Medicamento pode ser o melhor tratamento para claudicação intermitente

Claudicação intermitente é uma cólica na parte inferior da perna que ocorre quando a pessoa anda, ela geralmente desaparece após alguns minutos de repouso.

Ambas as pernas podem ser afetadas ao mesmo tempo, embora a dor possa ser pior em uma perna. Isso acontece porque não há sangue suficiente fluindo para os músculos das pernas.

É um sintoma de doença arterial periférica: uma condição comum em que depósitos de gordura se acumulam nas paredes das artérias (vasos sanguíneos) e restringem o fluxo de sangue através delas.

Como é tratada a claudicação intermitente?

A claudicação intermitente geralmente é tratada com exercícios e medicamentos que reduzem a chance de coágulos sanguíneos em um vaso sanguíneo bloqueado ou que reduzem os sintomas e ajudam as pessoas a andar mais.

Pessoas com claudicação grave podem precisar de cirurgia.

Pentoxifilina

A pentoxifilina é um medicamento por via oral que torna o sangue menos espesso e pegajoso. Isso ajuda o sangue a fluir mais facilmente através de pequenos vasos, como artérias, permitindo que mais oxigênio chegue aos músculos.

A pentoxifilina é licenciada para o tratamento da claudicação intermitente, embora sejam necessárias mais evidências de seus benefícios antes de seu uso ser recomendado nas diretrizes de tratamento.

Como os autores conduziram o estudo

A equipe buscou estudos que analisaram o uso de pentoxifilina para tratar claudicação intermitente. O objetivo era descobrir se a pentoxifilina:

  • pode ajudar as pessoas a caminharem mais, medindo a distância que conseguem caminhar antes de sentirem dores nas pernas;
  • afetou a relação da pressão sanguínea no tornozelo em comparação com a do braço (índice de pressão tornozelo-braquial (ITB) – uma medida de doença arterial periférica);
  • qualidade de vida das pessoas afetadas (bem-estar);
  • causou quaisquer efeitos colaterais.

Os autores pesquisaram estudos controlados randomizados, nos quais os tratamentos que as pessoas recebiam eram decididos aleatoriamente.

Esse tipo de estudo geralmente fornece as evidências mais confiáveis ​​sobre os efeitos de um tratamento.

Achados dos pesquisadores

Foram encontrados 24 estudos em 3377 pessoas com claudicação intermitente, realizados principalmente na Europa e nos EUA.

Dezessete estudos compararam o tratamento com pentoxifilina com um tratamento simulado (placebo) e  sete estudos compararam a pentoxifilina com outro medicamento. Os estudos duraram de quatro a 40 semanas.

As diferenças na forma como os estudos foram conduzidos e como mediram os resultados significaram que não podíamos combinar todos os seus resultados.

A equipe avaliou os resultados dos 17 estudos que compararam a pentoxifilina com o placebo, mas não puderam comparar a pentoxifilina com nenhum dos outros medicamentos.

Principais resultados

Em comparação com um placebo, a maioria dos estudos mostrou que o tratamento com pentoxifilina pode ajudar as pessoas a andar mais sem dor: 11 estudos em 1890 pessoas mediram a distância que podiam andar sem dor e 14 estudos em 2110 pessoas mediram a distância que podiam andar.

Para medições de ITB, não houve diferenças claras entre a pentoxifilina e o tratamento com placebo (5 estudos, 902 pessoas).

Três estudos em 1.179 pessoas avaliaram o bem-estar relacionado à capacidade de andar. Dois grandes estudos não mostraram nenhuma diferença clara entre a pentoxifilina e o tratamento com placebo, um estudo menor mostrou que a pentoxifilina provavelmente melhorou o bem-estar das pessoas, embora não estivesse claro como isso era medido.

Os efeitos colaterais relatados nos estudos variaram muito: alguns estudos não relataram efeitos colaterais importantes e a maioria não relatou efeitos colaterais com a pentoxifilina ou com placebo (9 estudos – 1.837 pessoas).

Confiabilidade dos resultados

Os autores não ficaram confiantes nos resultados sobre se a pentoxifilina ajuda as pessoas a andar mais ou sobre seus efeitos colaterais, porque encontramos limitações nas formas como os estudos foram elaborados e relatados.

É provável que esses resultados mudem quando mais evidências estiverem disponíveis.

A equipe ficou moderadamente confiante de que o tratamento com pentoxifilina foi semelhante ao placebo em seus efeitos na diferença no índice de pressão tornozelo-braquial e no bem-estar das pessoas.

Esses resultados podem mudar quando mais evidências estiverem disponíveis.

Ponto chave da revisão

A pentoxifilina pode ajudar as pessoas com claudicação intermitente a caminhar mais sem dor, mas não há certeza se ela funciona melhor do que um placebo ou outros medicamentos.

Não foram encontradas evidências confiáveis ​​o suficiente sobre quaisquer efeitos colaterais.

Conclusão dos autores

Há uma falta de evidências de alta certeza para os efeitos da pentoxifilina em comparação com o placebo, ou outros tratamentos, para claudicação intermitente.

A pentoxifilina foi relatada como geralmente bem tolerada (evidência de baixa certeza). Dado o grande grau de heterogeneidade entre os estudos, o papel da pentoxifilina para pessoas com claudicação intermitente permanece incerto.

____________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Pentoxifylline for intermittent claudication” – 2020

Autores do estudo: Cathryn Broderick, Rachel Forster, Mohammed Abdel-Hadi, Kareem Salhiyyah – doi.org/10.1002/14651858.CD005262.pub4

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.