Número de mortes por Covid-19 passa de 100 mil no mundo!

O número de mortes por Covid-19 no mundo chegou a 100.000, enquanto cristãos em todo o mundo marcavam uma sexta-feira diferente de qualquer outra – diante das telas de computadores em vez de nos bancos das igrejas –  alguns países foram na contramão e permitiram que seus cidadão saíssem de casa.

Número de mortes por Covid-19

As autoridades de saúde pública alertaram as pessoas contra a violação das regras de distanciamento social durante a Páscoa que permitiram que o vírus aumentasse novamente. As autoridades recorreram ao uso de barreiras e outros meios para desencorajar as viagens.

Na Itália, as autoridades usaram helicópteros, drones e intensificaram os controles policiais para garantir que as pessoas não escapassem de suas casas durante o feriado. Somente na quinta-feira, a polícia parou cerca de 300.000 pessoas na Itália para conferir quem de fato precisavam viajar.

Algumas igrejas mantinham serviços virtuais online, enquanto outras organizavam orações em teatros drive-in. A Catedral de Notre Dame, voltou à vida brevemente em Paris, dias antes do primeiro aniversário do inferno de 15 de abril que a devastou. Os serviços foram transmitidos a partir da catedral quase vazia e fechada ao público.

O número de mortos mantido pela Universidade Johns Hopkins se aproximou de outro triste marco, embora se acredite que o número real de vidas perdidas seja muito maior por causa de testes limitados, regras diferentes para contar os mortos e encobrimentos de alguns governos, o número confirmado de infectado foi superior a 1,6 milhões de pessoas.

Estados Unidos

Nos EUA, o número de mortes ultrapassou 17 mil, com quase a metade no estado de Nova York. Ainda assim, havia sinais de esperança. O estado de Nova York registrou 777 novas mortes, um pouco abaixo do dia anterior, totalizando mais de 7.800. E o governador Andrew Cuomo disse que as hospitalizações estão diminuindo e o número de pessoas em terapia intensiva caiu.

“Há uma luz no fim do túnel. Está melhorando, mas não é do dia para noite que vamos superar esta crise de saúde. Acho que continuará diminuindo lentamente nas próximas semanas e meses”, disse o Dr. Jolion McGreevy, diretor médico do departamento de emergência do Hospital Mount Sinai em Nova Yorque.

Com as economias em decadência, o chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou que a economia global está caminhando para a pior recessão desde a Depressão de 1930.

Europa

Na Europa, os 19 países que usam a moeda do euro venceram semanas de amargas divisões para concordar em gastar 550 bilhões para amortecer a recessão causada pelo vírus. Mario Centeno, que chefia o grupo de ministros de finanças da zona do euro, classificou o pacote de “totalmente sem precedentes”.

À medida que semanas de bloqueios eram prolongados país após país, os governos eram pressionados a aliviar as restrições sobre os principais negócios e indústrias.

Após um congelamento de duas semanas em todas as atividades econômicas não essenciais, a Espanha decidiu permitir que fábricas e canteiros de obras retomassem o trabalho na segunda-feira, enquanto as escolas, a maioria das lojas e escritórios permanecerão fechados. As autoridades espanholas disseram acreditar que a mudança não causará um aumento significativo de infecções.

As 605 novas mortes anunciadas na Espanha foram as mais baixas em mais de duas semanas. O coronavírus já matou mais de 15.800 vidas lá, embora as taxas de contágio e mortes estejam caindo.

“Não os adotaríamos de outra maneira”, disse María José Sierra, do centro de emergência sanitária da Espanha.

Na Itália, os lobbies industriais em regiões que representam 45% da produção econômica do país instaram o governo a diminuir seu bloqueio de duas semanas em todas as manufaturas não essenciais, dizendo que o país “corre o risco de desligar definitivamente seu próprio motor e todos os dias que passa o risco cresce para não poder reiniciá-lo”.

A Grã-Bretanha registrou mais de 900 novas mortes, totalizando quase 9.000.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson foi retirado dos cuidados intensivos na quinta-feira depois de passar três noites em tratamento com o vírus. O homem de 55 anos permaneceu hospitalizado em Londres. Seu pai, Stanley Johnson, disse que o primeiro-ministro precisa “descansar” antes de voltar ao trabalho.

No resto do mundo

O primeiro-ministro da Malásia anunciou uma extensão de duas semanas ao bloqueio do país, mas disse que setores econômicos selecionados podem reabrir em fases, seguindo regras rígidas de higiene.

Na capital queniana de Nairóbi, pessoas desesperadas por comida saíam correndo, atravessando um portão de um escritório do distrito na favela de Kibera. A polícia disparou gás lacrimogêneo, ferindo várias pessoas. Pessoas foram filmadas brigando por restos de comida.

No Japão, terceira maior economia do mundo, muitos criticaram o primeiro-ministro Shinzo Abe por ser muito lento para agir contra a pandemia. Em uma rara repreensão, a prefeitura japonesa de Aichi, sede da montadora Toyota, declarou seu próprio estado de emergência, dizendo que não pode esperar pelo governo.

Número de mortes por Covid-19“A situação é crítica”, disse o governador de Aichi, Hideaki Omura. “Decidimos fazer todo o possível para proteger a vida e a saúde dos residentes de Aichi”.

O Japão tem a população mais antiga do mundo, e o COVID-19 pode ser especialmente sério para os idosos.

Brasil

O número de mortos por Civd-19 no Brasil ultrapassou os 20 mil casos e já contabilizou mais de mil mortos, somos o país com o menor número de testes e é possível que os casos sejam sub-notificados. A grande demora nos resultados dos testes impede as autoridades de tomar as melhores medidas de controle da pandemia. Infelizmente a população que aguarda por recursos para se manter em casa, precisa se expor saindo as ruas e aumentando o contágio.

É chegado a hora de levar a sério os riscos do coronavírus e tomar medidas mais efetivas que garantam no mínimo o funcionamento do sistema de saúde. A cada dia mais e mais denúncias chegam aos conselhos estaduais sobre falta de equipamentos e condições insalubres de trabalho.

Continuaremos acompanhando o número de mortes por Covid-19 e o avanço da pandemia, desejando a todos uma Feliz Páscoa!

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.