Dieta saudável pode não ser eficaz para pacientes com câncer colorretal

Um estudo prospectivo examinando as ligações entre a qualidade da dieta e a sobrevida de pacientes com câncer colorretal metastático (CCR) não encontrou nenhuma ligação entre a dieta no início do tratamento de primeira linha e a sobrevida global.

Para o estudo, Erin Van Blarigan, ScD, da University of California San Francisco, e colegas avaliaram questionários de “frequência alimentar validada” preenchidos por 1.284 de 2.334 pacientes (55,0%) com CCR metastático inscritos no Cancer and Leukemia Group B (Alliance)/Ensaio do Southwest Oncology Group 80405. Os resultados, publicados online no JAMA Network Open, não encontraram associação significativa na sobrevida geral e em qualquer um dos cinco padrões alimentares:

  • Índice alternativo de alimentação saudável (Alternative Healthy Eating Index [AHEI]), que é pontuado de 0 a 110 e é baseado em vegetais (exceto batatas), frutas, grãos inteiros, nozes e leguminosas, ácidos graxos n-3 de cadeia longa, ácidos graxos poli-insaturados, bebidas adoçadas e suco, carne vermelha e processada, gordura trans, sódio e bebidas alcoólicas
  • Dieta Mediterrânea Alternativa (Alternative Mediterranean Diet [AMED]), que é pontuada de 0 a 9 e é baseada em vegetais, frutas, nozes, grãos inteiros, legumes, peixes, proporção de gordura monoinsaturada para saturada, carne vermelha e processada e álcool
  • Dieta para conter a Hipertensão (Dietary Approaches to Stop Hypertension [DASH]), que é pontuada de 0 a 45 e é baseada em frutas, vegetais, nozes e leguminosas, laticínios com baixo teor de gordura, grãos inteiros, sódio, bebidas adoçadas, carnes vermelhas e processadas e doces e sobremesas
  • O padrão alimentar ocidental, caracterizado por maior ingestão de laticínios, grãos refinados, condimentos, carnes vermelhas e doces e sobremesas
  • O padrão alimentar prudente, caracterizado pela alta ingestão de vegetais, legumes e frutas

“Fazer mudanças no estilo de vida é difícil, especialmente quando você está lidando com diagnóstico e tratamento de câncer”, disse Van Blarigan ao MedPage Today. “Os pacientes podem querer concentrar sua energia em fazer mudanças que provavelmente serão úteis. Os dados sobre dieta e exercícios em pessoas com câncer colorretal metastático são muito limitados, mas as informações que temos agora sugerem que os pacientes devem realmente priorizar os exercícios durante e depois de seus tratamentos de câncer.”

A dieta aliada ao tratamento do CCR

No geral, nenhum dos escores ou padrões de dieta examinados foram associados à sobrevivência em CCR metastático, relataram os pesquisadores. “Observamos uma associação inversa entre o escore AMED e o risco de morte, mas as estimativas pontuais não foram estatisticamente significativas. Além disso, o padrão de dieta ocidental foi associado a uma sobrevida mais longa em indivíduos com tumores variantes KRAS, mas não aqueles com tumores de tipo selvagem.”

“Nenhuma das outras pontuações ou padrões de dieta foram associados com a sobrevivência, global ou em subgrupos, os resultados não mudaram quando os pacientes que morreram dentro de 90 dias após a administração do [questionário] foram excluídos”, observou a equipe.

Em um comentário, Cindy Kin, MD, MS, da Escola de Medicina da Universidade de Stanford, na Califórnia, apontou que, embora uma dieta ocidental, rica em carne vermelha e gorduras saturadas, tenha sido associada ao desenvolvimento de câncer colorretal, o novo estudo aborda a área menos estudada da qualidade da dieta e resultados em CCR, particularmente para aqueles com doença metastática.

“A maioria dos oncologistas fala sobre dietas saudáveis ​​para seus pacientes que estão ativamente em tratamento contra o câncer”, escreveu Kin. “O quão eficazes essas conversas são em afetar as mudanças reais de estilo de vida não está claro. Mais estudos são necessários para compreender as associações da dieta com os resultados durante e após o tratamento. Responder a esta pergunta é fundamental para formular intervenções dietéticas viáveis ​​para melhor apoiar esses pacientes durante o tratamento e para otimizar seus resultados.”

Van Blarigan também observou que estudos com medidas repetidas de dieta são necessários e apontou que a pesquisa de sua equipe analisou os padrões e pontuações dietéticas, que analisam muitos fatores da dieta juntos.

“Ainda é possível que fatores dietéticos específicos sejam importantes”, disse ela. “Por exemplo, nossa equipe relatou recentemente que os pacientes dessa mesma coorte que beberam café tiveram uma sobrevida mais longa em comparação com as pessoas que não bebiam café.”

Uma limitação, ela acrescentou, foi que o estudo incluiu principalmente pessoas que se identificaram como brancas não-latinas, então a pesquisa é necessária em populações com maior diversidade racial/étnica.

____________________________

O estudo original foi publicado no JAMA Network Open

* “Association of Diet Quality With Survival Among People With Metastatic Colorectal Cancer in the Cancer and Leukemia B and Southwest Oncology Group 80405 Trial” – 2020

Autores do estudo: Erin L. Van Blarigan, Sui Zhang, Fang-Shu Ou, Alan Venlo, Kimmie Ng, Chloe Atreya, Katherine Van Loon, Donna Niedzwiecki, Edward Giovannucci, Eric G. Wolfe, Heinz-Josef Lenz, Federico Innocenti, Bert H. O’Neil, James E. Shaw, Blase N. Polite, Howard S. Hochster, James N. Atkins, Richard M. Goldberg, Robert J. Mayer, Charles D. Blanke, Eileen M. O’Reilly, Charles S. Fuchs, Jeffrey A. Meyerhardt – 10.1001/jamanetworkopen.2020.23500

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.