Estudo revela – O coração é quem regula o acúmulo de gordura no corpo!

Como enviar uma carta pelo correio ou um texto por uma rede celular, o coração pode gerar mensagens que percorrem longas distâncias pelo corpo. Essas mensagens acabam chegando às células de gordura, informando que o metabolismo está ficando comprometido e causando um acúmulo de gordura no corpo.

O Coração regula a gordura no corpo

Segundo uma nova pesquisa feita por cientistas da Escola de Medicina Lewis Katz da Universidade de Temple nos EUA, (LKSOM)…

“Já havia estudos e suspeitas da capacidade do coração para se comunicar diretamente com a gordura, mas o nosso estudo é o primeiro a fornecer evidências de de trocas reais de informações entre coração e o tecido adiposo que é regulado pela enzima, o receptor quinase acoplada à proteína G (GRK2)”, disse o DR Walter J. Koch, Presidente da Cátedra WW Smith em Medicina Cardiovascular e Presidente do Departamento de Farmacologia e Diretor do Centro de Medicina Translacional da LKSOM.

As descobertas podem ter implicações na modulação do ganho de peso em pacientes com insuficiência cardíaca, uma condição que surge quando o coração já não consegue bombear sangue através do corpo.

No artigo, publicado online na revista JCI Insight, Koch e colegas mostram que o coração depende de um mensageiro cardíaco específico, a enzima de sinalização GRK2, para transmitir informações sobre o metabolismo para as células de gordura.

“Sinalização GRK2 no coração efetivamente regula o acúmulo de gordura no corpo, através deste caminho, o coração ‘fala’ para a gordura e altera a forma como a gordura reage a certas condições”, disse o Dr. Koch.

Coração e a Gordura no corpo

Os pesquisadores realizaram sua investigação em camundongos com atividade de GRK2 inibida no coração. Quando alimentados com uma dieta rica em gordura, camundongos inibidos por GRK2 acumularam significativamente mais gordura do que seus irmãos com expressão normal de GRK2. O experimento foi repetido em camundongos com GRK2 superexpresso no coração, mimetizando o aumento de GRK2 que ocorre na insuficiência cardíaca em humanos. Quando receberam uma dieta rica em gordura, esses ratos ganharam menos peso corporal em comparação com seus irmãos normais.

Agora sabendo exatamente como o coração se comporta ao receber uma quantidade maior de gordura, é possível criar mecanismos que regulem a gordura no corpo, especialmente em indivíduos que possuem pré disposição ao sobrepeso.

Os estudos também serão analisados para o uso em diabéticos e pessoas com pressão alta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *