganta ou arranhões, tosse, coriza, nariz entupido e qualquer febre geralmente é leve.

Os sintomas da gripe são mais intensos e geralmente aparecem de repente. Eles podem incluir febre alta (acima de 38º C graus), exaustão extrema, dores musculares ou corporais, tosse seca e calafrios. Realmente bate em você como um ônibus, e as pessoas podem começar um dia bem, mas se sentirem terríveis à tarde.

Os sintomas da gripe podem incluir coriza ou nariz entupido, dores de cabeça e possivelmente vômito ou diarréia, embora os dois últimos sejam mais comuns em crianças do que adultos.

Os sintomas do COVID-19 podem aparecer mais lentamente. Eles geralmente incluem febre, tosse seca e falta de ar perceptível, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Uma minoria de casos desenvolve pneumonia, e a doença é especialmente preocupante para idosos e pessoas com outros problemas médicos, como pressão alta, obesidade, diabetes ou problemas cardíacos.

Um estudo de pacientes hospitalizados na China descobriu que cerca da metade não teve febre quando foram internados, mas quase todos desenvolveram uma.

O Que fazer se estiver doente?

Não vá direto ao consultório do seu médico – isso apenas corre o risco de deixar mais pessoas doentes. Mesmo que você seja um profissional de saúde, ligue com antecedência ou agende uma consulta.

Febre, tosse e falta de ar perceptível – se você tiver esses três componentes, especialmente se estiver associado a alguma viagem recente ou a alguém que você conheceu exposto ao COVID-19, fique atento(a).

Pacientes levemente doentes devem ser encorajados a ficar em casa. As pessoas que têm dificuldade em respirar devem procurar atendimento e as pessoas mais velhas ou com outras condições devem entrar em contato com seus médicos no início da doença.

Prevenção

Para se proteger, lave bem as mãos com frequência, mantenha-as afastadas do rosto e evite multidões e pessoas próximas. Ao chegar ao seu consultório, verifique o tamanho da fila, busque informações sobre a origem de seus pacientes, e quais os seus sintomas mais agudos. De acordo com a OMS, mais da metade dos profissionais de saúde infectados na China, tiveram contato direto com o paciente, principalmente na hora da primeira consulta.

Gripe e coronavírus - Proteja-seHá uma grande diferença entre gripe e coronavírus: existe uma vacina para ajudar a prevenir a gripe, já o coronavírus, ainda levará algum tempo até uma vacina definitiva. Portanto, fique atento a todo sinal ou sintomas aparentes, lembre-se, neste momento de crise, o mundo precisa ainda mais dos profissionais de saúde como você.

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.