Risco de COVID-19 é maior em pacientes com demência

Pacientes com demência tinham um risco significativamente aumentado para COVID-19 e esse risco era ainda maior para afro-americanos com demência, mostrou uma análise retrospectiva dos dados do registro eletrônico de saúde dos EUA (EHR).

Depois de ajustar para idade, sexo, raça e fatores de risco da COVID-19, incluindo comorbidades e permanência em casa de repouso, pessoas com demência tiveram duas vezes mais risco de desenvolver COVID-19 do que outros adultos, de acordo com Rong Xu, PhD, da Case Western Reserve University School of Medicine em Cleveland, e coautores.

Entre as pessoas com demência, os pacientes afro-americanos tinham quase três vezes mais probabilidade de serem infectados com SARS-CoV-2 do que os pacientes brancos, relataram para o Alzheimer’s & Dementia.

O risco de mortalidade em 6 meses para pacientes com demência e COVID-19 foi de 20,99%. O risco de hospitalização foi de 59,26%.

“Nós identificamos os pacientes com demência como um grupo que é especialmente vulnerável a se infectar com o SARS-CoV2”, disse a coautora Pamela Davis, médica, PhD, também da Case Western Reserve University. “Uma vez infectados, esses pacientes são especialmente vulneráveis ​​a doenças graves e morte por COVID.”

“Ambas as vulnerabilidades ocorrem além dos fatores de risco conhecidos concomitantes para COVID, como vida em casa de repouso, idade avançada, hipertensão e diabetes”, disse Davis ao MedPage Today. “Os médicos devem estar atentos a esse risco aumentado e tomar todas as medidas adicionais que puderem para proteger essa população vulnerável, como vacinação, mascaramento e atenção cuidadosa ao mascaramento e distanciamento social dos cuidadores.”

As descobertas ilustram disparidades de saúde conhecidas que devem ser abordadas, disse Carl Hill, PhD, MPH, diretor de diversidade, equidade e inclusão da Associação de Alzheimer em Chicago, que não estava envolvida no estudo.

“Sabemos que os afro-americanos são desproporcionalmente afetados pela doença de Alzheimer e pelo COVID-19, e este artigo sugere que os afro-americanos com demência têm três vezes mais probabilidade de contrair COVID-19 do que seus homólogos brancos”, disse Hill ao MedPage Today. “Isso pode ser explicado pelo maior risco do afro-americano de comorbidades associadas à demência, como diabetes e hipertensão, que podem torná-los mais vulneráveis ​​a casos graves e sintomáticos de COVID-19”.

Características do estudo

Em sua análise, Xu e os coautores usaram dados EHR de 360 ​​hospitais e 317.000 provedores em todos os EUA, incorporando registros de 61,9 milhões de pacientes desde o início da pandemia em fevereiro até 21 de agosto de 2020.

No total, 1.064.960 pessoas tiveram demência, incluindo 351.590 pessoas com doença de Alzheimer, 172.630 com demência senil, 126.450 com demência pós-traumática, 117.860 com demência vascular e 31.960 com demência pré-senil.

De 15.770 pessoas com diagnóstico de COVID-19, 810 tinham demência. O risco mais alto foi para pacientes com demência vascular  seguido por demência presenil, demência senil, doença de Alzheimer e demência pós-traumática.

Entre as pessoas com COVID-19 e demência, o risco de hospitalização durante o período de estudo de 6 meses foi de 73,08% entre os pacientes afro-americanos e 53,85% entre os pacientes brancos. O risco de mortalidade para pessoas com COVID-19 e demência foi de 23,08% para afro-americanos e 19,23% para pacientes brancos.

No geral, o risco de mortalidade em 6 meses para pessoas com demência e COVID-19 (20,99%) foi maior do que para pessoas com COVID-19, mas sem demência, ou para pessoas com demência, mas não COVID-19.

Mais trabalho é necessário para entender o que leva ao risco elevado de COVID-19 em pacientes com demência, disse Davis. Os resultados têm várias limitações, observaram os pesquisadores: os dados de EHR podem estar sujeitos a subdiagnóstico, sobrediagnóstico ou diagnóstico incorreto.

O estudo tinha informações limitadas sobre os determinantes socioeconômicos e de estilo de vida e analisou apenas pessoas que tiveram contato com os sistemas de saúde, acrescentaram Xu e colegas. Os achados não são causais e fatores de confusão desconhecidos podem ter influenciado os resultados.

____________________________

O estudo original foi pulicado no Alzheimer’s & Dementia

* “COVID‐19 and dementia: Analyses of risk, disparity, and outcomes from electronic health records in the US” – 2021

Autores do estudo: QuanQiu Wang, Pamela B. Davis, Mark E. Gurney, Rong Xu – 10.1002/alz.12296

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.