Terapia tripla pode ser a melhor alternativa para pacientes com asma

A terapia tripla de dose fixa com furoato de fluticasona/umeclidínio/vilanterol (Trelegy Ellipta) melhorou a função pulmonar em adultos cuja asma não foi controlada com corticosteroide inalado (ICS) e beta-agonista de ação prolongada (LABA), mostrou o estudo CAPTAIN.

Na quarta-feira, com base nas descobertas do estudo, o FDA aprovou o tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica em duas doses diferentes para adultos com 18 anos ou mais com asma não controlada, anunciou a GlaxoSmithKline.

O estudo randomizado de cerca de 2.500 pacientes atingiu seu desfecho primário, com diferentes doses da terapia tripla demonstrando melhora no VEF1 mínimo clínico na semana 24 em comparação com furoato de fluticasona (FF)/vilanterol (VI) uma vez ao dia.

Embora tenham sido observadas reduções nas taxas de exacerbação moderada e grave anualizadas, o principal desfecho secundário, essas descobertas não foram estatisticamente significativas, Laurie Lee, MD, do GlaxoSmithKline em Durham County, Carolina do Norte, relatou no encontro virtual da European Respiratory Society (ERS) Os resultados do ensaio foram publicados simultaneamente no The Lancet Respiratory Medicine.

No ERS, Johann Christian Virchow, MD, da Universidade de Rostock, na Alemanha, discutiu o surgimento da terapia tripla e seu papel no tratamento da asma.

“A terapia de inalação tripla de um único inalador chegou e veio para ficar”, disse Virchow, que não estava envolvido no estudo, mas já havia consultado a GlaxoSmithKline anteriormente. “Tenho certeza de que o usaremos extensivamente em pacientes com asma mais grave.”

Ele observou que outras terapias de combinação tripla de dose fixa combinando ICS/LABA com um antagonista muscarínico de longa ação (LAMA), incluindo glicopirrônio ou aclidínio, provavelmente serão aprovadas em breve como tratamentos complementares.

Pacientes com maior probabilidade de se beneficiar, disse Virchow, incluem aqueles com limitações persistentes do fluxo de ar, apesar do tratamento com média a alta dose de ICS/LABA. Ele acrescentou que as terapias triplas devem ser consideradas para uso em pacientes com doença dos passos 4 e 5 da Iniciativa Global para Asma antes de iniciar os tratamentos biológicos.

“O tratamento com inalador único será uma nova opção para [simplificar] e otimizar o tratamento”, disse Virchow.

Como o estudo foi conduzido e conclusão dos autores

O estudo duplo-cego, fase IIIA CAPTAIN, incluiu 2.439 pacientes adultos recrutados em mais de 400 hospitais em 15 países que tinham asma não controlada documentada, apesar do tratamento com ICS/LABA.

Os participantes do estudo foram randomizados para um de seis braços diferentes de tratamento uma vez ao dia, com dois braços de controle:

  • FF/VI 100/25 μg
  • FF/VI 200/25 μg

E quatro braços de investigação:

  • FF/umeclidínio (UMEC)/VI (100/31,25/25 μg)
  • FF/UMEC/VI (100/62,5/25 μg)
  • FF/UMEC/VI (200/31,25/25 μg)
  • FF/UMEC/VI (200/62,5/25 μg)

O endpoint primário do estudo foi a alteração da linha de base no VEF1 mínimo clínico na semana 24.

Com a dose de 100/62,5/25 μg, a terapia tripla produziu uma melhora média de mínimos quadrados no VEF1 da linha de base de 110 mL em comparação com FF/VI 100/25 μg. Para a dose de 200/62,5/25 μg, o mínimo quadrado significa melhora no VEF1 foi de 92 mL versus FF/VI 200/25 μg. O FDA aprovou na quarta-feira ambas as doses para uso na asma.

As terapias triplas com a menor dose de UMEC (31,25 μg) produziram melhorias semelhantes, embora menos pronunciadas, em relação aos controles (96 mL e 82 mL, respectivamente).

Outros desfechos secundários incluíram mudança da linha de base no Questionário Respiratório de St George (SGRQ) e no questionário de controle da asma (ACQ) -7 pontuação total na semana 24.

Para a pontuação total do SGRQ, todos os grupos de tratamento demonstraram melhorias clinicamente significativas desde o início (diferença de 4 pontos), embora nenhuma diferença tenha sido observada entre os grupos.

Melhorias nas pontuações ACQ-7 também foram observadas entre os grupos de tratamento, todos os quais excederam a diferença clinicamente importante mínima de 0,5 pontos da linha de base.

Os eventos adversos foram semelhantes entre os grupos de tratamento, com os eventos mais comumente relatados sendo nasofaringite (intervalo de 13-15%), dor de cabeça (5-9%) e infecção do trato respiratório superior (3-6%). A incidência de eventos adversos graves foi semelhante em todos os grupos (4-6%). Três mortes ocorreram, incluindo uma considerada relacionada ao medicamento em estudo.

___________________________

O estudo original foi publicado no The Lancet Respiratory Medicine

* “Efficacy and safety of once-daily single-inhaler triple therapy (FF/UMEC/VI) versus FF/VI in patients with inadequately controlled asthma (CAPTAIN): a double-blind, randomised, phase 3A trial” – 2020

Autores do estudo: Laurie A Lee, Zelie Bailes, Prof Neil Barnes, Prof Louis-Philippe Boulet, Dawn Edwards, Andrew Fowler, Nicola A Hanania, Prof Huib A M Kerstjens, Edward Kerwin, Prof Robert Nathan, Prof John Oppenheimer, Prof Alberto Papi, Steven Pascoe, Prof Guy Brusselle, Guy Peachey, Neal Sule, Maggie Tabberer, Prof Ian D Pavord, FMedSci – 10.1016/S2213-2600(20)30389-1

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.