Vacina anti HIV aproxima-se de ensaio clínico após novas descobertas!

Uma vacina promissora que elimina um vírus semelhante ao HIV de macacos está mais próxima dos testes em humanos, depois que uma versão nova e enfraquecida da vacina anti HIV demonstrou fornecer proteção semelhante à sua versão original.

Testes da vacina anti HIV

Um par de artigos publicados em 17 de julho na revista Science Translational Medicine descreve como a vacina – que usa uma forma do citomegalovírus comum do vírus da herpes, ou CMV – foi atenuada ou enfraquecida para que a CMV não se espalhasse tão facilmente. A nova versão ainda conseguiu eliminar o SIV, a versão do HIV do macaco, em 59% dos macacos vacinados.

Esse resultado é semelhante aos achados anteriores envolvendo a versão original não atenuada da vacina. A imunidade gerada pela vacina atenuada também foi duradoura, pois nove dos 12 macacos vacinados ainda podiam combater a infecção pelo SIV três anos depois.

Ter uma versão atenuada da vacina é a chave para ser potencialmente capaz de usá-lo em seres humanos. Nenhuma vacina usa vírus vivos não atenuados devido a preocupações de segurança. Embora os seres humanos sejam frequentemente infectados com CMV sem nenhum problema, o vírus pode causar estragos em pessoas com sistemas imunológicos debilitados, como pessoas com transplantes de órgãos. Também é perigoso para mulheres grávidas, pois pode causar defeitos congênitos, como perda auditiva e microcefalia em bebês.

“Esta pesquisa, fornece informações potencialmente importantes sobre o projeto de uma vacina anti HIV baseada em CMV humano, nós atenuamos significativamente o CMV e ainda recebemos o mesmo tipo de resposta imunológica do que a versão selvagem desta vacina”, disse o Dr Klaus Früh, autor correspondente em um dos artigos.

“Esses artigos são importantes porque recapitulam a eficácia do vetor de CMV exclusivo relatado anteriormente com um vetor geneticamente modificado que é altamente atenuado e, portanto, potencialmente mais seguro para uso clínico”, além disso, este novo trabalho demonstra que a maioria dos macacos vacinados que são protegidos contra o SIV também pode ser protegida contra um segundo desafio após a vacinação inicial. Este é um nível de durabilidade que seria muito importante para uma vacina humana contra o HIV”, disse o Dr Louis Picker, um autor correspondente em ambos os trabalhos.

Vacina anti HIV aproxima-se de ensaio clínico após novas descobertas

Picker e Früh são professores do Instituto de Vacinas e Terapia Genética e membros do corpo docente do Departamento de Microbiologia Molecular e Imunologia da Escola de Medicina da Universidade do Oregon.

A plataforma de vacina CMV foi licenciada pela Vir Biotechnology Inc. de São Francisco, que planeja liderar um ensaio clínico com uma versão humana da vacina anti HIV baseada em CMV. Espera-se também que a mesma plataforma seja usada para vacinas que estão sendo desenvolvidas para combater a tuberculose.

4Medic

4Medic

4Medic é uma empresa especializada em gestão de clinicas e consultórios médico. Que fornece diariamente notícias sobre a área de saúde em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *