Toxina botulínica para pacientes com distonia cervical

A distonia cervical, também chamada de torcicolo espasmódico, é um distúrbio que causa um posicionamento indesejado, incontrolável e frequentemente doloroso da cabeça.

É uma condição relativamente incomum (afetando 57 a 280 pessoas por milhão) que pode ser muito incapacitante e pode afetar negativamente a qualidade de vida de uma pessoa. Na maioria dos casos, a causa é desconhecida, nenhuma cura existe. Como a distonia cervical é normalmente um distúrbio de longa duração, ela requer tratamento de longa duração.

A toxina botulínica (TXB-A) é uma substância química natural poderosa que pode causar paralisia severa (incapacidade de se mover na parte do corpo onde é injetada) em animais e humanos.

Também pode ser usado para tratar muitas condições, em particular aquelas com contrações musculares involuntárias, como distonia cervical.

A toxina botulínica é administrada por injeções nos músculos que se contraem para produzir a maioria dos sintomas do distúrbio. Existem diferentes tipos de toxina botulínica, nem todas estão disponíveis para o tratamento de problemas de saúde. A TXB-A é geralmente considerado a primeira opção de tratamento na distonia cervical.

Objetivo da revisão

Os autores avaliaram a eficácia (redução da gravidade, incapacidade e dor) e segurança da toxina botulínica tipo A versus placebo (um medicamento simulado) em pessoas com posicionamento involuntário da cabeça, ou distonia cervical

Características do estudo

A equipe pesquisou a literatura médica até julho de 2020. Eles encontraram nove estudos que compararam o tratamento com BtA versus placebo e incluíram um total de 1144 participantes, com em média, um comprometimento moderado da doença.

Os participantes permaneceram na maioria dos estudos por 16 a 20 semanas após o tratamento.

A idade média das pessoas nos estudos era de 52,8 anos e elas apresentavam distonia cervical por uma média de 4,8 a 12,1 anos antes de participarem dos ensaios.

Sessenta e quatro por cento das pessoas nos estudos eram mulheres. Oito dos nove ensaios foram financiados por fabricantes de medicamentos com possíveis interesses nos resultados dos estudos.

Principais resultados

Os resultados mostram que uma única sessão de tratamento melhorou os sintomas de distonia cervical, incluindo dor, e as autoavaliações dos participantes.

No entanto, o risco de ter um evento desagradável ou indesejável, particularmente dificuldade para engolir, cansaço e fraqueza no pescoço, também aumentou. Apenas três estudos examinaram o impacto da toxina botulínica na qualidade de vida, sugerindo algum benefício do TXB-A.

Certeza na evidência

Há uma certeza moderada nas evidências de melhora geral e da dor e o risco de eventos indesejados. Há grande certeza na evidência de que os participantes relataram melhora autoavaliada e o risco de que os participantes não tolerassem o tratamento.

Para serem incluídos nos estudos, os participantes devem ter uma história de tratamento bem-sucedido com BtA.

Pessoas com certos tipos de distonia cervical, em particular os tipos que fazem a cabeça virar para trás ou para frente, não foram autorizados a participar nos estudos, sabe-se que não respondem tão bem ao tratamento com toxina botulínica. Portanto, as conclusões da revisão podem não se aplicar a todas as pessoas com distonia cervical.

Não podemos tirar conclusões sobre os efeitos de longo prazo do BtA para essa condição.

Conclusão dos autores

Os pesquisadores estão moderadamente certos na evidência de que uma única sessão de tratamento com TXB-A resultou em uma redução clinicamente relevante do comprometimento específico da distonia cervical e da dor, e altamente certos de que é bem tolerado, em comparação com o placebo.

Há evidências de certeza moderada de que as pessoas tratadas com TXB-A apresentam risco aumentado de desenvolver eventos adversos, principalmente disfagia, fraqueza no pescoço e fraqueza difusa ou cansaço.

Não há dados de ensaios clínicos randomizados que avaliem a eficácia e segurança de ciclos repetidos de injeção de BtA. Não há evidências de ECRs que nos permitam tirar conclusões definitivas sobre os intervalos e doses ideais de tratamento, a utilidade das técnicas de orientação para injeção, o impacto na qualidade de vida ou a duração do efeito do tratamento.

___________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Botulinum toxin type A therapy for cervical dystonia” – 2020

Autores do estudo: Filipe B Rodrigues, Gonçalo S Duarte, Raquel E Marques, Mafalda Castelão, Joaquim Ferreira, Cristina Sampaio, Austen P Moore, João Costa – 10.1002/14651858.CD003633.pub4

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.