Estudo analisa qual é o melhor tratamento para psicose

A psicose descreve condições que afetam a mente, nas quais as pessoas têm dificuldade em distinguir o que é real do que não é. Isso pode envolver ver ou ouvir coisas que outras pessoas não podem (alucinações), ou acreditar em coisas que não são verdadeiras (delírios).

A combinação de alucinações e pensamento delirante pode causar sofrimento severo e uma mudança de comportamento.

Um primeiro episódio de psicose é a primeira vez que uma pessoa experimenta um episódio de psicose. Psicose de início recente são os primeiros anos da doença depois que alguém a experimenta pela primeira vez.

Psicose é tratável

Muitas pessoas se recuperam de um primeiro episódio e nunca passam por outro episódio psicótico.

As equipes de intervenção precoce são especializadas no tratamento de psicose de início recente e visam tratar a psicose o mais rápida e intensamente possível.

O tratamento intensivo e precoce da psicose pode ajudar mais pessoas a continuar com o tratamento e a se recuperar.

O tratamento de intervenção precoce geralmente dura dois ou três anos. Após o tratamento de intervenção precoce, a pessoa será cuidada por seu médico ou por profissionais de saúde mental comunitários padrão.

Objetivo da revisão

Os autores queriam descobrir se o tratamento mais longo (por até 5 anos) por equipes de intervenção precoce especializadas foi mais bem-sucedido no tratamento de psicose de início recente do que os dois ou três anos usuais de tratamento seguido por tratamento por equipes não especializadas.

Como a revisão foi conduzida

Os pesquisadores buscaram estudos que examinaram o uso de tratamentos mais longos de psicose de início recente por equipes especializadas de intervenção precoce.

Eles procuraram estudos controlados randomizados, nos quais os tratamentos que as pessoas recebiam eram decididos aleatoriamente. Esse tipo de estudo geralmente fornece as evidências mais confiáveis ​​sobre os efeitos de um tratamento.

Os autores queriam saber ao final do tratamento:

  • quantas pessoas se recuperaram
  • quantas pessoas interromperam o tratamento cedo demais
  • quantas pessoas foram internadas em um hospital psiquiátrico e por quanto tempo
  • sintomas psicóticos e funcionamento das pessoas (como lidam bem com a vida diária)
  • quantas pessoas morreram

Achados dos autores

A equipe localizou três estudos realizados na Dinamarca, Canadá e Hong Kong em 780 pessoas (55% homens, idade média de 20 a 25 anos).

Os estudos compararam o tratamento mais longo (até 5 anos) com o tratamento padrão (até 3 anos) por uma equipe de intervenção precoce seguido pelo tratamento usual (por seu médico ou profissionais de saúde mental da comunidade).

Resultados da revisão

Não foi encontrada nenhuma diferença entre o tratamento padrão e o tratamento mais longo por uma equipe de intervenção precoce no número de pessoas que se recuperaram (avaliadas pela remissão dos sintomas, 3 estudos, 780 pessoas).

Menos pessoas podem interromper o tratamento muito cedo durante um tratamento mais longo do que o tratamento padrão (2 estudos, 380 pessoas).

Pode não haver diferença entre o tratamento padrão e o tratamento mais longo para quantas pessoas são admitidas em um hospital psiquiátrico (1 estudo, 160 pessoas), ou por quanto tempo elas permanecem no hospital (1 estudo, 400 pessoas).

O tratamento mais longo pode reduzir os sintomas psicóticos mais do que o tratamento padrão (1 estudo, 156 pessoas), mas pode não melhorar o funcionamento das pessoas (2 estudos, 560 pessoas).

Não há certeza se o tratamento mais longo reduz o número de pessoas que morreram, em comparação com o tratamento padrão, porque tão poucas mortes foram relatadas nos estudos (3 estudos, 780 pessoas).

Quão confiáveis ​​são os resultados?

Os resultados provavelmente mudarão quando mais evidências estiverem disponíveis. Não existe certeza de que o tratamento mais longo afeta quantas pessoas param o tratamento cedo demais, quantas são admitidas no hospital e quanto tempo permanecem no hospital.

Não há certeza sobre o efeito de um tratamento mais longo sobre a quantidade de pessoas que se recuperam, os sintomas psicóticos e o funcionamento das pessoas, e sobre o número de pessoas que morrem. Esses resultados mudarão quando mais evidências estiverem disponíveis.

Pontos chave

O tratamento mais prolongado da psicose de início recente por equipes especializadas em saúde mental pode fazer com que menos pessoas parem o tratamento precocemente.

No entanto, são necessárias mais evidências antes de afirmar que o tratamento mais longo é melhor no geral do que o tratamento usual de dois ou três anos.

Conclusão dos autores

Pode haver evidência preliminar de benefício em estender os cuidados da equipe para o tratamento de pessoas com psicose, com menos pessoas se desligando dos serviços de saúde mental.

As evidências sobre outros resultados eram incertas. A certeza da evidência para os resultados medidos foi baixa ou muito baixa.

Além disso, estudos devidamente desenvolvidos que usam uma abordagem consistente para a seleção de resultados são necessários, mas com apenas um estudo adicional em andamento, é improvável que haja qualquer conclusão definitiva para a eficácia pelos menos nos próximos anos.

____________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Specialised early intervention teams (extended time) for recent‐onset psychosis” – 2020

Autores do estudo: Puntis S, Minichino A, De Crescenzo F, Cipriani A, Lennox B, Harrison R – 10.1002/14651858.CD013287.pub2

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.