Pentoxifilina no tratamento de mulheres com endometriose

A endometriose é uma condição dolorosa em que o tecido semelhante ao endométrio (tecido semelhante ao revestimento do útero) cresce fora do útero, possivelmente afetando a capacidade da mulher de conceber. Estudos recentes apoiam a influência do sistema imunológico nesta doença.

A pentoxifilina é uma droga imunomoduladora que também possui atividade anti-inflamatória (redução da inflamação), que pode aliviar os sintomas da doença sem prevenir a ovulação.

Objetivo da revisão

Os autores revisaram a eficácia e a segurança do tratamento de mulheres

com endometriose conhecida com pentoxifilina para descobrir se melhora os sintomas de dor e os resultados de fertilidade. A pentoxifilina é um imunomodulador (uma substância que tem efeito no sistema imunológico) que pode oferecer uma abordagem alternativa para o tratamento dessa condição.

O objetivo foi comparar a pentoxifilina a nenhum tratamento ou placebo (tratamento simulado), outro tratamento médico ou tratamento cirúrgico.

Características do estudo

Foram incluídos 5 ensaios clínicos randomizados (estudos nos quais os participantes são aleatoriamente designados para um de dois ou mais grupos de tratamento) que compararam a pentoxifilina com placebo ou nenhum tratamento ou outro tratamento médico, em um total de 415 mulheres. A evidência é atual até 16 de dezembro de 2020.

Principais resultados

Não houve evidência suficiente para permitir quaisquer conclusões sobre a eficácia e segurança da pentoxifilina em termos de resultados de fertilidade e alívio da dor em mulheres com endometriose. Nenhum estudo relatou o desfecho primário da taxa de nascidos vivos ou eventos adversos (efeitos colaterais).

Pentoxifilina versus placebo

Não há certeza se a pentoxifilina afeta a taxa clínica de gravidez, a taxa de recorrência da endometriose ou a taxa de aborto quando comparada com o placebo. Dados sobre outros resultados estavam faltando.

Pentoxifilina versus nenhum tratamento

Não há certeza se a pentoxifilina afeta a dor geral em comparação com nenhum tratamento. Dados sobre outros resultados estavam faltando.

Não foi possível extrair dados de nenhum estudo comparando a pentoxifilina a outras terapias médicas, e não houve estudos comparando a pentoxifilina ao tratamento cirúrgico.

Qualidade da evidência

A qualidade geral da evidência foi muito baixa. As principais limitações nas evidências foram a falta de análise de intenção de tratar (uma avaliação de todas as pessoas que participam de um ensaio, com base no grupo ao qual foram inicialmente – e aleatoriamente – alocadas, independentemente de terem ou não abandonado, aderido totalmente ao tratamento ou mudado para um tratamento alternativo); falta de cegamento (o processo em que tanto as mulheres que participam do ensaio quanto a equipe de pesquisa são mantidas sem conhecimento do tratamento utilizado); e imprecisão (erro aleatório e pequeno tamanho de alguns estudos).

Conclusão dos autores

Nenhum estudo relatou o resultado primário de taxa de nascidos vivos. Devido às evidências muito limitadas, não há certeza dos efeitos da pentoxifilina na taxa de gravidez clínica, taxa de aborto ou dor geral.

Atualmente, não há evidências suficientes para apoiar o uso de pentoxifilina no tratamento de mulheres com endometriose em relação à subfertilidade e resultados de alívio da dor.

______________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

“Pentoxifylline for the treatment of endometriosis‐associated pain and infertility” – 2021

Autores do estudo: Grammatis AL, Georgiou EX, Becker CM – Estudo

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.