Sintomas do Parkinson: a doença pode se originar no intestino!

Em 2003, um neuropatologista alemão propôs que os sintomas do Parkinson, doença que ataca o cérebro, poderia realmente se originar do intestino dos pacientes. Agora pesquisadores apresentaram evidências de apoio decisivas depois de ver a doença migrar do intestino para o cérebro e o coração de ratos de laboratório. A revista científica Acta Neuropathologica acaba de publicar os resultados, que chamaram a atenção de pesquisadores e médicos neurocientíficos internacionalmente.

Proteínas nocivas em movimento

Os sintomas do Parkinson são caracterizados por destruir lentamente o cérebro devido ao acúmulo de proteína alfa-sinucleína e o subsequente dano às células nervosas. A doença leva a tremores, rigidez muscular e movimentos lentos característicos dos pacientes.

No novo projeto de pesquisa, os pesquisadores usaram ratos de laboratório geneticamente modificados que super expressam grandes quantidades da proteína alfa-sinucleína. Estes ratos têm uma maior propensão a acumular variedades prejudiciais de proteína alfa-sinucleína e a desenvolver sintomas semelhantes aos observados nos pacientes de Parkinson.

Os pesquisadores iniciaram o processo injetando alfa-sinucleína no intestino delgado dos ratos. De acordo com o professor Per Borghammer e a pós-doutorada Nathalie Van Den Berge, o experimento pretendia demonstrar que a proteína posteriormente se espalharia de forma previsível para o cérebro.

“Depois de dois meses, vimos que a alfa-sinucleína viajou para o cérebro através dos nervos periféricos com envolvimento precisamente daquelas estruturas conhecidas por serem afetadas em conexão com a doença de Parkinson em humanos. Depois de quatro meses, a magnitude da patologia foi ainda maior. Foi realmente impressionante ver a rapidez com que isso aconteceu”, diz Per Borghammer, professor do Departamento de Clínica Médica da Universidade de Aarhus.

Sintomas no intestino vinte anos antes do diagnóstico

O Professor Per Borghammer explica que os pacientes com doença de Parkinson muitas vezes já apresentam danos significativos ao sistema nervoso no momento do diagnóstico, mas que é realmente possível detectar alfa-sinucleína patológica no intestino até vinte anos antes do diagnóstico.

“Com este novo estudo, descobrimos exatamente como é provável que a doença se espalhe pelo intestino das pessoas. Provavelmente não podemos desenvolver tratamentos médicos eficazes que interrompam a doença sem saber por onde ela começa e como se espalha – então isso é um importante passo em nossa pesquisa”. O Parkinson é uma doença complexa que ainda estamos tentando entender. No entanto, com este estudo e um estudo semelhante nos EUA que chegaram recentemente ao mesmo resultado usando ratos, a suspeita de que a doença começa no intestino de alguns pacientes ganhou um apoio considerável”.

Sintomas do Parkinson - a doença pode se originar no intestino

O projeto de pesquisa da Universidade de Aarhus também mostrou que a alfa-sinucleína prejudicial não apenas viaja do intestino para o cérebro, mas também para o coração.

“Por muitos anos, sabemos que os pacientes de Parkinson sofrem danos extensos no sistema nervoso do coração e que os danos ocorrem desde o início. Nunca conseguimos entender o porquê. O presente estudo mostra que o coração está danificando muito rápido, mesmo que a patologia tenha começado no intestino e podemos continuar a desenvolver esse conhecimento em nossas próximas pesquisas”, concluiu o Professor Per Borghammer.

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.