Desenvolvido colírios para prevenir oclusão da veia da retina!

Pesquisadores do Centro Médico Irving da Universidade de Columbia, EUA, desenvolveram colírios que podem impedir a perda da visão após a oclusão da veia da retina, uma das principais causas de cegueira para milhões de adultos em todo o mundo.

Um estudo, em camundongos, sugere que a terapia experimental – que tem como alvo uma causa comum de neurodegeneração e vazamento vascular no olho – pode ter efeitos terapêuticos mais amplos do que os medicamentos existentes.

O que é oclusão da veia retiniana?

A oclusão da veia retiniana ocorre quando uma veia principal que drena o sangue da retina é bloqueada, geralmente devido a um coágulo sanguíneo. Como resultado, sangue e outros fluidos vazam para a retina, danificando os neurônios sensíveis à luz chamados fotorreceptores.

Atualmente, o tratamento padrão para a doença depende de medicamentos que reduzem o vazamento de líquidos dos vasos sanguíneos e o crescimento anormal dos vasos sanguíneos. Mas existem desvantagens significativas. Essas terapias requerem injeções repetidas diretamente no olho e, para os pacientes que enfrentam essa perspectiva assustadora, o tratamento acaba por impedir a perda da visão na maioria dos casos.

O novo tratamento tem como alvo uma enzima chamada caspase-9, diz Carol M. Troy, professora de patologia e biologia celular e de neurologia no Instituto Taub de Pesquisa sobre Doença de Alzheimer e no Cérebro Envelhecido da Universidade Columbia Vagelos Faculdade de Médicos e Cirurgiões, que lideraram os estudos. Sob condições normais, acredita-se que a caspase-9 esteja envolvida principalmente na morte celular programada, um mecanismo fortemente regulado para eliminar naturalmente as células danificadas ou em excesso.

No entanto, em estudos com camundongos, o laboratório de Troy descobriu que, quando os vasos sanguíneos são lesados ​​pela oclusão da veia retiniana , a caspase-9 se torna incontrolavelmente ativada, desencadeando processos que podem danificar a retina.

Colírios impedem lesões na retina

O laboratório de Troy descobriu que um inibidor altamente seletivo da caspase-9, administrado na forma de colírios, melhorou uma variedade de medidas clínicas da função da retina em um modelo com camundongos. Mais importante ainda, o tratamento reduziu o inchaço, melhorou o fluxo sanguíneo e diminuiu o dano neuronal na retina.

“Acreditamos que esses colírios podem oferecer várias vantagens sobre as terapias existentes. Os pacientes poderiam administrar a droga eles mesmos e não precisariam receber uma série de injeções. Além disso, nossos colírios visam uma via diferente de lesão na retina e, portanto, podem ajudar pacientes que não respondem à terapia atual”, diz Troy.

Próximos passos

Os pesquisadores estão se preparando para testar o colírio em pessoas com oclusão da veia da retina durante um ensaio clínico de fase I.

Desenvolvido colírios para prevenir oclusão da veia da retinaNo futuro, o laboratório de Troy também estudará se os inibidores da caspase-9 podem ser usados ​​para tratar outras lesões vasculares causadas pela superativação da enzima, incluindo edema macular diabético (outra causa comum de cegueira) e derrame.

“A disfunção vascular está no centro de muitos distúrbios neurológicos e da retina crônicos, porque as altas demandas de energia no cérebro e nos olhos tornam esses tecidos excepcionalmente vulneráveis ​​a perturbações no suprimento sanguíneo”, diz a primeira autora do estudo, Maria Avrutsky, pesquisador de pós-doutorado em patologia e biologia celular na Faculdade de Médicos e Cirurgiões da Universidade Columbia de Vagelos.

 

_____________________________

O estudo completo foi publicado na Nature Communications.

* “Endothelial activation of caspase-9 promotes neurovascular injury in retinal vein occlusion” – 2020.

Autores do estudo: Maria I. Avrutsky, Crystal Colón Ortiz, Kendra V. Johnson, Anna M. Potenski, Claire W. Chen, Jacqueline M. Lawson, Alexandra J. White, Stephanie K. Yuen, Fatima N. Morales, Elisa Canepa, Scott Snipas, Guy S. Salvesen, Ying Y. Jean, Carol M. Troy – 10.1038/s41467-020-16902-5

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.