Estudos mostram que Perda Auditiva está Vinculada à Depressão!

Idosos com perda auditiva podem ser mais propensos para desenvolver sintomas de depressão do que outros sem dificuldades, sugere uma revisão de pesquisa.

Revisando os estudos sobre Perda auditiva e Depressão

Globalmente, mais de 1,3 bilhões de pessoas vivem atualmente com algum tipo de perda auditiva, e espera-se que este número aumente com o envelhecimento da população, observa a equipe do estudo em The Gerontologist. Cerca de 13% dos adultos de 40 a 49 anos têm perda de audição, assim como 45% das pessoas de 60 a 69 anos, e 90% dos adultos com 80 anos ou mais, escrevem os autores.

Para avaliar a conexão entre perda auditiva e depressão, os pesquisadores analisaram dados de 35 estudos anteriores, com um total de 147.148 participantes com pelo menos 60 anos de idade.

Em comparação com pessoas sem perda auditiva, os idosos com alguma forma de surdez foram 47% mais propensos a ter sintomas de depressão, segundo o estudo.

“Sabemos que os idosos com perda auditiva frequentemente se afastam de ocasiões sociais, como eventos familiares porque têm dificuldade em entender os outros em situações ruidosas, o que pode levar à solidão emocional e social”, disse o principal autor do estudo, Blake Lawrence. Professor da Universidade da Austrália Ocidental, em Crawley.

A conexão entre perda auditiva e depressão não parece ser influenciada por pessoas que usaram aparelhos auditivos, o estudo também descobriu. Uma limitação da análise é que incluiu estudos com uma ampla variedade de métodos para avaliar a perda auditiva e sintomas de depressão.

Perda-auditiva-e-depressão

Ainda assim, os resultados da análise acrescentam evidências sugerindo que existe uma ligação entre perda auditiva e depressão. Primeiro, a perda de audição prejudica a comunicação e influencia o equilíbrio, o que pode levar ao isolamento social e à diminuição da atividade física que, por sua vez, resultam em depressão.

A perda auditiva também pode causar zumbido, ou toque percebido ou zumbido no ouvido, que pode ser especialmente debilitante em alguns casos e contribuir para a depressão.

Além disso, a perda de audição pode desencadear mudanças no cérebro que contribuem para a depressão.

“Quando sentimos perda auditiva, isso também significa que estamos enviando um sinal auditivo mais fraco para nossos cérebros para processamento, este sinal fraco pode significar que nossos cérebros têm que entrar em overdrive para entender o som (ou seja, fala), que pode vir à custa de outro processo neural (ou seja, memória de trabalho). Além disso, o sinal fraco pode causar certas áreas neurais e caminhos para reorganizar, o que poderia mudar a forma como o nosso cérebro, incluindo aspectos que regulam a depressão, funcionam.” disse David Loughrey, pesquisador do Instituto Global de Saúde do Cérebro no Trinity College em Dublin.

4Medic

4Medic

4Medic é uma empresa especializada em gestão de clinicas e consultórios médico. Que fornece diariamente notícias sobre a área de saúde em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *