Uma dieta baseada em vegetais ajuda a prevenir e controlar a asma!

De acordo com um novo estudo, uma dieta baseada em vegetais pode ajudar a prevenir e controlar a asma, enquanto produtos lácteos e alimentos ricos em gordura aumentam o risco.

A asma é uma condição crônica comum em que as vias aéreas se tornam estreitas e inflamadas – às vezes levando a dificuldade em respirar, tossir, chiado e falta de ar.

“A asma é uma condição que afeta mais de 235 milhões de pessoas no mundo e, infelizmente, pode tornar as pessoas mais vulneráveis ​​ao surto de COVID-19. Esta pesquisa oferece esperança de que mudanças na dieta possam ser úteis”, diz a autora do estudo, Hana Kahleova, diretora de pesquisa do Comitê de Médicos para Medicina Responsável (Physicians Committee for Responsible Medicine), em Washington, EUA.

Controlar a asma pela alimentação

Os Pesquisadores examinaram as evidências relacionadas à dieta e asma e descobriram que certos alimentos – incluindo frutas, vegetais, grãos integrais e outros alimentos ricos em fibras – podem ser benéficos, enquanto outros – como laticínios e alimentos alto teor de gordura saturada – pode ser prejudicial.

Os autores da revisão destacam um estudo que, quando comparado a um grupo controle, pacientes com asma que consumiram uma dieta baseada em vegetais por oito semanas tiveram uma redução maior no uso de medicamentos para asma e sintomas menos graves e menos frequentes. Em outro estudo, os pacientes com asma adotaram uma dieta baseada em vegetais por um ano e observaram melhorias na taxa de fluxo expiratório máximo – uma medida de ar que o paciente pode expirar – além de outras medidas.

Os autores sugerem que uma dieta baseada em vegetais é benéfica, pois demonstrou reduzir a inflamação sistêmica, que pode exacerbar a asma. As dietas à base de plantas também são ricas em fibras, o que tem sido positivamente associado a melhorias na função pulmonar. Os pesquisadores também destacam os antioxidantes e flavonóides encontrados nos alimentos vegetais, que podem ter um efeito protetor.

O consumo de laticínios

O estudo também constata que o consumo de laticínios pode aumentar o risco de asma e piorar os sintomas. Um estudo de 2015 descobriu que as crianças que consumiam mais laticínios tinham maiores chances de desenvolver asma, em comparação com as crianças que consumiam menos.

Em outro estudo, crianças com asma foram colocadas em um grupo controle, onde não fizeram alterações na dieta, ou em um grupo experimental em que eliminaram laticínios e ovos por oito semanas. Após a eliminação dos laticínios, o grupo experimental experimentou uma melhoria de 22% na taxa de fluxo expiratório máximo – uma medida da rapidez com que as crianças foram capazes de expirar – enquanto as crianças do grupo controle tiveram uma queda de 0,6%.

Dieta baseada em vegetais ajuda a prevenir e controlar a asmaA alta ingestão de gordura, o consumo de gordura saturada e a baixa ingestão de fibras também foram associadas à inflamação das vias aéreas e à piora da função pulmonar em pacientes asmáticos.

“Esta pesquisa inovadora mostra que encher nossos pratos com alimentos à base de plantas – e evitar laticínios e outros alimentos com alto teor de gordura – pode ser uma ferramenta poderosa para prevenir e controlar a asma”, concluiu a Dr. Kahleova.

Durante a pandemia do COVID-19, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, insta as pessoas com asma a ter um plano – incluindo estocagem de suprimentos, remédios para asma conforme necessário, evitando multidões e praticando uma boa higiene.

__________________________

O estudo completo foi publicado no revista científica Nutrition Reviews.

* “The role of nutrition in asthma prevention and treatment ” – 2020.

Autores do estudo: Jihad Alwarith, Hana Kahleova, Lee Crosby, Alexa Brooks, Lizoralia Brandon, Susan M Levin, Neal D Barnard – 10.1093/nutrit/nuaa005/5804968

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.