Eficácia do receptor de endotelina para hipertensão arterial pulmonar

A hipertensão arterial pulmonar é uma doença devastadora caracterizada por um aumento da resistência vascular pulmonar que leva à insuficiência cardíaca direita e, por fim, à morte.

Os antagonistas do receptor da endotelina são uma classe de vasodilatadores fortes (medicamentos que abrem (dilatam) os vasos sanguíneos), capazes de interromper o processo de divisão celular, o que pode se dilatar e resultar em uma alteração estrutural arterial pulmonar favorável.

Pergunta de revisão

Os antagonistas do receptor de endotelina (endothelin receptor antagonists [ERAs]) aumentam o quanto uma pessoa é capaz de se exercitar (capacidade de exercício), melhoram os sintomas ou reduzem a morte em pessoas com hipertensão arterial pulmonar (HAP)?

Critério de seleção

Foram incluídos estudos randomizados e quase-randomizados envolvendo participantes com hipertensão arterial pulmonar.

Coleta e análise de dados

Dois dos cinco autores da revisão selecionaram estudos, extraíram os dados e avaliaram a qualidade do estudo de acordo com os critérios estabelecidos. Eles utilizaram métodos padrão esperados pela Cochrane.

Os desfechos primários foram capacidade de exercício (distância de caminhada de seis minutos, DTC6), classe funcional da Organização Mundial da Saúde (OMS) ou da New York Heart Association (NYHA), escores de dispneia de Borg e classificações de dispneia‐fadiga e mortalidade.

Características do estudo

Os autores revisaram as evidências de estudos randomizados (estudos nos quais as pessoas são designadas a um de dois ou mais grupos de tratamento usando um método aleatório).

Após uma busca completa e avaliação da literatura médica, foram identificados 17 estudos com um total de 3322 participantes para inclusão na revisão. A grande maioria dos participantes tinha HAP sem causa conhecida (idiopática). As evidências vão até novembro de 2020.

Principais resultados

Os antagonistas do receptor da endotelina provavelmente aumentam a capacidade de exercício, melhoram a classe funcional da Organização Mundial da Saúde (uma medida da gravidade dos sintomas de hipertensão pulmonar de uma pessoa) e podem melhorar as taxas de mortalidade e os sintomas em pessoas com HAP, no entanto, eles também podem aumentar o risco de danos ao fígado, embora isso seja raro.

A questão dos efeitos dos antagonistas do receptor da endotelina na HAP provavelmente já foi respondida.

Certeza da evidência

No geral, a evidência apresentada é de certeza moderada devido à alta ocorrência de dados perdidos.

Implicações para a Prática

Para pessoas com hipertensão arterial pulmonar com classes funcionais II e III da OMS, os antagonistas do receptor de endotelina provavelmente aumentam a capacidade de exercício, melhoram a classe funcional da OMS, previnem a deterioração da classe funcional da OMS, resultam em mudanças favoráveis ​​nas variáveis ​​hemodinâmicas cardiopulmonares.

No entanto, eles são menos eficazes na redução da dispneia e da mortalidade.

Os dados de eficácia são mais fortes em participantes com a forma idiopática da doença. Dados limitados mostram que a terapia combinada usando os antagonistas do receptor da endotelina e inibidor de PDE pode fornecer mais benefícios na HAP, no entanto, isso precisa ser confirmado em estudos futuros.

Implicações para a pesquisa

A questão dos efeitos dos ERAs sobre a HAP provavelmente já foi respondida. O efeito dos ERAs no escore de dispneia e mortalidade permanece incerto, e estudos observacionais de longo prazo são necessários.

A terapia combinada usando ERAs e inibidor de PDE pode fornecer mais benefícios na HAP; no entanto, isso precisa ser confirmado em estudos futuros.

Conclusão dos autores

Para pessoas com hipertensão arterial pulmonar com classes funcionais II e III da OMS, os antagonistas do receptor de endotelina provavelmente aumentam a capacidade de exercício, melhoram a classe funcional da OMS, evitam a deterioração da classe funcional da OMS, resultam em mudanças favoráveis ​​nas variáveis ​​hemodinâmicas cardiopulmonares em comparação com o placebo.

No entanto, eles são menos eficazes na redução da dispneia e da mortalidade. Os dados de eficácia foram mais fortes naqueles com hipertensão pulmonar idiopática.

A insuficiência hepática irreversível causada pelo sitaxsentan e sua retirada dos mercados globais enfatiza a importância do monitoramento hepático em pessoas tratadas com ERAs. A questão dos efeitos dos ERAs na hipertensão arterial pulmonar provavelmente já foi respondida.

O uso combinado de ERAs e inibidores da fosfodiesterase pode fornecer mais benefícios na hipertensão arterial pulmonar, contudo, isso precisa ser confirmado em estudos futuros.

__________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Endothelin receptor antagonists for pulmonary arterial hypertension” –

Autores do estudo: Liu C, Chen J, Gao Y, Deng B, Liu K – 10.1002/14651858.CD004434.pub6

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.