Testes faz as células-tronco cancerígenas se reproduzirem com defeito!

O Professor Michael Lisanti, da Universidade de Salford, disse que sua equipe descobriram com sucesso uma maneira de fazer com que as células-tronco cancerígenas se reproduzam defeituosamente “como carros sem motores”.

“Elas não podem gerar energia, então não podem proliferar”, disse ele.

Células-tronco cancerígenas com defeito, como?

Eles alcançaram o resultado usando medicamentos baratos, aprovados pela Agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, o FDA e uma vitamina comum.

Uma “combinação tripla” de vitamina C e dois antibióticos padrão – doxiciclina e azitromicina – foi suficiente para reduzir o crescimento de células-tronco cancerígenas em mais de 90% em testes de laboratório.

Os cientistas disseram que ficaram chocados com os resultados publicados na revista Aging esta semana. Acredita-se que as células cancerosas semelhantes ao caule sejam a causa raiz da resistência à quimioterapia, levando ao insucesso do tratamento em pacientes com doença avançada e ao desencadeador de recidiva e metástase tumoral (recidiva e câncer secundário).

A pesquisa da equipe da Universidade de Salford enfoca a energia das células-tronco cancerígenas – processos que permitem que as células vivam e prosperem – com o objetivo de interromper seu metabolismo.

Lisanti com a Professora Federica Sotgia realizou ensaios em 2018 do antibiótico doxiciclina sobre a recorrência de câncer em pacientes do hospital, resultando em uma redução de 40% nas células-tronco cancerosas em pacientes, com uma taxa de resposta de quase 90%.

O Professor Lisanti disse: “Uma redução média de 40 por cento é encorajadora, mas estávamos interessados ​​nos outros 60 por cento, por isso estamos interessados ​​em novas combinações de drogas para maximizar os efeitos da doxiciclina.

“Uma vez que vimos que a doxiciclina foi eficaz no direcionamento das mitocôndrias dentro das células-tronco, o desafio estava em encontrar uma combinação ainda mais eficaz que acreditamos ter encontrado com a azitromicina”, salientou o Professor Lasanti.

Em testes de laboratório , eles descobriram que os dois antibióticos poderiam ser usados ​​para direcionar a produção de 13 proteínas mitocondriais essenciais que cortam o suprimento de combustível nas células-tronco.

E eles descobriram que a vitamina C, atuando como um pró-oxidante leve, amplifica os efeitos.

Células-tronco cancerígenas - Testes

“O que essa combinação faz é acelerar a produção de novas mitocôndrias, mas ao mesmo tempo as torna inativadas funcionalmente. Assim, novas mitocôndrias são incapazes de gerar ATP, a moeda da célula, é como fazer milhares de carros novos sem as peças necessárias do motor. Eles não funcionam”, explicou a Professora Sotgia.

A equipe enfatiza que sua combinação é barata, fácil e porque as dosagens de antibióticos são muito pequenas (1 μM), o método evita o problema potencial de resistência a antibióticos. A pesquisa foi bastante elogiada por especialistas no mundo inteiro e está entre os temas médicos mais comentados no twitter esta semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *