Estudo investiga a precisão dos testes para diagnóstico da tuberculose

A tuberculose é uma das 10 principais causas de morte em todo o mundo. Ela afeta principalmente os pulmões (pulmonar), mas pode ocorrer em outras partes do corpo (extrapulmonar). Quando as pessoas recebem tratamento adequado e oportuno, a doença geralmente tem cura.

Um problema envolvido no tratamento da tuberculose é que as bactérias se tornam resistentes aos antibióticos. Não reconhecê-la precocemente pode resultar em diagnóstico e tratamento retardados e aumento de doenças e morte.

Um diagnóstico incorreto pode resultar em aumento da ansiedade e tratamento desnecessário.

Objetivo da revisão

Atualizar as evidências sobre a precisão dos testes Xpert para o diagnóstico de tuberculose extrapulmonar e resistência à rifampicina em adultos.

A rifampicina é um medicamento importante para a doença. Os autores incluíram meningite tuberculosa e tuberculose pleural, linfonodal, óssea ou articular, geniturinária, peritoneal, pericárdica e disseminada.

O que foi estudado?

O Xpert Ultra e o Xpert MTB/RIF são testes rápidos para diagnosticar simultaneamente a doença e a resistência à rifampicina. Os resultados do estudo foram combinados para determinar:

  • Sensibilidade: pessoas com tuberculose (resistência à rifampicina) diagnosticadas corretamente como tendo a doença.
  • Especificidade: pessoas sem tuberculose (resistência à rifampicina) corretamente identificadas como não tendo a doença.

Quanto mais próxima a sensibilidade e a especificidade de 100%, melhor será o teste. Foram medidos os resultados do Xpert em relação à cultura e a um padrão de referência composto (nenhum deles é um padrão de referência perfeito porque a tuberculose extrapulmonar é paucibacilar (poucas bactérias)).

Resultados principais

69 estudos testaram linfonodo, líquido pleural e cefalorraquidiano e outras amostras de pessoas com tuberculose extrapulmonar presuntiva. Os estudos foram realizados em 28 países diferentes.

Para cada 1000 pessoas testadas, se 100 tivessem a doença de acordo com os padrões de referência:

Líquido cefalorraquidiano

Xpert Ultra (6 estudos):

  • Sensibilidade de 89%: 168 pessoas teriam teste positivo, incluindo 79 sem tuberculose
  • 91% de especificidade: 832 pessoas teriam teste negativo, incluindo 11 com tuberculose

Xpert MTB/RIF (30 estudos):

  • Sensibilidade de 71%: 99 pessoas teriam teste positivo, incluindo 28 sem tuberculose
  • 97% de especificidade: 901 pessoas teriam teste negativo, incluindo 29 com tuberculose

Fluido pleural

Xpert Ultra (4 estudos):

  • Sensibilidade de 75%: 192 pessoas teriam teste positivo, incluindo 117 sem tuberculose
  • 87% de especificidade: 808 pessoas teriam teste negativo, incluindo 25 com tuberculose

Xpert MTB/RIF (25 estudos):

  • Sensibilidade de 50%: 60 pessoas teriam teste positivo, incluindo 10 sem tuberculose
  • 99% de especificidade: 940 seriam negativos, incluindo 50 com tuberculose

Fluido de linfonodo

Xpert Ultra (1 estudo):

  • Sensibilidade de 70%: 70 pessoas teriam teste positivo (todos têm tuberculose)
  • 100% de especificidade: 930 pessoas teriam teste negativo, incluindo 30 com tuberculose

Xpert MTB/RIF (4 estudos):

  • Sensibilidade de 82%: 118 pessoas teriam teste positivo, incluindo 37 sem tuberculose
  • 96% de especificidade: 882 pessoas teriam teste negativo, incluindo 19 com tuberculose

Resistência à rifampicina

Xpert Ultra (4 estudos):

  • Sensibilidade de 100%: 100 pessoas teriam teste positivo (todas têm resistência à rifampicina)
  • 100% de especificidade: 900 pessoas teriam teste negativo (nenhum tem resistência à rifampicina)

Teste MTB/RIF (19 estudos):

  • Sensibilidade de 97%: 105 pessoas teriam teste positivo, incluindo oito sem resistência à rifampicina
  • 99% de especificidade: 895 pessoas teriam teste negativo, incluindo três com resistência à rifampicina

Confiança nos resultados

Bastante confiante para o Xpert MTB/RIF no líquido cefalorraquidiano e menos no líquido dos nódulos linfáticos. Menos confiante para o Xpert Ultra, pois havia poucos estudos e poucas pessoas testadas.

Ambos os padrões de referência são imperfeitos, o que pode afetar as estimativas de precisão.

Implicação da revisão

Os testes Xpert podem ser úteis no diagnóstico da tuberculose extrapulmonar. A sensibilidade varia entre as diferentes amostras extrapulmonares, enquanto para a maioria das amostras, a especificidade é alta, o teste raramente produz um resultado positivo para pessoas sem tuberculose (verificado por cultura).

Para meningite tuberculosa, o Xpert Ultra apresentou maior sensibilidade do que o Xpert MTB/RIF e menor especificidade do que o Xpert MTB/RIF. Os testes tiveram precisão semelhante para diagnosticar a resistência à rifampicina.

Conclusão dos autores

O Xpert Ultra e o Xpert MTB/RIF podem ser úteis no diagnóstico da tuberculose extrapulmonar. A sensibilidade varia entre as diferentes amostras extrapulmonares: embora a especificidade da maioria das amostras seja alta, os testes raramente produzem um resultado positivo para pessoas sem a doença.

Para meningite tuberculosa, o Xpert Ultra apresentou maior sensibilidade e menor especificidade do que o Xpert MTB/RIF contra cultura. Xpert Ultra e Xpert MTB/RIF tiveram sensibilidade e especificidade semelhantes para resistência à rifampicina.

Pesquisas futuras devem reconhecer a preocupação associada à cultura como um padrão de referência em espécimes paucibacilares e considerar maneiras de lidar com essa limitação.

___________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Xpert MTB/RIF Ultra and Xpert MTB/RIF assays for extrapulmonary tuberculosis and rifampicin resistance in adults” – 2021

Autores do estudo: Kohli M, Schiller I, Dendukuri N, Yao M, Dheda K, Denkinger CM, Schumacher SG, Steingart KR – 10.1002/14651858.CD012768.pub3

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.