Poluição do ar pode resultar em taxas mais elevadas de mortalidade

Um aumento de curto prazo na poluição do ar por dióxido de nitrogênio pode estar relacionado a um aumento nas taxas de mortalidade locais no dia seguinte, mostraram os pesquisadores em um grande estudo internacional.

Em 398 cidades (localizadas principalmente nos EUA, Europa e Ásia), cada aumento de 10 μg/m3 na concentração de NO2 no nível do solo foi associado a aumentos na mortalidade no dia seguinte que persistiram após o ajuste para outros poluentes atmosféricos:

  • Mortalidade total de até 0,46%
  • Mortalidade cardiovascular de até 0,37%
  • Mortalidade respiratória até 0,47%

As curvas de concentração-resposta, baseadas em dados de 1973 a 2018, foram quase lineares, sem limite mínimo para danos, relatou Haidong Kan, MD, PhD, da Fudan University em Xangai, e colegas em um estudo epidemiológico publicado online no The BMJ.

“Este resultado sugere que o NO2 está associado a riscos consideráveis ​​para a saúde, mesmo em níveis abaixo dos padrões e diretrizes de saúde, incluindo as diretrizes atuais de qualidade do ar da OMS”, escreveu o grupo.

As cidades que participaram do estudo tiveram uma concentração média anual de dióxido de nitrogênio de 26,9 μgk/m3. A OMS estabelece uma meta de 40 μg/m3 na concentração média anual de NO2 nas diretrizes de qualidade do ar.

O dióxido de nitrogênio ambiente vem principalmente das emissões de veículos e usinas de energia. A Agência de Proteção Ambiental dos EUA concluiu em 2016 que há uma relação causal entre a exposição de curto prazo ao NO2 e os efeitos respiratórios, evidências foram consideradas insuficientes para culpar a exposição pela mortalidade total e efeitos cardiovasculares, no entanto.

“Nossas descobertas desta análise de múltiplos locais adicionam à evidência de apoio para associações causais entre a exposição a curto prazo ao NO2 e desfechos não respiratórios”, escreveram Kan e colegas.

“Embora a redução de NO2 a zero seja inviável, nossa análise fornece uma visão sobre os benefícios para a saúde pública de reduções substanciais de NO2, sugerindo benefícios consideráveis ​​para a saúde de um controle mais rígido das emissões de NO2 e do aperto dos limites regulamentares de NO2 em futuras revisões da qualidade do ar das diretrizes da OMS”, observaram.

Para seu estudo epidemiológico, os pesquisadores utilizaram a Rede de Pesquisa Colaborativa de Vários Países e Cidades. Os dados de mortalidade, obtidos das autoridades locais de cada país, capturaram 62,8 milhões de mortes no total de 1973 a 2018.

O fato de a maioria dos dados ter sido obtida de áreas desenvolvidas selecionadas impediu a generalização global das descobertas, alertou a equipe de Kan.

Além disso, seu banco de dados estava sujeito a erros de classificação e codificação de exposição em potencial.

_______________________

O estudo original foi publicado no The BMJ

* “Short term associations of ambient nitrogen dioxide with daily total, cardiovascular, and respiratory mortality: multilocation analysis in 398 cities” –

Autores do estudo: Xia Meng, Cong Liu, postdoctoral researcher, Renjie Chen, Francesco Sera, Ana Maria Vicedo-Cabrera, Ai Milojevic, Yuming Guo, Shilu Tong, Micheline de Sousa Zanotti Stagliorio Coelho, Paulo Hilario Nascimento Saldiva, Eric Lavigne, Patricia Matus Correa, Nicolas Valdes Ortega, Samuel Osorio, Garcia, Jan Kyselý, Aleš Urban, Hans Orru, Marek Maasikmets, Jouni J K Jaakkola, Niilo Ryti, Veronika Huber, Alexandra Schneider, Klea Katsouyanni, Antonis Analitis, Masahiro Hashizume, Yasushi Honda, Chris Fook Sheng Ng, Baltazar Nunes, João Paulo Teixeira, Iulian Horia Holobaca, Simona Fratianni, Ho Kim, Aurelio Tobias, Carmen Íñiguez, Bertil Forsberg, Christofer Åström, Martina S Ragettli, Yue-Liang Leon Guo, Shih-Chun Pan, Shanshan Li, Michelle L Bell, Antonella Zanobetti, Joel Schwartz, Tangchun Wu, Antonio Gasparrini, Haidong Kan – 10.1136/bmj.n534

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.