Aspirina pode aumentar o risco de sangramento gastrointestinal em idosos

Muitas pessoas tomam aspirina rotineiramente para prevenir eventos vasculares. No entanto, faltam dados sobre a incidência de hemorragia gastrointestinal e risco adicional na população em geral, especialmente entre os idosos.

Definições inconsistentes, a falta de exploração de outros fatores de risco fora dos fatores de risco vasculares tradicionais e o relato seletivo do local e da gravidade do sangramento também têm dificultado o conhecimento sobre a epidemiologia do sangramento.

De acordo com os resultados do ensaio ASPREE (Aspirin in Reducing Events in the Elderly), o uso de aspirina profilática em baixas doses aumentou o risco de sangramento gastrointestinal em quase 60% em pessoas com 70 anos ou mais.

Enquanto o risco absoluto de 5 anos de sangramento grave foi modesto 0,25% (IC 95% 0,16-0,37) para uma pessoa de 70 anos que não tomava aspirina, o risco aumentou para 5,03% (IC 95% 2,56-8,73) para um usuário de aspirina de 80 anos que tinha fatores de risco adicionais, relatou Suzanne Mahady, MD, da Monash University em Melbourne, Austrália e colegas no Gut.

Como o estudo foi conduzido

O ASPREE foi conduzido de 2010 a 2017 em 19.114 pacientes residentes na comunidade dos EUA e da Austrália com 70 anos ou mais e foi projetado para abordar a falta de dados de ensaio robustos sobre sangramento gastrointestinal significativo em pessoas idosas em baixas doses de aspirina com revestimento entérico.

Os pesquisadores calcularam a incidência, os fatores de risco e o risco absoluto, com o desfecho de sangramento GI importante envolvendo transfusão, hospitalização, cirurgia ou morte, conforme determinado independentemente por dois médicos do estudo.

Durante um acompanhamento médio de 4,7 anos (88.389 pessoas-ano), houve 264 eventos de sangramento GI clinicamente significativos: 137 sangramentos GI superiores em 89 de 9.525 usuários de aspirina e 48 de 9.589 receptores de placebo, para uma razão de risco de 1,87 (95 % CI 1,32-2,66, P <0,01). As taxas de eventos foram de 2,1 por 1.000 pessoas-ano e 1,1 por 1.000 pessoas-ano, respectivamente.

Além disso, houve 127 sangramentos GI inferiores no geral, 73 e 54 nos braços de aspirina e placebo, respectivamente (HR 1,36, IC de 95% 0,96-1,94, P = 0,08). As taxas de eventos foram 1,7 e 1,3 por 1.000 pessoas-ano nos grupos de aspirina e placebo.

Os pesquisadores identificaram vários fatores de risco que aumentaram o risco de sangramento gastrointestinal, incluindo idade avançada, tabagismo, hipertensão, obesidade troncular, doença renal crônica e uso de antiinflamatórios não esteroides.

Além do risco aumentado de 5% observado em usuários de aspirina de 80 anos, a presença de fatores de risco conhecidos além do uso de aspirina também aumentou o risco de sangramento gastrointestinal para 2,26% para os de 70 anos.

Não houve aumento na taxa de sangramento fatal no grupo da aspirina, mas ocorreram dois sangramentos fatais no do placebo. A doença renal crônica estágio 3 ou superior, que afetou 25% da população do estudo na entrada, foi associada a um risco geral de sangramento 46% maior.

Conclusão dos autores

As limitações do estudo incluíram a exclusão de indivíduos com um episódio anterior de sangramento importante ou com alto risco de sangramento.

Além disso, a incerteza em torno das estimativas pontuais para o risco absoluto ilustrado pelo alargamento dos intervalos de confiança na presença de mais fatores de risco refletiu poder estatístico insuficiente. Futuras meta-análises de eventos hemorrágicos de estudos podem fornecer maior precisão.

Outro ponto importante, notaram Mahady e equipe, é que não foi possível determinar o status do Helicobacter pylori, o que pode ter sido útil para analisar sangramentos gastrointestinais superiores.

Finalmente, a definição restritiva de sangramento grave excluiu eventos de sangramento nasal e nasofaríngeo que podem ter sido de grande preocupação para os pacientes, mas não resultaram em hospitalização.

___________________________

O estudo original foi publicado no Gut

* “Major GI bleeding in older persons using aspirin: incidence and risk factors in the ASPREE randomised controlled trial” – 2020

Autores do estudo: Suzanne E Mahady, Karen L Margolis, Andrew Chan, Galina Polekhina, Robyn L Woods, Rory Wolfe, Mark R Nelson, Jessica E Lockery, Erica M Wood, Christopher Reid, Michael E Ernst, Anne Murray, LTP Thao, John J McNeil – 10.1136/gutjnl-2020-321585

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.