Talofilina


Talofilina – Bula do remédio

Talofilina com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Talofilina têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Talofilina devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Novartis

Apresentação de Talofilina

Cápsulas de desintegração gradual. Embalagens com 20 cápsulas de 100 mg, 200 mg e 300 mg.

Talofilina – Indicações

Asma brônquica e broncoespasmo associado com bronquite e enfisema pulmonar.

Contra-indicações de Talofilina

Hipersensibilidade conhecida às xantinas ou a qualquer componente da formulação.

Advertências

Deve-se ter cautela na presença de insuficiência cardíaca, arritmia cardíaca, infarto do miocárdio recente, cor pulmonale, hipertireoidismo, febre prolongada, infecções respiratórias (inclusive virais), aumento prostático ou úlcera péptica.

Requer-se cautela em pacientes com hepatopatias (metabolização retardada), doenças renais (eliminação reduzida) e em pacientes idosos. Para se evitar indesejáveis altos níveis sanguíneos da teofilina, deve-se ajustar a posologia nesses pacientes.

Gravidez e lactação

Não foi estabelecida a segurança para o uso durante a gravidez. Sabe-se que a teofilina atravessa a barreira placentária e, portanto, Talofilina só deve ser administrado a mulheres grávidas se houver necessidade absoluta.

A teofilina é excretada no leite materno; mães que amamentam devem estar cientes dos possíveis efeitos medicamentosos adversos no bebê.

Interações medicamentosas de Talofilina

A teofilina pode aumentar o potencial para os efeitos colaterais tóxicos de outras xantinas ou dos simpatomiméticos. O efeito da furosemida pode ser acentuado.

O efeito terapêutico do lítio pode ser reduzido quando esse medicamento for usado simultaneamente com a teofilina.

O uso concomitante de alopurinol, antiácidos, betabloqueadores, cimetidina, ciprofloxacina, anticoncepcionais orais, eritromicina, troleandomicina, ranitidina, verapamil ou vacina antigripal pode elevar a concentração plasmática da teofilina.

Barbitúricos, carbamazepina, fenitoína, rifampicina ou fumo podem diminuir a concentração plasmática da teofilina.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Talofilina

Os efeitos colaterais comumente relatados com Talofilina são irritação gastrintestinal e estímulo do sistema nervoso central. Podem ocorrer náusea, vômito, dor abdominal, insônia, inquietação, taquicardia ou hipotensão.

Talofilina – Posologia

As cápsulas de Talofilina devem ser tomadas com bastante líquido. A posologia ideal para cada paciente deve ser determinada individualmente, seguindo-se as recomendações seguintes:

Crianças até 30 kg: 8 a 11 mg/kg, cada 12 horas.

Crianças com mais de 30 kg e adultos: 300 mg, cada 12 horas.

Recomenda-se esquema posológico de uma cápsula a cada 12 horas durante os 3 primeiros dias de tratamento. No 3º dia faz-se a avaliação da eficácia e tolerância. Em pacientes que sofrem principalmente de crises noturnas, pode-se tentar um esquema inicial de uma cápsula à noite (isto é, a cada 24 horas), durante três dias, avaliando-se igualmente a eficácia e a tolerância no 3º dia.

Quando a resposta for adequada, deve-se continuar com o mesmo esquema posológico. Se a resposta for inadequada, e desde que o produto seja bem tolerado, pode-se instituir esquema de manutenção com uma cápsula de concentração imediatamente superior, a cada 12 ou 24 horas.

Se ocorrerem sinais de superdosagem (veja ?Reações adversas? e ?Superdosagem?), deve-se transferir o paciente para um esquema de 12 ou 24 horas com cápsulas de concentração mais fraca.

As doses recomendadas geralmente permitem que sejam atingidos níveis séricos terapêuticos (10 a 20 mg/L), proporcionando eficácia e segurança adequadas. Se for necessário exceder a dose diária de 15 mg/kg (20 mg/kg em crianças), é aconselhável controlar os níveis sanguíneos da teofilina (por radioimunoensaio ou imunoensaio enzimático).

Superdosagem

Sintomas: além dos sintomas mencionados como reações adversas, podem ocorrer diurese, sede, delírio, hipertermia, taquipnéia, arritmia, distúrbios eletrolíticos, convulsões e coma.

Tratamento: a lavagem gástrica é indicada, exceto em pacientes com convulsões. Deve- se administrar carvão ativado e, em seguida, um catártico. Deve-se repetir o carvão ativado a cada 6 horas, até que a concentração sérica da teofilina fique inferior a 20 mg/L.

O paciente deve ser colocado em um monitor cardíaco e a arritmia deve ser observada. Quando necessário, deve-se administrar medicamento antiarrítmico adequado.

As anormalidades metabólicas, principalmente a hipocalemia, devem ser corrigidas e as convulsões controladas por um anticonvulsivante.

Deve-se considerar a hemoperfusão com carvão no caso de toxicidade severa da teofilina, como por exemplo, quando a concentração sérica excede 40 mg/L.

Características farmacológicas

Farmacodinâmica

A teofilina relaxa o espasmo da musculatura lisa, melhorando dessa forma a função pulmonar. A teofilina oral é adequada para o tratamento de manutenção de todas as doenças pulmonares obstrutivas crônicas, associadas com broncoconstrição reversível, tais como asma brônquica, bronquite crônica e enfisema.

A formulação farmacêutica especial de Talofilina com liberação gradativa da substância ativa, assegura boa tolerância gástrica. Proporciona também eficácia mantida durante a noite, prevenindo crises matinais de asma brônquica.

Farmacocinética

Os valores farmacocinéticos seguintes estão baseados na administração de uma dose oral única de 300 mg de teofilina: meia-vida de absorção = 2,1 – 2,7 h; ligação a proteínas = 52 – 65% em adultos saudáveis, 32 – 40% em recém-nascidos e 20 – 40% em pacientes com hepatopatias; a meia-vida de eliminação = 10 (-27) h; concentração plasmática máxima é obtida 6 – 9 h após a administração.

A teofilina é metabolizada principalmente no fígado. Os rins constituem a principal via de eliminação, sendo 8% da dose excretada inalterada, enquanto que 40% é excretada como ácido dimetil úrico, 36% como 3-metil xantina e 16% como ácido 1- metil úrico. O uso intenso de cigarros pode reduzir a meia-vida da teofilina em até 40%.

Dizeres legais

MS -1.0068.0023

Farm. Resp.: Marco A. J. Siqueira – CRF-SP 23.873 Lote, data de fabricação e de validade:

Vide cartucho

Novartis Biociências S.A.

Av. Ibirama, 518 – Complexos 441/3 – Taboão da Serra – SP CNPJ nº 56.994.502/0098-62

Indústria Brasileira

Talofilina – Bula para o Paciente

Ação esperada do medicamento: A teofilina é utilizada para o tratamento de doenças pulmonares.

Cuidados de armazenamento: O produto deve ser mantido à temperatura ambiente (temperatura entre 15° e 30°C).

Prazo de validade: O prazo de validade está no cartucho. Não use medicamento com o prazo de validade vencido.

Gravidez e lactação: Informe ao seu médico sobre a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término. Informar ao médico se está amamentando.

Cuidados de administração:. Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Interrupção do tratamento: Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Reações adversas: Informe ao seu médico sobre o aparecimento de reações desagradáveis. As mais comuns são: náusea, vômito, dor abdominal, insônia, inquietação, taquicardia ou pressão baixa.

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS

Ingestão concomitante com outras substâncias: Informe ao seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o tratamento.

Contraindicações e precauções: Talofilina é contraindicado em casos de hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer outro componente da formulação.

NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO. PODE SER PERIGOSO PARA A SAÚDE.

Data da bula

20/10/2017

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.