Garamicina Injetável Pediátri


Garamicina Injetável Pediátri – Bula do remédio

Garamicina Injetável Pediátri com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Garamicina Injetável Pediátri têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Garamicina Injetável Pediátri devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Splough

Referência

Gentamicina Injetável

Apresentação de Garamicina Injetável Pediátri

Cada ml de GARAMICINA inj. 20mg contém 20mg de gentamicina base. Estojo c/ 2 amp. de 1 ml.

Cada ml de GARAMICINA inj. 40mg contém 40mg de gentamicina base. Estojo c/ 2 amp. de 1 ml.

Contra-indicações de Garamicina Injetável Pediátri

GARAMICINA Injetável está contra-indicada em pacientes que tenham uma história de hipersensibilidade ou que tenham experimentado reações tóxicas em tratamentos anteriores c/ gentamicina ou outros aminoglicosídeos.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Garamicina Injetável Pediátri

Nefrotoxicidade – Os efeitos nefrotóxicos ocorrem c/ mais freqüência nos pacientes c/ antecedentes de insuficiência renal e nos pacientes tratados durante longos períodos ou c/ doses mais altas que as recomendadas.

Neurotoxicidade – Efeitos adversos sobre o ramo vestibular e/ou auditivo do VIII par craniano têm sido reportados, principalmente em pacientes c/ alteração na função renal ou em pacientes que fazem uso de altas doses e/ou que se submetem a tratamentos prolongados e podem ser irreversíveis. Estes efeitos incluem tonteira, zumbido, sensação de ruído nos ouvidos e perda de audição, este último podendo ser irreversível, e inicia-se c/ diminuição de audição aos sons de alta tonalidade.

Também têm sido reportados casos de parestesias, espasmos musculares, convulsões e uma síndrome similar à miastenia gravis.

Outros efeitos secundários possivelmente relacionados à gentamicina, incluem: depressão respiratória, confusão, depressão, distúrbios visuais, diminuição do apetite, perda de peso, hipotensão e hipertensão, erupções cutâneas, prurido, urticária, ardor generalizado, edema laríngeo, reações anafiláticas, febre, cefaléia, náusea, vômito, aumento da salivação, estomatite, púrpura, pseudotumor cerebral, síndrome orgânica cerebral aguda, fibrose pulmonar, alopécia, dores articulares, hepatomegalia transitória e esplenomegalia.

As anormalidades nas provas de laboratório, possivelmente relacionadas c/ a gentamicina, incluem: elevação das transaminases séricas, aumento da desidrogenase láctica no soro (LDH) e da bilirrubina, diminuição do cálcio, magnésio, sódio e potássio séricos, anemia, leucopenia, granulocitopenia, agranulocitose transitória, eosinofilia, aumento ou diminuição do número de reticulócitos e trombocitopenia. Apesar das anormalidades nas provas laboratoriais serem insignificantes, certos casos podem-se associar à sintomatologia clínica.

A tolerância local à GARAMICINA Injetável é excelente, tendo, no entanto, ocasionalmente, sido relatada dor no local da injeção.

Raramente, tem sido comunicado atrofia cutânea ou necrose sugestivas de irritação local.

Garamicina Injetável Pediátri – Posologia

GARAMICINA Injetável pode ser aplicada por via intramuscular, endovenosa, subconjuntival, subcapsular (cápsula de Ténon), por nebulização ou instilação endotraqueal direta.

Antes do tratamento deve-se determinar o peso corporal do paciente para calcular a dose correta. A dose do aminoglicosídeo em pacientes obesos deverá basear-se na massa corporal magra estimada.

GARAMICINA Injetável não deve ser misturada c/ outros fármacos. Aplique-a em separado, de acordo c/ a via de administração e esquema posológico recomendados.

Deve-se medir as concentrações séricas máximas e residuais de gentamicina, a fim de não ultrapassar as concentrações adequadas. Com 2-3 doses diárias endovenosas ou intramusculares de GARAMICINA Injetável, a concentração máxima medida 30 minutos a uma hora após a administração, situa-se na faixa de 4 a 6 mcg/ml. Com qualquer esquema, a dosagem deve ser ajustada para evitar concentrações acima de 12 mcg/ml por períodos prolongados. Também deve-se evitar níveis séricos residuais acima de 2 mcg/ml, justamente antes da próxima dose. A determinação de uma concentração sérica adequada num paciente deve ter em conta a sensibilidade do germe causal, a gravidade da infecção, e o estado imunológico do paciente.

Normalmente, a duração do tratamento é de 7 a 10 dias. Em infecções complicadas é recomendado tratamento mais prolongado. Nestes casos, uma monitorização das funções renal, auditiva e vestibular é recomendada, uma vez que propiciam mais freqüentemente o surgimento de efeitos colaterais, principalmente nos tratamentos acima de 10 dias. As doses devem ser reduzidas quando clinicamente indicado.

Pacientes pediátricos: Administração Parenteral

Recém-natos à termo, até uma semana de vida e Prematuros: 5 a 6 mg/kg/dia (dividido em duas doses).

Recém-natos c/ mais de uma semana e Lactentes: 7,5 mg/kg/dia (dividido em três doses).

Crianças maiores até 12 anos: 6 a 7,5 mg/kg/dia (dividido em 3 doses).

Nos pacientes c/ infecção sistêmica grave e insuficiência renal é aconselhável a administração do antibiótico c/ mais freqüência, mas em doses menores. Nestes indivíduos, deve-se determinar as concentrações séricas de gentamicina para obter concentrações adequadas, mas não excessivas. Após a dose inicial, pode-se fazer um cálculo aproximado para determinar a dose reduzida, que deverá ser administrada a intervalos de 8 horas, dividindo a dose normalmente recomendada pelo nível de creatinina no soro.

Pacientes c/ insuficiência renal devem ter modificação da dose de Garamicina. Sempre que possível deve-se determinar as concentrações séricas de gentamicina. A dose de gentamicina pode ser reajustada mediante aumento de intervalo entre as doses usuais administradas.

O intervalo em horas pode ser estimado por meio da multiplicação da creatinina sérica (mg/100 ml) por 8.

Guia para modificação da posologia na insuficiência renal (modificação da dose).


Creatinina sérica

(mg%)

Clearance de creatinina


Percentagem

da dose usual

>100


100

1,1-1,3


70-100


80

1,4-1,6


55-70


65

1,7-1,9


45-55


55

2,0-2,2


40-45


50

2,3-2,5


35-40


40

2,6-3,0


30-35


35

3,1-3,5


25-30


30

3,6-4,0


20-25


25

4,1-5,1


25-20


20

5,2-6,6


10-15


15

6,7-8,0


10

Nos pacientes c/ insuficiência renal submetidos à hemodiálise, a quantidade de gentamicina removida do sangue pode variar dependendo de vários fatores, inclusive o método de diálise empregado. Uma hemodiálise de 6 horas pode reduzir as concentrações séricas de gentamicina aproximadamente em 50%. A dosagem recomendada ao final de cada período de diálise é de 1 a 1,7mg/kg, dependendo da gravidade da infecção. Em crianças, pode-se administrar uma dose de 2 a 2,5mg/kg. A eliminação de antibióticos aminoglicosídeos pode também realizar-se através de diálise peritoneal, mas em menor proporção que através de hemodiálise.

ADMINISTRAÇÃO INTRAVENOSA

A administração intravenosa é recomendada na septicemia, no choque e naquelas circunstâncias quando a via intramuscular não for praticável. Pode também ser a via de administração preferida para alguns pacientes c/ insuficiência cardíaca congestiva, distúrbios hematológicos, queimaduras graves, ou os c/ massa muscular reduzida.

A dose recomendada e precauções para administração são idênticas àquelas recomendadas para uso intramuscular. Uma única dose de GARAMICINA poderá ser diluída em 50 a 200 ml de solução salina normal estéril ou solução de dextrose em água a 5%. A concentração de gentamicina na solução não deverá exceder a 1 mg/ml (0,1%). A solução deverá ser transfundida em um período de meia a duas horas. GARAMICINA também pode ser aplicada em diluição, diretamente na veia ou na borracha do equipo, lentamente, em um período de 2 a 3 minutos.


GARAMICINA Injetável não deverá ser pré-misturada c/ outras drogas, devendo ser administrada separadamente.

ADMINISTRAÇÃO SUBCONJUNTIVAL E SUBCAPSULAR (cápsula de Tenon)

GARAMICINA pode ser utilizada via subconjuntival c/ segurança nas infecções bacterianas oculares profundas e graves causadas por microorganismos sensíveis. Também pode ser usado em associação c/ penicilina antes e depois de cirurgias oculares. Tais administrações devem ser feitas exclusivamente por profissionais treinados. A dose varia de 10 a 20 mg, dependendo da gravidade do caso. O antibiótico deve ser administrado c/ uma seringa de 1 ml e agulha de calibre 27-30 por baixo da conjuntiva ou dentro da cápsula de tenon. A dose pode ser repetida 24 horas após, se necessário.

INALAÇÃO

A terapia inalatória é adjuvante à sistêmica nas infecções pulmonares graves por nebulização ou instilação endotraqueal. A dose usual é 20-40 mg a cada 8-12 horas diluída em solução salina fisiológica (2 ml).

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.