Encontrado tratamento mais seguro para a Leucemia Linfoblástica Aguda!

Uma equipe internacional de pesquisadores da VIB-KU Leuven, Bélgica, do Instituto de Demência do Reino Unido e do Children’s Cancer Institute, na Austrália, encontrou um tratamento mais seguro para um tipo específico de leucemia, a Leucemia Linfoblástica Aguda.

Tratamento novo e mais seguro para Leucemia Linfoblástica Aguda

T-ALL – abreviação de leucemia linfoblástica aguda de células T – é uma forma de câncer caracterizada pela presença de muitos glóbulos brancos imaturos. “T-ALL afeta principalmente crianças e é rapidamente fatal se não tratada. A quimioterapia atual é muito eficaz, mas provoca efeitos colaterais a longo prazo, por isso há uma necessidade urgente de terapias direcionadas menos tóxicas para esses pacientes jovens”, disse o especialista em leucemia,  Professor Jan Cools (VIB-KU Leuven).

Uma das vias biológicas frequentemente envolvidas na T-ALL é a sinalização de Notch. Esforços de pesquisa anteriores foram orientados para o bloqueio da enzima gama-secretase, que cliva e ativa Notch. Infelizmente, esses inibidores da gama-secretase mostraram-se muito tóxicos para uso clínico devido aos efeitos colaterais em uma variedade de tecidos saudáveis.

O Dr. Roger Habets e o Dr. Charles de Bock, co-autores do estudo, descobriram que a abundância relativa de duas versões diferentes de um complexo da gama-secretase era notavelmente diferente em células de leucemia versus células saudáveis. Esta descoberta levou-os a explorar se a inibição apenas desta versão específica do complexo se revelaria uma opção de tratamento mais segura.

É importante perceber que a gama-secretase é na verdade um complexo que consiste em quatro subunidades proteicas, duas das quais existem em versões muito diferentes.

Ensaios clínicos foram realizados com inibidores não-seletivos de amplo espectro que visam todas as diferentes versões do complexo igualmente. Queríamos explorar se a inibição de versões específicas poderia afinar o tratamento e reduzir os efeitos colaterais.” concluiu o Dr diz Bart.

“Vimos que direcionar apenas um tipo de complexo era eficaz e seguro em modelos de ratos e em células de leucemia de pacientes com Leucemia Linfoblástica Aguda, não só poderíamos impedir que a leucemia crescesse, como também não encontramos sinais de toxicidade que geralmente assola essa classe de drogas”, explica Roger Habets.

Leucemia Linfoblástica Aguda - Pesquisadores
Os autores do estudo incluem Charles de Bock (esquerda), Jan Cools, Roger Habets e Bart De Strooper.

O Dr Charles de Bock, que recentemente se mudou da Bélgica para iniciar seu próprio laboratório no Instituto do Câncer Infantil, na Austrália, está muito entusiasmado com a rápida tradução desta classe de medicamentos para a clínica: “Historicamente, esses tipos de drogas tiveram sucesso muito limitado. já que os pacientes não toleraram os efeitos colaterais em tecidos normais. Fornecemos a primeira prova de conceito de que o direcionamento seletivo de uma versão específica do complexo gama-secretase é eficaz e seguro, sugerindo o potencial dessa estratégia para a tradução”.

Os estudos foram publicados na íntegra na edição desta semana da revista Science Translational Medicin.

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.