Droga para malária eficaz no tratamento de câncer de cabeça e pescoço!

Cientistas da Universidade de Birmingham descobriram que um medicamento antimalárico era eficaz no tratamento de câncer de cabeça e pescoço em ratos.

Quinacrina no tratamento de câncer de cabeça e pescoço

A droga quinacrina foi usada extensivamente para prevenir e tratar a malária em soldados que lutavam em áreas repletas de mosquitos durante a Segunda Guerra Mundial. É semelhante ao quinino que faz a água tônica brilhar, tem efeitos colaterais mínimos e agora é usado no tratamento de infecções por parasitas e outras condições.

A cada ano, milhares de pessoas são diagnosticadas com câncer de cabeça e pescoço no mundo. O tratamento atual depende muito de cirurgia debilitante e quimioterapia tóxica, mas, apesar disso, o resultado é ruim, com três a sete em cada 10 pessoas sobrevivendo à doença por cinco anos ou mais.

A droga, a quinacrina, foi testada através de vários métodos, incluindo culturas celulares, em biópsias de tumores de pacientes com câncer de cabeça e pescoço e em camundongos. Os resultados mostram que em ratos a quinacrina pode tornar a quimioterapia padrão mais eficaz – sugerindo que uma dose mais baixa pode ser usada, reduzindo os efeitos colaterais tóxicos.

Os resultados também mostraram que o medicamento é eficaz na redução do crescimento de células cancerígenas cultivadas em laboratório e em tumores.

Significativamente, a pesquisa em camundongos mostrou uma terapia combinada de quinacrina e quimioterapia, e assim permitiu que a dose de quimioterapia fosse reduzida pela metade, mantendo o mesmo comprometimento do crescimento do tumor.

A principal autora, Dra. Jennifer Bryant, do Instituto de Estudos e Educação de Cabeça e Pescoço da Universidade de Birmingham, disse: “Esta é uma pesquisa importante em laboratório e demonstra o real potencial do reaproveitamento de medicamentos. A equipe agora procura traduzir essas descobertas em um ensaio clínico para pacientes com câncer de cabeça e pescoço”.

O autor correspondente, Professor Hisham Mehanna, diretor do Instituto de Estudos e Educação de Cabeça e Pescoço da Universidade de Birmingham e consultor chefe de cirurgião de pescoço e tireóide da University Hospitals Birmingham NHS Foundation Trust, disse que o reaproveitamento de medicamentos é particularmente interessante devido à segurança conhecida em humanos e baixo custo, o que significa que eles podem ser rapidamente traduzidos do laboratório para a clínica.

Droga para malária mostrou ser eficaz no tratamento de câncer de cabeça e pescoçoEle acrescentou: “Os pacientes com câncer de cabeça e pescoço têm opções limitadas de tratamento, frequentemente associadas a efeitos colaterais graves e potencialmente fatais, e é importante, portanto, que encontremos tratamentos diferentes. Minha equipe desenvolveu uma plataforma de reaproveitamento de medicamentos denominada “Accelera TED”, que avalia medicamentos que tratam outras condições não cancerígenas e foram aprovados pelas agências de saúde por serem eficazes agentes contra o câncer de cabeça e pescoço. Esta pesquisa é um exemplo do sucesso que estamos tendo no laboratório por meio dessa plataforma na identificação de medicamentos promissores que podem ser candidatos a serem usados ​​em pacientes na clínica”.

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista científica Oncotarget.

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.