Estudo comprova: Álcool durante a gravidez afeta o crescimento do Bebê!

O consumo de álcool durante a gravidez tem sido associado ao baixo crescimento da placenta, causando condições como restrição do crescimento fetal e baixo peso ao nascer. Embora a maioria das mulheres pare de beber depois de saber que estão grávidas, o efeito do álcool durante os estágios iniciais da gravidez, mesmo na época da concepção, era pouco compreendido.

Estudo mais completo sobre o uso do álcool durante a gravidez

Agora, a Dra Jacinta Kalisch-Smith, juntamente com a professora Karen Moritz, da Universidade de Queensland, na Austrália, investigou o impacto do consumo de álcool na placenta no início da gravidez. Eles mostram que o crescimento das placentas de ratos que consumiram álcool na época da concepção foi significativamente reduzido, fornecendo novas evidências de como as condições relacionadas à gravidez se desenvolvem. Esta pesquisa acaba de ser publicada na revista científica Development.

“Queríamos saber se a exposição precoce ao álcool poderia afetar o desenvolvimento do embrião inicial e da placenta. Usando ratos como cobaias, avaliamos a capacidade do embrião de implantar no útero e, mais tarde, quão bem vasos sanguíneos se formaram no útero – placenta”, explicou a Dra Kalisch-Smith.

Usando essa abordagem, os cientistas puderam estudar as mudanças que ocorreram durante a gravidez do rato e descobriram que mesmo a exposição precoce ao álcool (entre 4 dias antes e 4 dias após a fertilização) restringia o crescimento e a função da placenta.

“Descobrimos que a exposição precoce ao álcool reduziu a formação de vasos sanguíneos na placenta, e isso levou a menos nutrientes sendo entregues ao embrião”, disse a Dra Kalisch-Smith.

Surpreendentemente, as placentas de embriões femininos foram particularmente suscetíveis, com uma redução de até 17% no tamanho e uma queda de 32% na formação de vasos sanguíneos, limitando a capacidade da placenta de transportar nutrientes.

Álcool durante a gravidez - Placenta

“Isso tem implicações para a saúde humana, ajudando a explicar, em parte, por que os bebês expostos ao álcool no útero muitas vezes nascem pequenos, é importante entender as causas do baixo peso ao nascer , porque ele mostrou ser um fator de risco independente para doenças mais tardias na idade adulta, como diabetes tipo 2, hipertensão e obesidade”, concluiu a Dra Kalisch-Smith.

Essas observações fornecem uma base importante para pesquisas futuras sobre condições associadas à gravidez, como a restrição do crescimento fetal. A Dra Kalisch-Smith acrescentou: “A próxima parte deste projeto é ver se a suplementação de nutrientes pode reduzir ou mesmo prevenir os efeitos adversos da exposição ao álcool”.

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.