Pesquisadores determinam melhor tratamento para oftalmia neonatal

O objetivo da revisão realizada pela Cochrane foi determinar se algum medicamento é melhor do que o placebo ou nenhuma ação preventiva na prevenção da oftalmia neonatal.

Os autores da revisão fizeram uma coleta e analisaram todos os estudos relevantes para responder a essa pergunta e encontraram 30 estudos.

Pontos chave da revisão

Não há dados sobre se a profilaxia para oftalmia neonatal previne desfechos graves, como cegueira ou deficiência visual.

Evidências de certeza moderada sugerem que o uso de profilaxia pode levar a uma redução na incidência de qualquer conjuntivite de qualquer causa em recém-nascidos, mas a evidência para efeito na conjuntivite gonocócica ou clamídia foi de certeza baixa a muito baixa.

A comparação de intervenções individuais não sugeriu qualquer intervenção consistentemente superior, mas os dados foram limitados.

Critério de seleção

Foram incluídos ensaios clínicos randomizados e quase randomizados de qualquer intervenção médica tópica, sistêmica ou combinada usada para prevenir a oftalmia neonatal em recém-nascidos em comparação com placebo, sem profilaxia ou entre si.

Coleta e análise de dados

A equipe utilizou métodos padrão esperados pela Cochrane. Os resultados foram: cegueira ou qualquer resultado visual adverso em 12 meses, conjuntivite em 1 mês (gonocócica (GC), clamídia (CC), bacteriana (BC), qualquer etiologia (ACAE) ou etiologia desconhecida (CUE)) e efeitos adversos .

Como a intervenção pode funcionar

Os agentes profiláticos de Ophthalmia neonatorum usados em todo o mundo são agentes antimicrobianos ou anti-sépticos, que quando administrados topicamente destroem ou inibem os microorganismos no olho para prevenir conjuntivite e ceratite.

Os microrganismos podem ser adquiridos no canal de parto infectado da mãe, no útero por infecções ascendentes, ou no hospital ou ambiente doméstico.

O que foi estudado na revisão?

Ophthalmia neonatorum, também conhecida como conjuntivite neonatal, é uma infecção da superfície ocular que afeta bebês recém-nascidos no primeiro mês de vida. Geralmente é causada por infecção (bacteriana ou viral) que surgiu durante o parto.

Se não for tratada, pode levar à cegueira. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda os seguintes tratamentos para prevenir a oftalmia neonatal:

  • cloridrato de tetraciclina 1% pomada ocular;
  • eritromicina 0,5% pomada ocular;
  • solução de iodo povidona a 2,5% (à base de água);
  • solução de nitrato de prata a 1%;
  • cloranfenicol 1% pomada para os olhos.

Os autores da Revisão Cochrane consideraram esses e outros tratamentos para prevenir o desenvolvimento de conjuntivite em recém-nascidos.

Eles avaliaram os dois principais tipos de conjuntivite separadamente – conjuntivite gonocócica (causada por Neisseria gonorrhoeae) e conjuntivite por clamídia (causada por Chlamydia trachomatis) – bem como conjuntivite devido a qualquer bactéria (incluindo Neisseria gonorrhoeae e Chlamydia trachomatis), ou conjuntivite de causa desconhecida.

Quais são os principais resultados da revisão?

Os autores identificaram 30 estudos com um total de 79.198 recém-nascidos. Dezoito estudos foram realizados em ambientes de alta renda (EUA, Europa, Israel, Canadá) e 12 foram realizados em ambientes de baixa e média renda (África, Irã, China, Indonésia, México).

Os principais medicamentos preventivos avaliados nos estudos incluídos foram: tetraciclina 1%, eritromicina 0,5%, iodopovidona 2,5% e nitrato de prata 1%.

Recém-nascidos que recebem medicação preventiva têm probabilidade menor de desenvolver conjuntivite um mês após o nascimento, em comparação com recém-nascidos que não recebem medicação preventiva (evidência de certeza moderada).

A evidência para causas específicas de conjuntivite (gonocócica, clamídia) era menos certa, uma vez que ocorreram com menos frequência nos estudos incluídos. Nenhum dos estudos coletou dados sobre cegueira ou resultados visuais adversos.

Conclusão dos autores

Não há dados sobre se a profilaxia para oftalmia neonatal evita resultados graves, como cegueira ou qualquer resultado visual adverso.

Evidências de certeza moderada sugerem que o uso de profilaxia pode levar a uma redução na incidência de ACAE em recém-nascidos, mas as evidências de efeito sobre GC, CC ou BC eram menos certas.

A comparação de intervenções individuais não sugeriu qualquer intervenção consistentemente superior, mas os dados foram limitados. Um ensaio comparando tetraciclina, iodopovidona (administração única) e cloranfenicol para GC e CC pode fornecer à comunidade uma profilaxia eficaz e universalmente aplicável contra a oftalmia neonatal.

__________________________

O estudo original foi publicado na Cochrane Library

* “Interventions for preventing ophthalmia neonatorum” – 2020

Autores do estudo: Kapoor VS, Evans JR, Vedula SS – 10.1002/14651858.CD001862.pub4

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.