Novo estudo pode explicar como o câncer de pulmão se espalha!

Dois estudos, publicados na prestigiada revista científica Cell, abrem caminho para novas estratégias terapêuticas para o câncer de pulmão.

Nova compreensão do Câncer de pulmão

É um fato conhecido que as células cancerígenas, devido ao seu metabolismo especial, estão expostas ao estresse oxidativo causado pelos radicais livres de oxigênio. Também é bem conhecido que as células cancerosas são caracterizadas pela alta absorção e uso de glicose, e que este é um dos muitos fatores que governam sua capacidade de dividir e metastatizar. Estudando camundongos e tecidos humanos, duas equipes de pesquisa independentes descobriram agora como essas circunstâncias interagem quando as células cancerosas metastizam para outras partes do corpo.

O processo começa quando as células cancerígenas reduzem seu estresse oxidativo, o que pode acontecer de duas maneiras: as células cancerígenas podem obter antioxidantes, como as vitaminas A, C ou E, da dieta ou sintetizar os seus. Em cerca de um em cada três casos de câncer de pulmão, as células tumorais têm mutações especiais ligadas aos genes NRF2 e KEAP1 que lhes permitem começar a produzir seus próprios antioxidantes.

É quando o estresse oxidativo diminui que ocorre o processo fundamental da nova descoberta: a proteína BACH1 é estabilizada e se acumula nas células cancerígenas. Essa proteína pressiona vários botões de partida na célula cancerosa, o que estimula mecanismos de metástase, incluindo um que ordena que a célula cancerosa aumente tanto o metabolismo da glicose como o combustível celular e o ácido lático, quanto o armazenamento de glicose da corrente sanguínea. A taxa mais alta de uso de glicose aumenta a capacidade das células cancerígenas se espalharem.

“Não há nada que sugira, no entanto, que a quantidade de glicose no sangue tenha algo a ver com isso; em vez disso, é a capacidade das células tumorais de usar glicose que é essencial para a aceleração da metástase”, diz Martin Bergo, professor do Departamento de Biociências e Nutrição do Karolinska Institutet, na Suécia, que liderou o estudo sueco juntamente com a Dra Cltilde Wiel.

Câncer de Pulmão - Dr Martin Bergo
Dra Clotilde Wiel e Dr Martin Bergo, professores do Departamento de Biociências e Nutrição do Karolinska Institutet, na Suécia. Foto: Ulf Sirborn Crédito: Ulf Sirborn

O câncer de pulmão é a principal causa de mortes relacionadas ao câncer em todo o mundo. O aspecto mais letal do câncer é a metástase. “Agora temos novas informações importantes sobre a metástase do câncer de pulmão, tornando possível para nós desenvolver novos tratamentos, como aqueles baseados na inibição do BACH1, neste presente estudo, mostramos que a metastatização agressiva induzida por antioxidantes pode ser bloqueada pela interrupção da produção de BACH1 ou pelo uso de drogas que suprimem a quebra do açúcar. Nossos colegas americanos mostram como inibir outra enzima, a heme oxigenase que está ligada para BACH1, que também pode conter o processo de metástase”, diz o professor Bergo.

O estudo sueco foi realizado no Karolinska Institutet e na Universidade de Gotemburgo, enquanto o estudo americano foi realizado na Universidade de Nova York. Os estudos foram publicados na revista Cell.

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.