Abuso de álcool pode resultar em problemas cardiovasculares

A hipertensão arterial está associada a um aumento do risco de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e mortalidade. Beber demais aumenta o risco cardiovascular, ou seja o abuso da substância pode resultar em problemas cardíacos e vasculares. Alguns estudos confirmaram uma relação entre a ingestão de álcool e hipertensão.

Alguns estudos já avaliaram como a ingestão de álcool pode afetar a pressão arterial. No entanto, ainda não está claro se as intervenções para reduzir a ingestão de álcool também podem modificar a pressão arterial.

Objetivo da revisão

Os autores avaliaram se uma intervenção para reduzir a ingestão de álcool tem um impacto maior do que outros tipos de intervenções (ou nenhuma intervenção) na redução da pressão arterial em pessoas com pressão alta e consumo de álcool.

Critério de seleção

Foram incluídos ensaios clínicos randomizados com duração mínima de 12 semanas e incluindo 50 ou mais indivíduos por grupo com medição quantitativa do consumo de álcool e/ou medição biológica dos desfechos de interesse.

Os participantes eram adultos (16 anos de idade ou mais) com pressão arterial sistólica (PAS) maior que 140 mmHg e pressão arterial diastólica (PAD) maior que 90 mmHg, e PAS ≥130 ou PAD ≥80 mmHg em participantes com diabetes. A equipe adicionou qualquer intervenção implementada para reduzir a ingestão de álcool.

Coleta e análise de dados

Dois revisores avaliaram independentemente os resultados da pesquisa e extraíram os dados usando procedimentos metodológicos padrão adotados pela Cochrane.

Características do estudo

Os autores do estudo incluíram um ensaio com 269 participantes que foram acompanhados por 24 meses. Foram avaliados dados para identificar diferenças na pressão arterial, número de mortes e doenças graves entre um grupo de pessoas que recebem assistência psicológica para reduzir o consumo de álcool e pessoas que não recebem esse atendimento.

Principais resultados

Com base na informação limitada, embora os participantes que receberam assistência psicológica tenham sido capazes de reduzir a ingestão de álcool mais do que aqueles sem tal assistência, não foram identificadas diferenças no número de mortes, problemas cardíacos totais e problemas vasculares totais entre pessoas que recebem assistência psicológica a diminuir a ingestão de álcool e aqueles que não recebem essa ajuda.

Também não existem diferenças na redução da pressão arterial. Dados sobre qualidade de vida ou efeitos adversos graves não estavam disponíveis.

Certeza de evidência

A equipe localizou apenas um estudo relevante para responder à pergunta. A certeza da evidência deste único estudo incluído foi avaliada como sendo baixa a muito baixa.

Mais estudos de longo prazo precisam ser realizados para avaliar o efeito da redução da ingestão de álcool sobre a pressão arterial.

Implicações para a prática médica

De acordo com um corpo muito limitado de evidências de certeza baixa a muito baixa, embora uma maior redução na ingestão de álcool tenha sido observada com a intervenção ativa, não há nenhuma diferença nas pressões sanguíneas sistólica ou diastólica entre as intervenções ativas e de controle destinadas a reduzir a ingestão de álcool em adultos hipertensos.

Da mesma forma, os pesquisadores não encontraramdiferença na mortalidade geral, mortalidade cardiovascular e eventos cardiovasculares. Nenhum dado sobre eventos adversos graves ou qualidade de vida estava disponível para avaliação.

Implicações para a pesquisa científica

Há uma necessidade urgente de ensaios controlados randomizados adequados de longo prazo comparando o impacto das estratégias de redução da ingestão de álcool sobre a pressão arterial e os resultados clinicamente relevantes.

É importante que estudos futuros relatem desfechos clinicamente relevantes, incluindo eventos adversos graves e qualidade de vida.

O amplo acesso a relatórios de estudos clínicos, protocolos e dados individuais de pacientes melhorará a qualidade das revisões sistemáticas.

Autores e instituições públicas ou privadas são gentilmente chamados a colaborar compartilhando os resultados de seus estudos em benefício dos pacientes.

Conclusão dos autores

Uma intervenção para diminuir o consumo de álcool não resultou em diferenças na pressão arterial sistólica e diastólica quando comparada com uma intervenção controle, embora tenha havido uma redução na ingestão de álcool favorecendo a intervenção ativa.

Não foram encontradas diferenças para mortalidade geral, mortalidade cardiovascular ou eventos cardiovasculares. Nenhum dado sobre eventos adversos graves ou qualidade de vida estava disponível para avaliar. Ensaios clínicos randomizados adequados são necessários para fornecer evidências adicionais sobre essa questão específica.

___________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Alcohol intake reduction for controlling hypertension” – 2020

Autores do estudo: Acin MT, Rueda J-R, Saiz LC, Parent Mathias V, Alzueta N, Solà I, Garjón J, Erviti J – 10.1002/14651858.CD010022.pub2

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.