Estudo global investiga as principais e reais causas da gagueira!

Os pesquisadores precisam de 3.000 gagos australianos para um estudo internacional que está procurando os genes no DNA humano que podem ser uma das principais causas da gagueira.

O maior estudo sobre as causas da gagueira

O maior estudo do gênero em gagueira tem como objetivo ajudar a desenvolver tratamentos que tenham como alvo as causas da gagueira e outros distúrbios da fala, e não apenas os sintomas. Especialistas da Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido, EUA e Holanda estão recrutando pessoas com sete anos de idade ou mais que gaguejam ou tenham histórico de gagueira no Genetics of Stuttering Study.

O Instituto de Pesquisa Médica Walter e Eliza Hall (WEHI), o Instituto de Pesquisa Infantil Murdoch (MCRI), o Instituto de Pesquisa Médica QIMR Berghofer, a Universidade Griffith e a Universidade de Melbourne estão coordenando o braço australiano do projeto global.

A investigadora principal do estudo, a professora Melanie Bahlo, da WEHI e da Universidade de Melbourne, diz que os participantes do ensaio irão contribuir para um esforço global para desvendar a genética da gagueira. Isso poderia levar a um melhor tratamento e até mesmo à prevenção do distúrbio de fala, que afeta um em cada 100 adultos australianos.

“Muitos tratamentos para distúrbios de fala e linguagem concentram-se apenas nos sintomas, sem ter como alvo a causa subjacente do problema. Aprender mais sobre a base genética e neurobiológica dos distúrbios de fala e linguagem nos ajudará a identificar quem pode estar em risco e nos permitirá desenvolver tratamentos mais direcionados”, diz Bahlo.

Bahlo diz que a gagueira emerge tipicamente entre dois e quatro anos de idade, depois que as crianças começam a falar.

“Globalmente, cerca de 4% das crianças experimentam uma fase em que prolongam as palavras ou ficam presas tentando conversar. Na Austrália, 8,5 por cento das crianças de três anos e 11 por cento das crianças de quatro anos de idade gaguejam”.

O MCRI e a Universidade de Melbourne A professora Angela Morgan diz que, embora a causa exata da gagueira seja desconhecida, a genética desempenhou um papel e os pesquisadores identificaram quatro genes (dos cerca de 23 mil genes que os humanos têm) que podem estar ligados à gagueira.

Estudo global investiga as causas da gagueira e o tratamento

“Globalmente, um por cento dos adultos gaguejam e quase 70 por cento das pessoas que gaguejam relatam uma história familiar do transtorno. O sexo é um dos mais fortes fatores predisponentes para a gagueira. Os meninos têm de duas a cinco vezes mais chances de gaguejar do que as meninas, e eles também são menos propensos a se recuperar sem terapia”, concluiu Morgan.

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.