Teste de biomarcador pode facilitar detecção de doença cardíaca em bebês

Um novo teste de biomarcador usando amostras de sangue seco coletadas rotineiramente pode facilitar a detecção de doença cardíaca congênita (DCC) em recém-nascidos, mostrou um estudo piloto.

Realizado logo 2 dias após o nascimento, um teste de sangue seco (DBS) para NT-proBNP sinalizou 71% dos 34 bebês testados com DCC conhecido e 68% dos casos críticos de doença cardíaca congênita.

A combinação do teste DBS com a triagem de oximetria de pulso melhorou a detecção de DCC para 82% e a detecção de DCC crítica para 89%, de acordo com um grupo liderado por Henning Clausen, MD, do University Teaching Hospital Ryhov em Jönköping, Suécia, em seu relato online no JAMA Network Open.

Ao distinguir entre os 34 recém-nascidos com DCC e 81 controles saudáveis, o teste DBS NT-proBNP apresentou uma área sob a curva (AUC) de 0,87 (IC 95% 0,792-0,952), que aumentou para 0,93 (IC 95% 0,865-0,989) quando combinado com a triagem de oximetria de pulso. A AUC foi geralmente melhor quando a amostra de DBS foi feita mais tarde do que antes do nascimento.

O teste NT-proBNP atingiu um pico de AUC de 0,96 (IC 95% 0,908-1,0) ao comparar recém-nascidos no mesmo período.

Por décadas, os ensaios DBS foram usados ​​para encontrar erros inatos do metabolismo em bebês logo 48 horas após o nascimento. Uma picada no calcanhar ou no dedo geralmente é suficiente para a coleta de sangue.

“O novo teste DBS NT-proBNP foi comparável aos padrões de triagem atuais e minimizou as necessidades de sangue para 3 μl”, escreveram os pesquisadores. Em comparação, o teste de laboratório padrão para NT-proBNP requer 500 μL de sangue em um tubo de coleta.

“Esses resultados sugerem que biomarcadores cardiovasculares em neonatos podem ser usados ​​para a identificação oportuna e precisa de DCC e podem até ser valiosos em ambientes com recursos limitados de saúde, oferecendo triagem centralizada para DCC por meio de programas de triagem neonatal estabelecidos”, observaram.

Mesmo os países de alta renda não têm capacidades perfeitas de rastreamento de DCC, observou o grupo de Clausen. Embora bem estabelecido, o teste de oximetria de pulso tem limitações notáveis ​​para encontrar lesões de DAC envolvendo uma circulação sistêmica dependente de duto, eles apontaram.

Como o estudo foi conduzido

O estudo piloto foi conduzido em um único serviço pediátrico regional no sul da Suécia. Os recém-nascidos com doença cardíaca congênita nascidos em 2003-2019 foram identificados retrospectivamente, enquanto a amostragem de conveniência resultou em 81 neonatos saudáveis ​​nascidos durante um período de 11 meses em 2018-2019 que foram matriculados prospectivamente.

Clausen e seus colegas excluíram bebês nascidos prematuramente e aqueles que requerem tratamento hospitalar além do cuidado pós-natal padrão.

O sangue foi coletado nos dias 2 a 4 de vida em ambos os grupos DCC e saudáveis.

Bebês com DCC tinham um nível médio de NT-proBNP de 17.240 ng/L com base no teste DBS. Os controles saudáveis ​​tiveram níveis significativamente mais baixos de NT-proBNP, com uma mediana de 1.900 ng/L (P<0,05).

Uma comparação de DBS e triagem padrão para NT-proBNP (análise laboratorial em 500 μL de sangue em um tubo de coleta contendo EDTA como anticoagulante) revelou que os dois testes estão altamente correlacionados e em boa concordância.

Conclusão dos autores

Os autores do estudo reconheceram que os testes de DBS estão sujeitos a alterações no hematócrito e nas proteínas conformacionais durante o processo de secagem do sangue. Além disso, o uso de algumas amostras de sangue pode ter sido afetado pela degradação da amostra.

Outras limitações do estudo incluíram possível viés de seleção e casos perdidos de DCC, pois a ecocardiografia não foi realizada em todos os recém-nascidos devido à limitação de recursos.

No entanto, o novo teste DBS para doença cardíaca congênita garante uma investigação mais aprofundada em coortes neonatais maiores, afirmou o grupo de Clausen.

___________________________

O estudo original foi publicado no JAMA Network Open

* “Evaluation of Circulating Cardiovascular Biomarker Levels for Early Detection of Congenital Heart Disease in Newborns in Sweden” – 2020

Autores do estudo: Henning Clausen, Elisabeth Norén, Salla Valtonen, Aki Koivu, Mikko Sairanen, Petru Liuba – 10.1001/jamanetworkopen.2020.27561

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.