Estrogenon Creme Vag


Estrogenon Creme Vag – Bula do remédio

Estrogenon Creme Vag com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Estrogenon Creme Vag têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Estrogenon Creme Vag devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Sanval

Apresentação de Estrogenon Creme Vag

Drágeas de 0,625 mg – Embalagem com 20, 21, 28, 525, 700, 1050 e 1400 drágeas.

Creme vaginal de 0,625 mg/g ? Embalagem com 1 e 50 bisnagas com 25 g + aplicador graduado.

Estrogenon Creme Vag – Indicações

Estrogenon Creme Vaginal é indicado para o tratamento da atrofia vulvar e vaginal.

Estrogenon drágeas é indicado para:

1.Tratamento de sintomas vasomotores moderados a intensos, associados com a menopausa.

2. Tratamento da atrofia vaginal e vulvar.

No caso de prescrição apenas para tratamento dos sintomas de atrofia vulvar e vaginal, deve-se considerar o uso de produtos vaginais tópicos.

Contra-indicações de Estrogenon Creme Vag

1-Antecedente pessoal, diagnóstico ou suspeita de câncer de mama.

2-Neoplasia estrogênio-dependente diagnosticada ou suspeita (câncer endometrial, hiperplasia endometrial).

3-Gravidez confirmada (Ver gravidez).

4 – Sangramento genital anormal de causa indeterminada.

5-História atual ou anterior de tromboembolismo venoso confirmado (trombose venosa profunda, embolia pulmonar)

6-Doença tromboembólica arterial ou recente (acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio).

7-Disfunção ou doença hepática desde que os resultados dos testes da função hepática não tenham retornado ao normal.

8 – Estrogenon Creme Vaginal e drágeas não devem ser utilizados em paciente com hipersensibilidade a qualquer dos seus componentes.

Advertências

A terapia de Reposição Estrogênica (TER) e a terapia de Reposição Hormonal (TRH) vêm sendo associadas ao aumento do risco de alguns tipos de câncer e de doenças cardiovasculares. O uso de estrogênios isolados e mulheres com útero intacto está associado ao aumento do risco de câncer endometrial.

ATER ou TRH não deve ser iniciada nem mantida para prevenção de doença cardiovascular ou demência. Os riscos e os benefícios da TER e TRH devem sempre ser cuidadosamente ponderados, inclusive levando-se em consideração o aparecimento de riscos com a continuidade do tratamento.

Estrogênios com ou sem progestagênios devem ser prescritos nas doses eficazes mais baixas e pela duração mais curta compatível com os objetivos do tratamento e os riscos para cada paciente. Na ausência de dados equivalentes, os riscos da TRH devem ser assumidos como semelhantes para todos os estrogênios e para associação de estrogênio/prostagênio.

Pode ocorrer absorção sistêmica com o uso de Estrogenon (estrogênios conjugado) creme vaginal. Advertências, precauções e reações adversas associadas ao tratamento com Estrogenon Drágeas (via oral) devem ser levadas em consideração.

RISCO CARDIOVASCULAR: A TER e TRH vêm sendo associadas a aumento do risco de eventos cardiovasculares, como infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral, bem como de trombose venosa e embolia pulmonar (troboembolismo venoso ou TEV).

As pacientes com fatores de risco para distúrbios troboembólicos devem ser atentamente observadas.

EFEITOS DURANTE A GRAVIDEZ: Os estrogênios não devem ser utilizados durante a gravidez (ver Contra- Indicações e Precauções).

DOENÇA DA VESÍCULA BILIAR: Relatou-se aumento de 2 a 4 vezes do risco de doença da vesícula biliar com necessidade de cirurgia em mulheres tratadas com TER/TRH.

ANORMALIDADES VISUAIS: Trombose vascular retiniana foi relatada em pacientes recebendo estrogênio. Se houver perda repentina da visão, parcial ou total, ou início repentino de proptose, diplopia ou enxaqueca, descontinuar o medicamento até que se realize uma avaliação. Se o exame revelar papiledema ou lesões vasculares retinianas, a medicação deves ser descontinuada.

PRECAUÇÕES

EXAMES FÍSICOS: Antes do início ou da reinicialização da TER/TRH, deve-se avaliar cuidadosamente os antecedentes pessoal e familiar, além de realizar exames ginecológico e geral completos considerando-se as contraindicações e advertências de uso. Deve-se excluir gravidez antes do início do tratamento. Devem ser realizados checkups periódicos e avaliação cuidadosa da relação risco-benefício em mulheres tratadas com TER/TRH.

RETENÇÃO DE LÍQUIDO: Como estrogênios/progestagênios podem causar certo grau de retenção líquida, pacientes com condições que possam ser influenciadas por esse fator, como disfunções cardíacas ou renais, devem ser observadas cuidadosamente quando receberam estrogênios.

HIPERTRIGLICERIDEMIA: Deve-se ter cuidado com pacientes com hipertrigliceridemia preexistente, uma vez que casos raros de aumentos excessivos de triglicerídeos plasmáticos evoluindo para pancreatite foram relatados com terapia estrogênica nessa população. Mulheres com hipertrigliceridemia preexistente devem ser acompanhadas rigorosamente durante a terapia de reposição hormonal ou estrogênica.

ALTERAÇÃO DA FUNÇÃO HEPÁTICA: Em pacientes com alteração da função hepática, pode haver redução do metabolismo do estrogênio/ progestagênios.

ANTECEDENTES DE ICTERÍCIA COLESTÁTICA: Deve-se ter cuidado com pacientes com antecedentes de icterícia colestática associada a uso anterior de estrogênio ou a gravidez e, no caso de recorrência, o medicamento deve ser descontinuado.

ASSOCIAÇÃO DE UM PROGESTAGÊNIO EM MULHERES NÃO HISTERECTOMIZADAS

Estudos do acréscimo de um progestagênio por, no mínimo 10 dias num ciclo de administração de estrogênios ou diariamente com estrogênio em esquema combinado contínuo relataram diminuição da incidência de hiperplasia endometrial em relação à terapia com estrogênio isolado. A hiperplasia endometrial pode se um recurso do câncer endometrial.

No entanto existem riscos que podem ser associados ao uso de progestagênios nos esquemas de reposição estrogênica em comparação aos esquemas com estrogênio isoladamente. Entre esses riscos está o aumento do risco de câncer de mama.

ELEVAÇÃO DA PRESSÃO ARTÉRIA: Em um pequeno número de casos relatados, aumentos consideráveis da pressão arterial durante a TRE foram atribuídos a reações idiossincráticas aos estrogênios. Em um estudo clínico amplo, randomizado, controlado por placebo não se observou efeito da TER sobre a pressão arterial. A pressão arterial deve ser monitorizada em intervalos regulares nas pacientes em uso de estrogênios.

EXACERBAÇÃO DE OUTRAS CONDIÇÕES: A terapia de reposição hormonal/estrogênica pode causar exacerbação da asma, epilepsia, enxaqueca, diabetes mellitus com ou sem envolvimento vascular, porfiria, lúpus eritematoso sistêmico, hemangiomas hepáticos e deve ser utilizada com cuidado em mulheres com essas condições.

A endometriose pode ser exacerbada com a utilização da TRE/TRH. A adição de um progestagênio deve ser considerada em mulheres que submeteram a histerectomia, mas que apresentam endometriose residual, uma vez que foram relatados alguns casos de transformação maligna após terapia estrogênica isolada.

HIPOCALCEMIA: Os estrogênios devem ser utilizados com cuidado em indivíduos com hipocalcemia grave.

HIPOTIREOIDISMO: Pacientes em terapia de reposição de hormônio tireoideano podem necessitar de doses maiores para manter os níveis de hormônios tireoideanos livres em um nível aceitável (ver Interações com Exames Laboratoriais).

MONITORIZAÇÃO LABORATORIAL: A administração de estrogênios deve normalmente ser orientada pela resposta clínica à dose mais baixa, e não por monitorização laboratorial, para alívio dos sintomas nas indicações nas quais os sintomas são observados.

SANGRAMENTO UTERINO: Algumas pacientes podem desenvolver sangramento uterino anormal.

PRESERVATIVO DE LÁTEX: Estrogenon Creme Vaginal mostrou diminuir a resistência de preservativos de látex. Deve-se considerar o potencial de Estrogenon Creme Vaginal em diminuir a resistência e contribuir para a falha de preservativos masculino ou feminino e diafragma feitos de látex ou borracha.

GRAVIDEZ: Os estrogênios não devem ser utilizados durante a lactação.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

USO EM IDOSOS, CRIANÇAS E OUTROS GRUPOS DE RISCO.

PACIENTES IDOSAS: Não foram observadas diferenças significativas nos riscos relativos entre os pacientes de 65 anos ou mais em comparação às pacientes mais novas. O risco relativo de AVC e câncer de mama invasivo foram maiores em mulheres de 75 anos ou mais em comparação a pacientes mais novas.

USO PEDIÁTRICO: Embora a terapia de reposição estrogênica venha sendo utilizada para a indução da puberdade em adolescentes com algumas formas de retardo da puberdade, a segurança e a eficácia em pacientes pediátricos ainda não foram estabelecidas. O tratamento de meninas pré-puberes com estrogênio também induz ao desenvolvimento prematuro das mamas e à cornificação vaginal, além de poder induzir sangramento vaginal. Como foi demonstrado que doses elevadas e repetidas de estrogênio por período de tempo prolongado aceleram o fechamento epifisário, a terapia hormonal não deve ser iniciada antes do fechamento epifisário, a terapia hormonal não deve ser iniciada antes do fechamento epifisário completo para não haver comprometi- mento do crescimento global.

Interações medicamentosas de Estrogenon Creme Vag

Os dados de um estudo de interações medicamentosas com estrógenos conjugados e acetato de medroxiprogesterona indicam que a disposição farmacocinética de ambos os fármacos não é alterada quando são administrados concomitantemente. Não foram conduzidos outros estudos clínicos de interações medicamentosas com estrógenos conjugados.


INTERAÇÕES COM EXAMES LABORATORIAIS

Os estrogênios aumentam os níveis de globulina de ligação à tireóide (TGB), resultando em aumento do hormônio tireoideano total circulante, determinado por iodo ligado a proteína (PBI), níveis de T4 por coluna ou radioimunoensaio ou níveis de T3 por radioimunoensaio. A captação de T3 por resina diminui, refletindo os níveis elevados de TGB. Não há alteração nas concentrações de T4 e T3 livres.

O nível sérico de outras proteínas de ligação também pode ser aumentado, ou seja, globulina de ligação a corticosteróides (CGB), globulina de ligação aos hormônios sexuais (SHBG), resultando no aumento dos corticosteróies e esteróides sexuais circulantes, respectivamente. As concentrações de hormônios biologicamente ativos ou livres não são alteradas. Pode haver aumento de outras proteínas plasmáticas (substrato angiotensinogênio/renina, alfa-1-antitripdina, ceruloplasmina).

Pode haver diminuição da resposta à metirapona.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Estrogenon Creme Vag

Estrogenon Creme – As seguintes reações adversas foram relatadas com Estrogenon Creme Vaginal ou são efeitos indesejáveis associados a estrogênios. Não é possível calcular a frequência desses eventos com base nos dados de vendas para exposição do paciente porque a dose de estrógenos conjugados creme vaginal varia de paciente para paciente e o produto é comercializado em todo o mundo em unidades de diversos tamanhos.

Distúrbios cardíacos: infarto do miocárdio. Distúrbios do sistema reprodutor e das mamas: sangramento de escape/spotting; dor mamária, aumento da sensibilidade, aumento do volume mamário e descarga papilar; reações no local da administração de desconforto vulvovaginal, incluindo queimação, irritação e prurido genital; secreção vaginal; aumento do tamanho de leiomioma uterino; hiperplasia endometrial. Distúrbios gastrintestinais: náuseas; vômitos, distensão; dor abdominal; pancreatite. Distúrbios do sistema nervoso: tontura, cefaleia, enxaqueca; nervosismo; acidente vascular cerebral (AVC). Distúrbios músculo-esqueléticos, ósseos e do tecido conjuntivo: artralgias; cãibras nas pernas. Distúrbios psiquiátricos: alterações na libido; distúrbios de humor; irritabilidade; depressão; demência. Distúrbios vasculares: embolia pulmonar; trombose venosa.

Distúrbios gerais e condições do local da administração: edema. Distúrbios cutâneos e subcutâneos: alopecia; cloasma/melasma; hirsutismo; prurido; erupção cutânea; eritema multiforme; eritema nodoso. Distúrbio hepatobiliar: doença da vesícula biliar; icterícia colestática. Infecções e Infestações: vaginite, incluindo candidíase vaginal; cistite. Neoplasias benignas e malignas (incluindo cistos e pólipos) ? raras: câncer de mama; câncer ovariano; alterações fibrocísticas da mama; muito raras: câncer endometrial; aumento de hemangiomas hepáticas. Distúrbios do sistema imunológico: reações anafiláticas/anafilactóides, incluindo urticária e angioedema; hipersensibilidade. Distúrbios de metabolismo e nutricional: intolerância à glicose. Distúrbios oculares: intolerância a lentes de contato. Sob Investigação: alterações no peso (aumento ou diminuição); aumento dos triglicerídeos; aumento da pressão arterial. Endócrino: puberdade precoce.

Estrogenon Drágeas ? Comuns: Sangramento de escape/Spotting; dor mamária, aumento da sensibilidade, aumento do volume mamário e descarga papilar. Artralgia, cãibras nas pernas. Alopecia. Alterações no peso (aumento ou diminuição); aumento dos triglicerídeos. Incomuns: Alteração do fluxo menstrual; alteração de ectrópio e secreção cervical. Náuseas; distensão; dor abdominal. Tontura; cefaléia; enxaqueca; nervosismo. Alterações na libido; distúrbios de humor; depressão; demência. Trombose venosa. Edema. Cloasma/ melasma; hirsutismo; prurido; erupção cutânea. Doença da vesícula biliar. Vaginite, incluindo candidíase vaginal. Intolerância a lentes de contato. Raras: Dismenorréia; galactorréia; aumento do tamanho de leiomioma uterino. Vômitos; pancreatite. Acidente vascular cerebral (AVC); exacerbação da epilepsia. Irritabilidade. Tromboflebite superficial; embolia pulmonar. Câncer de mama; câncer de ovário; alteração fibrocística da mama. Urticária; angioedema; reações anafiláticas/anafilactóides. Intolerância à glicose. Infarto do miocárdio. Exacerbação da asma. Muito raras: Hiperplasia endometrial. Exacerbação da porfiria; hipocalcemia. Trombose vascular retiniana. Aumetno da pressão arterial.

Estrogenon Creme Vag – Posologia

Estrogenon Creme – A administração deve ser cíclica (três semanas com medicação e uma semana sem) e somente para uso em curto prazo. Dose usual recomendada ou a critério médico: 0,5 a 2 gramas diariamente por via intravaginal dependendo da intensidade da afecção. As pacientes devem ser reavaliadas periodicamente para determinar a necessidade de continuação do tratamento.

Estrogenon Drágeas ? A administração pode ser contínua (sem interrupção do tratamento) ou cíclica (três semanas com medicação e uma semana sem). Deve-se utilizar a menor dose que o controle os sintomas. O número de ciclo de tratamento estrogênico necessário para produzir sangramento pode variar dependendo da resposta do endométrio. Se ocorrer sangramento antes do final do período de 10 dias, deve-se iniciar um regime cíclico estrogênio-progestagênio com 2,5 mg a 7,5 mg por dia de estrogenon drágeas em doses divididas por 20 dias. Durante os últimos cinco dias de medicação estrogênica, administrar um progestagênio oral. Se ocorrer sangramento antes do final do período de 20 dias, o tratamento deverá ser interrompido e reiniciado no 5º dia de sangramento.

ATENÇÃO ? Este medicamento contém açúcar; portanto, deve ser usado com cautela em portadores de dia- betes. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

Superdosagem

Não foram relatados eventos adversos sérios após a ingestão aguda de doses elevadas de produtos contendo estrogênios/progestagênios por crianças pequenas. A superdosagem pode causar náuseas e vômitos e sangramento por supressão pode ocorrer em mulheres. Não há antídoto específico e se houver necessidade de tratamento adicional, deve ser sintomático.

Características farmacológicas

FARMACOLÓGICAS

Estrogenon (estrógenos conjugados) é uma mistura de estrogênios obtidos de fontes exclusivamente naturais (urina de éguas prenhas).

FARMACOLOGIA CLÍNICA

Os estrogênios são importantes no desenvolvimento e manutenção do sistema reprodutor feminino e dos caracteres sexuais secundários. Promovem o crescimento e desenvolvimento da vagina, útero, trompas de Falópio e aumento das mamas. Indiretamente, contribuem na conformação da estrutura óssea, manutenção do tônus e da elasticidade das estruturas urogenitais, alterações nas epífises dos ossos longos, que acondicionam o pico de crescimento da puberdade até seu término, o crescimento de pêlos axilares e pubianos, e a pigmentação dos mamilos e genitais. A diminuição da atividade estrogênica no fim do ciclo menstrual pode ocasionar a menstruação, embora a interrupção da secreção de progesterona seja o fator mais importante no ciclo com ovulação. Entretanto, no ciclo pré-ovulatório ou anovulatório, o estrogênio é o determinante primário no início da menstruação. Os estrogênios também afetam a liberação de gonadotropinas hipofisárias.

Os efeitos farmacológicos dos estrogênios endógenos. Eles são hidrossolúveis e bem absorvidos pelo trato gastrintestinal. Nos tecidos-alvo (órgãos genitais femininos, mamas, hipotálamo, hipófise), os estrogênios penetram na célula e são transportados para dentro do núcleo. Como resultado da ação estrogênica, ocorre a síntese de RNA e proteínas específicas.

O metabolismo e a inativação ocorrem principalmente no fígado. Alguns estrogênios são excretados através da bile, entretanto, são reabsorvidos no intestino, retornando ao fígado através do sistema venoso porta.

Os estrógenos conjugados hidrossolúveis encontram-se em sua maioria ionizados nos líquidos corporais, o que favorece a eliminação através dos rins, uma vez que a reabsorção tubular é mínima.

Estrogenon Creme Vaginal tem demonstrado ser efetivo na reversão de alterações atróficas associadas à deficiência estrogênica.

Armazenagem

Estrogenon Creme Vaginal deve ser mantido em temperatura ambiente (temperatura entre 15°C e 30°C).

Conservar a bisnaga fechada depois de utilizar o medicamento.

– Instruções para uso do aplicador:

1.Retire a tampa da bisnaga e rosqueie o aplicador.

2.Aperte suavemente a base da bisnaga com os dedos, de maneira a forçar a entrada do creme no aplicador, até a marca da dose prescrita.

3.Retire o aplicador e feche a bisnaga.

4.Introduza cuidadosamente o aplicador na vagina, o mais profundamente possível, e empurre o êmbolo até esvaziar o aplicador.

– Para limpar:

1.Puxe o êmbolo, forçando suavemente, até retirá-lo do aplicador.

2.Lave as peças com sabão neutro e água morna (não usar água quente, nem fervê-lo).

3.Monte-o novamente depois de enxugar as peças.

Estrogenon Drágeas ? Uso oral. Conserve o medicamento em temperatura ambiente (25°C).

Dizeres legais

Conservar em temperatura ambiente (temperatura entre 15°C e 30°C).

Nº do Lote, Data de Fabricação e Validade: Vide Embalagem Externa.

Reg. MS. Nº 1.0714.0089

Farmacêutico Responsável

Dr. José Aurélio Q. Sarmento CRF-SP 42.204

Fabricado por:

Blisfarma indústria Farmacêutica ltda

Rua da Lua, 147 – Jardim Ruyce

Diadema – SP – CEP: 09981-480

C.N.P.J. 031.080.98/0001-93

Indústria Brasileira

Embalado por: 60609.0092

SANVAL Comércio e Indústria Ltda.

Rua Nicolau Alayon, 441 – Interlagos.

São Paulo – S.P. – CEP: 04802-000.

C.N.P.J. 61.068.755/0002-01 (Serviçode Atendimento)

Indústria Brasileira.

Estrogenon Creme Vag – Bula para o Paciente

AÇÃO ESPERADA DO MEDICAMENTO

Os estrógenos são hormônios que desenvolvem e mantém o aparelho reprodutor da mulher e as características sexuais. Eles promovem o desenvolvimento vaginal, crescimento dos pelos pubianos e a pigmentação dos mamilos e dos genitais.

Sua ação se faz sentir no terceiro dia de tratamento e se prolonga indefinidamente.

Caso ocorra gravidez durante ou após o tratamento, o médico deverá ser avisado.

O médico deverá ser notificado caso ocorram reações como: náuseas, vômitos, tonturas e enxaquecas.

Durante o tratamento a paciente deverá abster-se do uso de bebidas alcoólicas.

Pacientes cancerosas, especialmente com câncer mamário, deverão abster-se do uso do medicamento.

CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO

Conservar em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C). Proteger da luz e umidade.

PRAZO DE VALIDADE: Vide embalagem externa.

Ao comprar qualquer medicamento, verifique o prazo de validade.

Atenção: Não utilize medicamento com o prazo de validade vencido, pois além de não produzir os efeitos desejados, você estará prejudicando sua saúde.

Antes de utilizar o medicamento confira o nome do produto, gravado na embalagem, para não haver enganos. Verifique se o produto está lacrado e em boas condições de armazenamento.

GRAVIDEZ E LACTAÇÃO

Não é indicado o uso de estrógenos conjugados durante a gestação e lactação. Estrógenos conjugados são excretados no leite materno e os possíveis efeitos ao lactente ainda não são conhecidos.

?Esse medicamento causa malformação ao bebê durante a gravidez?.

?Informar ao médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término?. ?Informar ao médico se está amamentando.?


CUIDADOS DE ADMINISTRAÇÀO

Para obter o máximo de eficácia utilize o medicamento na dose correta e pelo período de tratamento estipulado pelo seu médico.

?Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.?

NTERRUPÇÃO DO TRATAMENTO

?Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.?

REAÇÕES ADVERSAS

Caso ocorra sangramento ou outras reações: náusea, cefaléia, perda de coordenação, dificuldade visual, fraqueza, aumento das mamas, aumento de peso, desconforto gastrintestinal, vermelhidão na pele, rash cutâ- neo, diarréia, alteração da libido, vômito, durante o tratamento, o médico deverá ser imediatamente notificado. Podem ocorrer reações desagradáveis tais como: tensão e secreção mamária, dor abdominal, amarelamento da pele, manchas da pele, alterações visuais, intolerância a lentes de contato, tonturas, vertigem, edema, enxaqueca, icterícia colestática, pancreatite.

?Informe seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.?

?TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.?

USO CONCOMITANTE COM OUTRAS SUBSTÂNCIAS

Não é recomendada a utilização simultânea de Estrogenon com: acetaminofeno, hormônios esteróides anabóli- cos, oxandrolona, oximetolona, estanozolol, hormônios andrógenos, anti-infectivos, agentes anti-tireoidianos, car- bamazepina, carmustina, cloroquina, dantroleno, daunorubicina, dissulfiram, divalproex, etretinato, sais de ouro, hidroxicloroquina, isoniazida, mercaptopurina, metildopa, naltrexona, contraceptivos orais que contenham estró- genos, fenotiazínicos, fenitoína, plicamicina, ácido valpróico, ciclosporina e inibidores de protease, acetato de medroxiprogesterona, fenobarbital, rifampicina, dexametasona, eritromicina e o cetoconazol, erva de São João.

CONTRAINDICAÇÕES E PRECAUÇÕES

Estrogenon é contraindicado a pacientes que apresentem hipersensibilidade a qualquer componente de sua formulação.

-Tanto a administração como a suspensão do tratamento somente deverá ser feita sob orientação médica.

-Como ocorre em todos os medicamentos contendo estrógenos combinados, o produto é contraindicadoquando houver presença ou suspeita de neoplasias estrógeno dependente. Os estrogênios são também contraindicados a pacientes que apresentem ou tenham antecedentes de tromboflebite ou perturbações trombo- embólicas, quando há sangramento vaginal não diagnosticado, endometriose, tumores fibrosos no útero, nas afecções hepáticas e renais graves, irritação ou infecção vaginal, alterações física vaginal (estenose, prolapso vaginal ou vagina estreita), certos tipos de câncer (mamário, ósseo, uterino, pois pode interferir no seu trata- mento) e disfunções relacionadas à coagulação sanguínea.

Estrogenon não deve ser utilizado durante a gravidez e a lactação.

?NÃO TOME REMÉDIO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO.

PODE SER PERIGOSO PARA SUA SAÚDE?.

Data da bula

12/12/2017

4Medic

4Medic

4Medic é uma empresa especializada em gestão de clinicas e consultórios médico. Que fornece diariamente notícias sobre a área de saúde em geral. As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. .Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.