Baraclude


Baraclude – Bula do remédio

Baraclude com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Baraclude têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Baraclude devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Bristol

Apresentação de Baraclude

Concentrações de 0,5 mg e 1,0 mg, em fr. contendo 30 comprimidos.

Baraclude – Indicações

Baraclude é indicado para o tratamento de infecção crônica por VHB em adultos com evidência de replicação viral ativa e também
com evidências de elevações persistentes nas aminotransferases séricas ALT e AST ou doença histologicamente ativa.
Esta indicação se baseia nas respostas histológicas, virológicas, bioquímicas e sorológicas após um ano de tratamento em pacientes
adultos virgens de tratamento e resistentes a lamivudina com infecção VHB crônica com HBeAg-positivo ou HBeAg-negativo com
doença hepática compensada e também em dados mais limitados em pacientes adultos com co-infecção com HIV e VHB, que receberam
terapia prévia com lamivudina.

Contra-indicações de Baraclude

Baraclude é contra-indicado em pacientes que previamente demonstraram hipersensibilidade ao entecavir ou a qualquer outro componente
do produto.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Baraclude

A avaliação das reações adversas está baseada em quatro estudos clínicos (AI 463-014, AI 463-022, AI463-026 e AI463-027) nos quais
1720 pacientes com infecção crônica pelo VHB receberam tratamento duplo-cego com Baraclude 0,5 mg/dia (n=679), Baraclude
1,0 mg/dia (n=183) ou lamivudina (n=858) por até 107 semanas. A duração média da terapia foi 54 semanas para pacientes tratados com
Baraclude e 53 semanas para pacientes tratados com lamivudina nos estudos AI 463-022 e AI 463-027 a 69 semanas para pacientes
tratados com Baraclude e 52 semanas para pacientes tratados com lamivudina nos estudos AI 463-026 e AI 463-014. Os perfis de
segurança de Baraclude e lamivudina foram comparáveis nestes estudos. O perfil de segurança de Baraclude 1,0 mg (n=51) em
pacientes co-infectados por HIV/ VHB randomizados para o estudo AI 463-038 foi similar ao placebo (n=17) até 24 semanas de tratamento
cego e similar ao que foi observado em pacientes não infectados por HIV.
Entre os pacientes tratados com Baraclude, os eventos adversos mais comuns para qualquer seriedade com pelo menos relação
possível com Baraclude foram: cefaléia, fatiga, vertigem e náusea.
Os eventos adversos mais comuns entre os pacientes tratados com lamivudina foram: cefaléia, fadiga e tontura. 1% dos pacientes tratados
com Baraclude, nesses quatro estudos, comparando-se com 4% dos pacientes tratados com lamivudina, descontinuaram por
causa de eventos adversos ou de resultados de testes laboratoriais anormais.
Eventos Adversos Clínicos
Eventos adversos clínicos de intensidade moderada a grave e considerados pelo menos como possivelmente relacionados com o tratamento,
que ocorreram durante a terapia nos quatro estudos clínicos, nos quais o Baraclude foi comparado com a lamivudina, são
apresentados na Tabela 8. (continua na bula original)

Baraclude – Posologia

A dose usual recomendada de Baraclude para infecção crônica pelo vírus da hepatite B em pacientes adultos, virgens de tratamento
por nucleosídeos e adolescentes com 16 anos ou mais é de 0,5 mg, uma vez ao dia.
A dose usual recomendada de Baraclude para pacientes adultos e adolescentes com 16 anos ou mais com história de viremia,
durante a terapia com lamivudina, ou com presença de mutações de resistência à lamivudina é de 1,0 mg, uma vez ao dia.
Pacientes com Insuficiência Renal
O clearance de entecavir decresce com o decréscimo do clearance de creatinina. O ajuste da dose é recomendado para pacientes com
clearance de creatinina Baraclude para pacientes com hepatite B crônica e a relação entre o tratamento e resultados a longo
prazo como cirrose e carcinoma hepatocelular são desconhecidos.
Pacientes Pediátricos e Adolescentes
A segurança e eficácia de entecavir em pacientes com menos de 16 anos de idade não foram estabelecidas.
Pacientes Geriátricos
Nenhum ajuste de dose é necessário em função da idade.

Baraclude – Informações

Baraclude é um análogo de nucleosídeo guanosino, com atividade seletiva contra o vírus da hepatite B (VHB). O nome químico do
entecavir é 2-amino-1,9-diidro-9-[(1S,3R,4S)-4-hidróxi-3-(hidroximetil)-2-metileneciclopentil]-6H-purina-6-um, monoidratado. Sua fórmula
molecular é C12H15N5O3-H2O, que corresponde a um peso molecular de 295,3. O entecavir apresenta a seguinte fórmula estrutural:
(vide bula original)
Mecanismo de Ação
O entecavir é um análogo de nucleosídeo guanosino, com uma atividade contra a polimerase do VHB. Ele é eficientemente fosforilado na
forma ativa de trifosfato (TP), que tem uma meia-vida intracelular de 15 horas. Através da competição com o substrato natural deoxiguanosina
TP, entecavir-TP inibe funcionalmente todas as três atividades da polimerase viral (transcriptase reversa, rt): (1) atividade principal da
polimerase VHB, (2) transcrição reversa da fita negativa do mensageiro pregenômico do RNA, e (3) síntese da fita positiva de DNA do VHB.
A constante de inibição (Ki) do entecavir-TP para a polimerase de DNA do VHB é de 0.0012mcgM. Entecavir-TP é um inibidor fraco das
polimerases de DNA celular a, b, e s e da polimerase de DNA mitocondrial g com Ki com valores de 18 a >160µM.
Atividade antiviral
O entecavir é um inibidor da infecção por VHB nas células HepG2 do fígado humano que constitutivamente produzem vírions VHB. A
concentração de entecavir que inibe 50% da síntese do DNA viral (EC50) foi de 0,004 µm. O valor médio de EC50 para entecavir para
VHB resistentes à lamivudina (rtL 180M, rtM204V) foi de 0,026µM (entre 0,010-0,059µM). Em contraste, nenhuma atividade clinicamente
relevante foi observada contra o vírus da imunodeficiência humana (HIV) tipo 1 (EC50 >10 µm), crescido em cultura celular.
O tratamento diário ou semanal com entecavir reduziu significativamente os níveis de DNA viral (4 a 8 logs) em dois modelos animais
relevantes: marmotas cronicamente infectadas com vírus de hepatite de marmota (WHV) e patos infectados com VHB de pato. Estudos
de longo prazo em marmotas demonstraram que a dosagem oral semanal de 0,5 mg/kg de entecavir (equivalente à dose humana de
1,0 mg) mantinha os níveis de DNA viral em níveis indetectáveis (Baraclude não tem a probabilidade
de reduzir a eficácia antiviral do Baraclude contra o VHB, ou de nenhum desses agentes contra o HIV. Em ensaios de combinação
do VHB in vitro, a atividade antiviral do entecavir não foi afetada pela presença de abacavir, didanosina, lamivudina, estavudina, tenofovir
ou zidovudina. Em ensaios antivirais do HIV, o entecavir não apresentou efeito sobre a atividade anti-HIV in vitro destes seis ITRNs
o HIV em > 4 vezes a Cmax de entecavir.

4Medic

4Medic

4Medic é uma empresa especializada em gestão de clinicas e consultórios médico. Que fornece diariamente notícias sobre a área de saúde em geral. As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. .Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.