Ácido 5-aminossalicílico no tratamento de colite ulcerativa

O que é colite ulcerosa e ácido 5-aminossalicílico (5-ASA)?

A colite ulcerativa é uma condição que causa inflamação do intestino grosso (cólon). Alguns dos sintomas associados à colite incluem diarreia, dor abdominal, dor retal, sangramento retal, perda de peso, fadiga e febre.

A sulfassalazina (SASP) tem sido usada no tratamento da colite ulcerativa há décadas. SASP é composto de ácido 5-aminossalicílico (5-ASA) ligado a uma molécula de enxofre. Até um terço das pessoas tratadas com SASP relataram efeitos colaterais, que acredita que estejam relacionados à parte de enxofre da molécula.

Os efeitos colaterais comuns associados ao SASP incluem náusea, indigestão, dor de cabeça, vômito e dor abdominal. Os medicamentos 5-ASA foram desenvolvidos para evitar os efeitos colaterais associados ao SASP. O 5-ASA é comumente tomado por via oral.

O que os pesquisadores investigaram?

Os pesquisadores examinaram se o 5-ASA oral ajuda a causar remissão em pessoas com colite. Os autores fizeram uma análise para entender se o 5-ASA oral era melhor do que o placebo (um medicamento falso) ou uma formulação diferente de 5-ASA.

Critério de seleção

Foram considerados ensaios clínicos randomizados (RCTs), incluindo adultos (com 18 anos ou mais) com colite ulcerativa ativa para inclusão. Além disso, foram incluídos estudos que compararam a terapia oral de 5-ASA com placebo, SASP ou outras formulações de 5-ASA.

Os autores também acrescentaram estudos que compararam a dosagem de uma vez ao dia com a dosagem convencional, bem como estudos de variação de dose.

Coleta e análise de dados

Os resultados incluem falha em induzir remissão global/clínica, melhora global/clínica, remissão endoscópica, melhora endoscópica, adesão, eventos adversos (EAs), eventos adversos graves, retiradas devido a EAs e retiradas ou exclusões após a entrada.

Foram estudadas cinco comparações: 5 ‐ ASA versus placebo, 5‐ASA versus sulfassalazina, dosagem uma vez ao dia versus dosagem convencional, 5‐ASA (por exemplo, MMX mesalamina, Ipocol, Balsalazida, Pentasa, Olsalazina e micropéletes 5‐ASA) versus comparador 5‐ASA (por exemplo, Asacol, Claversal, Salofalk) e variação de dose 5-ASA. Foi realizado o cálculo da razão de risco (RR) e intervalo de confiança de 95% (IC 95%) para cada resultado.

Os autores também analisaram os dados com base na intenção de tratar e usamos o GRADE para avaliar a certeza geral das evidências.

Principais resultados encontrados

A revisão do estudo inclui 54 ensaios clínicos randomizados com um total de 9.612 pessoas participando. Todos eles foram publicados até o mês de junho de 2019.

O 5-ASA oral foi considerado mais eficaz do que o placebo (medicamento falso). Embora as drogas 5-ASA orais sejam eficazes para o tratamento de colite ativa, elas não são mais eficazes do que a terapia com SASP.

Pessoas que tomam 5-ASA têm menos probabilidade de apresentar efeitos colaterais do que aqueles que tomam SASP. Os efeitos colaterais associados ao 5-ASA são geralmente de natureza moderada e os efeitos colaterais comuns incluem sintomas do trato digestivo (por exemplo, flatulência, dor abdominal, náusea e diarreia), dor de cabeça e piora da colite ulcerativa.

Os compostos 5-ASA são mais caros do que o SASP, portanto, o SASP pode ser a opção preferida onde o custo é um fator importante. O 5-ASA administrado uma vez ao dia parece ser tão eficaz quanto o 5-ASA administrado da forma usual (duas ou três vezes ao dia). Não parece haver nenhuma diferença na eficácia ou segurança entre as várias formulações de 5-ASA.

Conclusão dos autores

A evidência de alta certeza sugere que o 5-ASA é superior ao placebo e que a administração da dose uma vez ao dia tem a mesma eficácia e segurança que a dose convencional de 5-ASA. A evidência de certeza moderada também sugere que o 5-ASA não é superior ao SASP.

Manter a medicação não parece melhorar com a dosagem uma vez ao dia em comparação com a dosagem convencional. Por último, pode haver pouca ou nenhuma diferença na eficácia ou segurança entre as várias formulações de 5-ASA.

Há evidências de alta certeza de que o 5-ASA é superior ao placebo e evidências de certeza moderada de que o 5-ASA não é mais eficaz do que SASP. Considerando os custos relativos, uma vantagem clínica de usar 5-ASA oral no lugar de SASP parece improvável.

________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Oral 5‐aminosalicylic acid for induction of remission in ulcerative colitis” – 2020

Autores do estudo: Alistair Murray, Tran M Nguyen, Claire E Parker, Brian G Feagan, John K MacDonald – 10.1002/14651858.CD000543.pub5

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.