Tazidem


Tazidem – Bula do remédio

Tazidem com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Tazidem têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Tazidem devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Eurofarma

Referência

Ceftazidima

Apresentação de Tazidem

cx. c/ 1 fr.-ampola de 1g + 1 ampola de diluente.

Contra-indicações de Tazidem

Tazidem é contra-indicado para uso nos pacientes comprovadamente hipersensíveis ao grupo de antibióticos cefalosporínicos.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Tazidem

A experiência clínica demonstrou que a ceftazidima é, de uma forma geral, bem tolerada. As reações adversas são pouco freqüentes, incluindo: flebite ou tromboflebite após administração intravenosa; dor e/ou inflamação após administração intramuscular; erupção maculopapular ou urticariforme, febre, prurido e, mais raramente, angioedema e anafilaxia (broncospasmo e/ou hipotensão); diarréia, náusea, vômito, dor abdominal e mais raramente inflamação bucal ou colites, candidíase, vaginites, cefaléia, tonteira, parestesias, e sensação de gosto desagradável, síndrome de Stevens-Johnson, hemorragia, anemia aplástica e anemia hemolítica. Têm sido relatados raríssimos casos de convulsões que ocorreram em pacientes com disfunção renal, nos quais as doses de ceftazidima não tenham sido apropriadamente reduzidas. As alterações laboratoriais (transitórias) durante a terapia com Tazidem incluem: eosinofilia, teste de Coombs positivo (sem hemólise), trombocitose e elevação discreta de uma ou mais das enzimas hepáticas (SGOT, SGPT, DHL, CGT e fosfatase alcalina). A exemplo das demais cefalosporinas podem ser observados ocasionalmente aumentos transitórios na uréia sangüínea e no nitrogênio uréico e/ou na creatinina sérica. Muito raramente têm sido observadas leucopenia transitória, neutropenia, trombocitopenia e linfocitose.

Tazidem – Posologia

Tazidem deve ser usado por via exclusivamente parenteral, variando a dose em função da gravidade, sensibilidade e tipo de infecção, bem como da idade, peso e função renal dos pacientes. Adultos: A dose varia de 1 a 6g diários, por exemplo, 500mg, 1g ou 2g, administrados cada 8 ou 12 horas, através de injeção intravenosa ou intramuscular. Para as infecções do trato urinário e naquelas de menor gravidade, a dose de 500mg ou 1g de 12/12 horas é geralmente satisfatória. Para a maioria das infecções as doses ideais são de 1g de 8/8 horas ou 2g de 12/12 horas. Nas infecções mais graves, especialmente nos pacientes com imunossupressão, incluindo os neutropênicos, deve ser administrada a dose de 2g cada 8 ou 12 horas. Nos pacientes fibrocísticos adultos com função renal normal e portadores de infecção pulmonar por Pseudomonas, serão necessárias posologias elevadas, ou seja, de 100 a 150mg/kg/dia, subdivididos em três doses (doses de 9g/dia têm sido empregadas com segurança nesses casos). Recém-nascidos e lactentes até 2 meses de idade: 25 a 60mg/kg/dia, divididos em duas aplicações. No recém-nascido a meia-vida sérica de ceftazidima pode ser 3 a 4 vezes maior do que a do adulto. Lactentes e crianças maiores: A posologia usual para crianças com mais de 2 meses é de 20 a 100mg/kg/dia, divididos em duas ou três doses. Doses maiores que 50mg/kg, três vezes ao dia, até um máximo de 6g/dia, podem ser administradas a crianças com comprometimento da imunidade, com doença fibrocística ou, ainda, com meningite. Posologia diante de comprometimento da função renal: Tazidem é excretado pelos rins quase que exclusivamente por filtração glomerular. Assim sendo, nos pacientes com funcionalidade renal comprometida recomenda-se que a dose seja reduzida, salvo se o comprometimento for de leve intensidade, isto é, velocidade de filtração glomerular (VFG) superior a 50ml/min. Nos pacientes com suspeita de insuficiência renal pode ser instituída uma dose inicial de 1g de Tazidem. Nestes casos recomenda-se estimular a VFG a fim de determinar a dose correta. Nos pacientes com infecção grave, especialmente nos neutropênicos, as doses unitárias podem ser acrescidas em 50% ou a freqüência de administração aumentada apropriadamente. Em tais pacientes recomenda-se monitorar os níveis séricos de ceftazidima de modo a que não excedam de 40mg/l. No caso de se dispor somente dos valores da creatinina sérica pode-se utilizar a fórmula a seguir (equação de Cockroft) para estimular a taxa de depuração: Homens: depuração de creatinina (ml/min) = peso (kg) x (140- idade em anos)/72 x creatinina sérica (mg/dl). Mulheres: 085 x o valor acima. Para converter a creatinina sérica de Mmol/1 para mg/dl, dividir por 88,4. Nas crianças a depuração de creatinina deve ser ajustada em função da área de superfície corporal ou da massa muscular, reduzindo-se como nos adultos. A creatinina sérica representaria, então, um estado mantido de funcionalidade renal.

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.