Dioxaflex 75


Dioxaflex 75 – Bula do remédio

Dioxaflex 75 com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Dioxaflex 75 têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Dioxaflex 75 devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Bagó

Apresentação de Dioxaflex 75

Comprimidos revestidos de liberação prolongada de 75 mg c/ 15 comprimidos.

Dioxaflex 75 – Indicações

Tratamento de formas degenerativas e inflamatórias de reumatismo: artrite reumatóide; espondilite anquilosante; osteoartrose e espondilartrite. Síndromes dolorosas da coluna vertebral. Reumatismo não-articular. Dores pós-traumáticas e pós-operatórias, inflamação e edema, como por exemplo, após cirurgias dentárias ou ortopédicas. Condições inflamatórias e/ou dolorosas em ginecologia, como por exemplo dismenorréia primária ou anexite.

Contra-indicações de Dioxaflex 75

Úlcera gástrica ou intestinal. Hipersensibilidade conhecida
à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes.
Como outros agentes antiinflamatórios não-esteróides (AINE) Dioxaflex 75 também é contra-indicado em pacientes nos quais as crises de asma, urticária ou rinite aguda são precipitadas pelo ácido acetilsalicílico ou por outros fármacos com atividade inibidora da prostaglandina-sintetase.

Advertências

É imprescindível uma supervisão médica cuidadosa em pacientes portadores de sintomas indicativos de distúrbios gastrintestinais, com história que sugira ulceração gástrica ou intestinal, com colite ulcerativa ou com doença de Crohn, bem como em pacientes com distúrbios da função hepática. Como com outros agentes antiinflamatórios não-esteróides, pode ocorrer elevação dos níveis de uma ou mais enzimas hepáticas com o uso de Dioxaflex 75. Durante tratamentos prolongados, é recomendável a monitorização da função hepática como medida de precaução. Na ocorrência de sinais ou sintomas indicativos do desenvolvimento de doença hepática ou de outras manifestações (por exemplo, eosinofilia, erupções), ou se testes anormais para a função hepática persistirem ou piorarem, o tratamento com Dioxaflex 75 deverá ser descontinuado. Poderá ocorrer hepatite com ou sem sintomas prodrômicos. Deve-se ter cautela ao administrar Dioxaflex 75 a pacientes portadores de porfiria hepática, uma vez que o medicamento pode desencadear uma crise. Pela importância das prostaglandinas para a manutenção do fluxo sangüíneo renal, deve-se dar atenção especial a pacientes com deficiência das funções cardíacas ou renal, a pacientes idosos, a pacientes sob tratamento com diuréticos, e àqueles com depleção de volume extracelular de qualquer origem, como por exemplo nas condições de pré ou pós-operatório no caso de cirurgias de grande porte.
Nesses casos, quando da utilização de Dioxaflex 75, é recomendável uma monitorização da função renal como medida de precaução. A descontinuação do tratamento é seguida pela recuperação do estado de pré-tratamento.
Durante tratamento prolongado com Dioxaflex 75 (como com outros agentes antiinflamatórios não-esteróides), recomenda-se monitorizar o hemograma.
Assim como outros AINEs, Dioxaflex 75 pode temporariamente inibir a agregação plaquetária. Pacientes com deficiência de hemostasia devem ser cuidadosamente
monitorizados. Deve-se ter precaução especial com pacientes idosos debilitados ou com aqueles com baixo peso corpóreo, sendo particularmente recomendável a utilização da menor dose eficaz.
Efeitos sobre a habilidade de dirigir veículos e/ou operar máquinas: pacientes com sintomas de tontura ou com outros distúrbios do sistema nervoso central, incluindo-se distúrbios visuais, não devem dirigir veículos ou operar máquinas.
Experiência pré-clínica. Mutagenicidade, carcinogenicidade e toxicidade sobre a reprodução: o diclofenaco não influenciou a fertilidade das matrizes (ratos) nem o desenvolvimento pré, peri e pós-natal da prole. Não foram detectados efeitos teratogênicos em camundongos, ratos e coelhos. Não foram demonstrados efeitos mutagênicos em vários experimentos in vitro e in vivo e nenhum potencial carcinogênico foi detectado em estudos de longo prazo com ratos e camundongos.
Advertências
Sangramentos ou ulcerações/perfurações gastrintestinais
podem ocorrer a qualquer momento durante o tratamento,
com ou sem sintomas de advertência ou história prévia. Esses, em geral, apresentam conseqüências mais sérias em pacientes idosos. Nesses raros casos de sangramentos ou ulcerações/perfurações, o medicamento deve ser descontinuado. Assim como com outros agentes antiinflamatórios não-esteróides, reações alérgicas, incluindo-se reações anafiláticas e/ou anafilactóides, poderão também ocorrer em casos raros sem a prévia exposição ao fármaco. Assim como outros AINEs, Dioxaflex 75 pode mascarar os sinais e sintomas de infecção por causa de suas propriedades farmacodinâmicas.

Uso na gravidez de Dioxaflex 75

Dioxaflex 75 deve ser empregado durante a gravidez somente quando houver indicação formal, somente se utilizando a menor dose eficaz.
Como ocorre com outros inibidores da prostaglandina-sintetase, essa orientação aplica-se particularmente aos três últimos meses de gestação (pela possibilidade de ocorrer inércia uterina e/ou fechamento prematuro do canal arterial). Após doses orais de 50 mg administradas a cada 8 horas, a substância ativa passa para o leite materno; todavia, em quantidades tão pequenas, que não se esperam efeitos indesejados sobre o lactente.

Interações medicamentosas de Dioxaflex 75

(Incluindo-se interações observadas com outras formas farmacêuticas de DIOXAFLEX). Lítio, digoxina: Dioxaflex 75 pode elevar as concentrações plasmáticas de lítio e digoxina.
Diuréticos: assim como outros AINEs, Dioxaflex 75 pode inibir a atividade de diuréticos. O tratamento concomitante
com diuréticos poupadores de potássio pode estar associado à elevação dos níveis séricos de potássio, os quais devem portanto ser monitorizados.
AINEs: a administração concomitante de AINEs sistêmicos
pode aumentar a freqüência de reações adversas.
Anticoagulantes: embora as investigações clínicas não pareçam indicar que Dioxaflex 75 apresente uma influência sobre o efeito dos anticoagulantes, existem relatos de elevação no risco de hemorragias com o uso concomitante de diclofenaco e anticoagulantes.
Conseqüentemente, nesses casos, é recomendável uma monitorização dos pacientes.
Antidiabéticos: estudos clínicos demonstraram que Dioxaflex 75 pode ser administrado juntamente com agentes antidiabéticos orais sem influenciar seus efeitos clínicos. Entretanto, existem relatos isolados de efeitos hipo e hiperglicemiantes na presença de Dioxaflex 75, determinando a necessidade de ajuste posológico dos agentes hipoglicemiantes.
Metotrexato: deve-se ter cautela quando AINEs forem administrados menos de 24 horas antes ou após o tratamento com metotrexato, uma vez que a concentração sérica desse fármaco pode se elevar, aumentando assim
a sua toxicidade.
Ciclosporina: os efeitos dos AINEs sobre as prostaglandinas renais pode aumentar a nefrotoxicidade da ciclosporina.
Antibacterianos quinolônicos: têm ocorrido relatos isolados de convulsões que podem estar associadas ao uso concomitante de quinolonas e AINEs.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Dioxaflex 75

(Incluindo-se reações adversas observadas com outras formas farmacêuticas de DIOXAFLEX, com uso a curto ou longo prazo).
Estimativa de freqüência: freqüente >10%; ocasional >1% – 10%; rara > 0,001% – 1%; casos isolados

Dioxaflex 75 – Posologia

Comprimidos 75 mg
Adultos: a dose inicial diária recomendada é de 75 a 150 mg, ou seja, um ou dois comprimidos ao dia. Para casos mais leves, assim como para terapia a longo prazo, um comprimido de Dioxaflex 75 ao dia é geralmente suficiente.
Quando os sintomas forem mais pronunciados durante a noite ou pela manhã, Dioxaflex 75 deverá ser administrado preferencialmente à noite. Os comprimidos devem ser ingeridos inteiros, com um pouco de líquido, de preferência às refeições.
Crianças: Dioxaflex 75 não deve ser administrado a crianças, por ser de alta dose individual por comprimido.

Superdosagem

Não há quadro clínico típico associado à superdose com diclofenaco. As seguintes medidas terapêuticas podem ser tomadas, o mais rápido possível, em casos de superdose com a forma oral, para evitar a absorção: lavagem gástrica e tratamento com carvão ativado. O tratamento de intoxicações agudas com agentes antiinflamatórios não-esteróides consiste essencialmente em medidas sintomáticas e de suporte.
Tratamento sintomático e de suporte deve ser administrado em caso de complicações, tais como hipotensão, insuficiência renal, convulsões, irritação gastrintestinal e depressão respiratória. Diurese forçada, diálise ou hemoperfusão provavelmente não ajudam na aceleração da eliminação de agentes antiinflamatórios não-esteróides, pela sua alta taxa de ligação com proteínas e metabolismo extenso.

Dioxaflex 75 – Informações

O diclofenaco, um derivado do ácido fenilacético é um antiinflamatório não-esteróide (AINE) que exerce ações antiinflamatória, analgésica e antitérmica. Como as demais drogas desse grupo, sua atividade está relacionada à uma ação inibitória nas ciclo-oxigenases 1 e 2 (Cox-1 e Cox-2) e que a inibição de Cox-1 associa-se a seus efeitos adversos gastrointestinais, enquanto que a inibição de Cox-2 responde por suas atividades terapêuticas.
O diclofenaco é usado, principalmente como sal sódico, no alívio da dor e da inflamação em várias condições: afecções músculo-esqueléticas e articulares, tais como artrite reumatóide, osteoartrite e espondilite anquilosante; afecções peri-articulares, tais como torções, distensões e luxações, e outras condições dolorosas, tais como cólica renal, gota aguda, dismenorréia e em seguida a alguns procedimentos cirúrgicos.
O diclofenaco é rapidamente absorvido quando administrado como solução oral, supositório retal ou injeção intramuscular. É absorvido mais lentamente quando administrado na forma de comprimidos com revestimento entérico, especialmente quando junto a alimentos. É também absorvido percutaneamente; topicamente são usados o diclofenaco dietilamônio (diclofenaco dietilamina) e o diclofenaco epolamina (diclofenaco hidroxietilpirrolulina; DHEP).

4Medic

4Medic

4Medic é uma empresa especializada em gestão de clinicas e consultórios médico. Que fornece diariamente notícias sobre a área de saúde em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *