Descoberta! Células do corpo são conectadas como chips de computador!

As células do corpo são conectadas como chips de computador para direcionar sinais que instruem como funcionam. Ao contrário de uma placa de circuito fixo, entretanto, as células podem religar rapidamente suas redes de comunicação para mudar seu comportamento.

Nova descoberta sobre as células do corpo

A descoberta dessa teia inteligente de células do corpo, transforma nossa compreensão de como as instruções se espalham em torno de uma célula em sua cabeça. Pensou-se até agora, que os vários órgãos e estruturas dentro de uma célula flutuam em um mar aberto chamado citoplasma.

Sinais que dizem à célula o que fazer foram pensados ​​para serem transmitidos em ondas e a frequência das ondas era a parte crucial da mensagem.

Agora, Pesquisadores da Universidade de Edimburgo descobriram que a informação é transportada através de uma rede de fios-guia que transmitem sinais através de pequenas distâncias nanométricas. É o movimento de moléculas carregadas através dessas minúsculas distâncias que transmitem informações, assim como em um microprocessador de computador, dizem os pesquisadores.

Esses sinais localizados são responsáveis ​​por orquestrar as atividades da célula, como instruir as células musculares a relaxar ou contrair.

Quando esses sinais atingem o material genético no coração da célula, chamado núcleo, eles instruem mudanças minuciosas na estrutura que liberam genes específicos para que possam ser expressos.

Essas mudanças na expressão gênica alteram ainda mais o comportamento da célula. Quando, por exemplo, a célula se move de um estado estacionário para uma fase de crescimento, a teia é completamente reconfigurada para transmitir sinais que ativam os genes necessários ao crescimento.

Os benefícios desta informação para a medicina

Os pesquisadores dizem que entender o código que controla esse sistema de fiação poderia ajudar a entender doenças como a hipertensão pulmonar e o câncer, e um dia abrir novas oportunidades de tratamento.

A equipe fez sua descoberta estudando o movimento das moléculas de cálcio carregadas dentro das células, que são as principais mensagens que levam instruções dentro das células.

células do corpo conectadas como chips

Usando microscópios de alta potência, eles puderam observar a rede de fiação com a ajuda de técnicas de computação semelhantes àquelas que permitiram a obtenção da primeira imagem de um buraco negro.

Os cientistas dizem que suas descobertas são um exemplo de biologia quântica – um campo emergente que usa mecânica quântica e química teórica para resolver problemas biológicos.

O Professor Mark Evans, do Centro para Descoberta de Ciências Cerebrais da Universidade de Edimburgo, disse ao 4Medic: “Descobrimos que a função celular é coordenada por uma rede de nanotubos, semelhante aos nanotubos de carbono que você encontra em um microprocessador de computador. O mais surpreendente é que esse circuito é altamente flexível, pois essa rede pode se reconfigurar rapidamente para fornecer saídas diferentes de uma maneira determinada pela informação recebida e transmitida do núcleo. Isso é algo que nenhum microprocessador feito pelo homem ou placas de circuito ainda são capazes de alcançar”.

O estudo foi publicado e está disponível online na revista cinetífica Nature Communications.

4Medic

4Medic

4Medic é uma empresa especializada em gestão de clinicas e consultórios médico. Que fornece diariamente notícias sobre a área de saúde em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *