Citab


Citab – Bula do remédio

Citab com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Citab têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Citab devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Eurofarma

Apresentação de Citab

Pó Liófilo inj.
cx. c/ 1 fr. ampola c/ 100 mg de citarabina + diluente de 5ml.

Citab – Indicações

Citarabina entra nos esquemas de terapia oncológica que são utilizados para indução e manutenção em pacientes com leucemia mielóide aguda, leucemia linfoblástica aguda, crise blástica da leucemia mielóide crônica e linfomas não-Hodgkin de malignidade elevada. Essas aplicações são tanto para adultos como para crianças, nas quais os resultados terapêuticos são geralmente melhores. Citab 100 mg pode ser usado por via intravenosa, intramuscular, subcutânea e por injeção intratecal, como também por infusão contínua. Para a preparação de uma solução para a infusão pode ser usada uma solução salina fisiológica (NaCl 0,9%) ou uma solução de glicose a 5%. Injeçõesintramusculares e subcutâneas geralmente são usadas somente na terapia de manutenção. A injeção intracutânea deve ser evitada devido ao risco de edema. A administração intratecal, lombar ou ventricular, pode ser realizada com a solução original sem modificações. É recomendado que 5 a 8 ml de líquido cerebrospinal sejam aspirados e misturados com a solução a ser injetada na seringa e reinjetados lentamente. Não é de se esperar toxicidade sistêmica usando essa via de administração.
A terapia com altas dose s de Citab é utilizada em pacientes com: leucemias nãolinfoblásticas
agudas resistentes; leucemias linfoblásticas agudas resistentes; crise blástica de leucemia mielóide crônica e leucemias de alto risco, tais como leucemias agudas como doença maligna secundária após tratamento quimioterápico e/ou radiação;
transformação de pré-leucemias; linfomas não-Hodgkin resistentes.

Contra-indicações de Citab

Pacientes com supressão da medula óssea induzida por medicamentos deverão ser excluídos da terapia com citarabina, a menos que o médico considere a mesma vital para o paciente. Em estudos experimentais a citarabina mostrou ser mutagênica.
Citarabina é embriotóxica e teratogênica em camundongos e ratos quando administrada nas primeiras fases da gestação. Consequentemente, Citab deverá ser utilizado na mulher grávida somente após cuidadosa consideração do risco potencial, e pacientes tanto do sexo masculino como do feminino devem ter o
Cuidado de evitar a gravidez durante terapia com Citab e por um período de 6 meses após o término da terapia. O uso de Citab em mães amamentando não é recomendado. Citab é contra-indicado a pacientes notoriamente hipersensíveis à citarabina.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Citab

Citab 100 mg: supressão da medula óssea, plaquetopenia, leucopenia, anemia, megaloblastose, imunossupressão, náusea e vômito, diarréia, inflamações oral e faríngea, febre, pneumonia, anorexia, disfunção hepática. Podem também ocorrer eritemas, tromboflebites e hemorragias. Na infusão contínua com alta dosagem (mais do que 200 mg/m2/dia) acima de 5 a 7 dias, os distúrbios gastrintestinais são mais marcantes, e em casos excepcionais podem levar ao íleo. Os distúrbios observados com a administração intratecal são equivalentes àqueles observados após punção lombar com fins diagnósticos.
Dependendo do número de infusões de citarabina em dose elevada, parecerá aplasia da medula óssea seguida por uma fase de pancitopenia. São observados freqüentemente os efeitos colaterais: náusea e vômito, diarréia, disfunção hepática, febre, alopecia, erupções e eritema, distúrbios oculares com queimação e dor ocular, lacrimejamento grave, fotofobia e visão apagada. O uso profilático de corticóide em gotas oftálmicas pode reduzir esses efeitos colaterais de maneira significativa. Efeitos colaterais
Menos freqüentes são: cefaléia, sonolência, disfunção cerebral e cerebelar (entres outros, por exemplo, ataxia e/ou confusão), mialgia e artralgia, disritmias leves e vasculites e inflamações das mucosas, hemorragias, septicemia, pneumonia e distúrbios respiratórios. Com Citab em dose elevada, especialmente em combinação com outros medicamentos quimioterápicos, tem sido relatado edema pulmonar não cardíaco. A síndrome de citarabina – a síndrome de citarabina tem sido descrita na literatura por castleberry.
É caracterizada por febre, mialgia, dor óssea, ocasionalmente dor toráxica, rash maculopapular, conjuntivite e mal-estar. Geralmente ocorre nas 6 a 12 horas seguintes à administração. Os corticóides tem se mostrado benéficos no tratamento e na prevenção desta síndrome.
Se os sintomas são considerados, assim como a continuação da terapia com Citab. Os efeitos colaterais são reversíveis após suspensão da terapia.

Citab – Posologia

Exceto as outras maneiras prescritas ou fixadas em regimes terapêuticos estabelecidos, Citab 100 mg é dosado como segue:
Terapia de indução nas leucemias agudas – 100 a 200 mg/m2/dia por injeção rápida dividida em 2 doses via intravenosa. A duração da terapia dependerá dos achados clínicos e morfológicos (medula óssea). O aparecimento de hipoplasia da medula óssea pode ser
considerado um limite de tolerância. Antes de repetir um ciclo de terapia, um período livre de tratamento de pelo menos 14 dias passará a recuperação da medula óssea. Ciclos para consolidação serão freqüentemente utilizados com duração reduzida da terapia.
Manutenção da remissão – 75 a 100 mg/m2/dia durante 5 dias consecutivos, 1 vez por mês.
Leucemias do sistema nervoso Central – 10 a 30 mg/m2/três vezes por semana por via intratecal.
Linfomas não Hodgking – são tratados com regimes de poliquimioterapia adequados.
Exceto as outras maneiras prescritas ou fixadas em regimes terapêutico.

Citab – Informações

Citarabina um agente antineoplásico para administração parenteral. Citab é citotóxico
em culturas de uma ampla variedade de células de mamíferos em fase de proliferação.
Isto se evidencia específica e principalmente pela morte das células em que está se
processando a síntese de DNA (fase S e, sob certas condições, bloqueando a progressão
das células da fase G1 para a fase S). Embora o mecanismo de ação não seja
completamente esclarecido, parece que a citarabina atua sempre inibindo a DNA
polimerase. Uma limitada, porém significativa, incorporação de citarabina ao DNA e ao
RNA tem sido também relatada. Citarabina tem produzido dano cromossômico extenso
e alterações em culturas de células de roedores. Dependendo da concentração,
deoxicitidina, o metabólito natural, pode inibir a atividade citotóxica. Resistência e
sensibilidade celular – citarabina é metabolizada por deoxicitidina quinase e outro
nucleotídeo quinase para nucleotídeo trifosfato, um eficaz inibidor de DNA polimerase;
este é inativado por um pirimidin nucleosídeo de aminase que o transforma em um derivado
uracil não-tóxico, que é completamente eliminado pela via renal.

4Medic

4Medic

4Medic é uma empresa especializada em gestão de clinicas e consultórios médico. Que fornece diariamente notícias sobre a área de saúde em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *