Lupron Depot


Lupron Depot – Bula do remédio

Lupron Depot com posologia, indicações, efeitos colaterais, interações e outras informações. Todas as informações contidas na bula de Lupron Depot têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Lupron Depot devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.

Aviso importante

Todas as bulas constantes em nosso portal são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

A 4Medic não vende nenhum tipo de medicamento

Laboratório

Abbott

Referência

Leuprolida 22,5

Apresentação de Lupron Depot

Lupron Depot 22,5 MG: Cada caixa contém 1 fr.-ampola de dose única, c/ 22,5 mg de acetato de leuprolida em microesferas liofilizadas para administração intramuscular, 1 ampola de diluente, 1 seringa e 2 agulhas. Lista no M356.

Lupron Depot – Indicações

Lupron Depot® (acetato de leuprolida) 22,5 mg está indicado no tratamento
paliativo da neoplasia avançada da próstata, oferecendo uma alternativa ao
tratamento quando igualmente a orquiectomia ou estrogenoterapia não forem
indicadas ou aceitáveis para o paciente.
Nos estudos clínicos realizados, a segurança e eficácia do Lupron Depot®
(acetato de leuprolida) 22,5 mg em uso trimestral não diferem daquelas obtidas com
o uso diário da injeção subcutânea e das apresentações de suspensão em depósito
de uso mensal.

Contra-indicações de Lupron Depot

Lupron Depot 22,5 MG (acetato de leuprolida) é contra-indicado em pacientes com conhecida hipersensibilidade ao acetato de leuprolida ou a nonapeptídeos similares ou a qualquer um de seus excipientes. Reação anafilática ao GnRH sintético tem sido relatada na literatura médica. É também contra-indicado em mulheres grávidas ou que possam engravidar durante o tratamento.

Advertências

Gerais: Pacientes com lesões vertebrais metastáticas e/ou obstrução do trato
urinário devem ser observados atentamente nas primeiras semanas de tratamento.
Neoplasia de próstata: casos isolados de piora dos sinais e sintomas durante as
primeiras semanas de tratamento com acetato de leuprolida suspensão de depósito
foram relatados. Um pequeno número de pacientes pode relatar aumento
temporário na dor óssea. Assim como com outros agonistas do LH-RH, casos
isolados de obstrução uretral e compressão da medula espinal foram observados, o
que pode contribuir para paralisias, com ou sem complicações fatais. Nos pacientes
sob risco, deve-se iniciar a terapêutica com LUPRON® (acetato de leuprolida) –
apresentações para uso subcutâneo diário, nas primeiras duas semanas, para
facilitar a interrupção do tratamento, caso isso seja necessário.
Densidade mineral óssea: durante o tratamento podem ocorrer alterações da
densidade mineral óssea. A perda de massa óssea pode ser reversível após a
suspensão do tratamento com Lupron Depot? (acetato de leuprolida).
Exames laboratoriais: a resposta ao acetato de leuprolida deve ser monitorada
pela avaliação dos níveis plasmáticos de testosterona, assim como do antígeno
prostático específico. Na maioria dos pacientes, os níveis de testosterona se elevam
acima dos valores basais na primeira semana de tratamento, retornando a esses
valores ou abaixo deles no final da segunda semana. Níveis de castração são
alcançados dentro de 2 a 4 semanas e, uma vez obtidos, são mantidos pelo tempo
que o paciente utilizar o fármaco.
Carcinogênese, mutagênese, prejuízo da fertilidade, teratogênese: foi realizado
um estudo de carcinogenicidade de dois anos em ratos e camundongos. Em ratos,
foi notada uma incidência dose-relacionada de hiperplasia hipofisária e adenomas
hipofisários benignos, quando o medicamento foi administrado subcutaneamente
por 24 meses, em altas doses diárias (0,6 a 4 mg/kg). Houve um significante
aumento de adenomas de ilhotas pancreáticas nas fêmeas e de adenomas de
células intersticiais testiculares nos machos, mas sem relação com a dose
(incidência maior em grupos com baixas doses). Em camundongos não foi
observada qualquer anormalidade hipofisária em doses tão altas quanto 60 mg/kg,
por 2 anos. Pacientes foram tratados com leuprolida durante até 3 anos com doses
tão altas quanto 10 mg/dia e por 2 anos com doses tão altas quanto 20 mg/dia.
Sinais clínicos de anormalidade hipofisária não foram observados em quaisquer
desses pacientes.
Estudos de mutagenicidade foram realizados com acetato de leuprolida em
sistemas bacterianos e de mamíferos. Tais estudos não mostraram evidências de
um potencial mutagênico para esse fármaco.
Estudos clínicos e farmacológicos em adultos, com análogo similar ou com o
acetato de leuprolida, mostraram completa reversão da supressão da fertilidade
quando o medicamento foi interrompido após administração contínua por períodos
de até 24 semanas.

Uso na gravidez de Lupron Depot

a segurança do uso de acetato de leuprolida em mulheres
grávidas não foi estabelecida. Existe a possibilidade da ocorrência de um aborto
espontâneo se a medicação for administrada durante a gravidez (ver Contraindicações).
Se uma paciente engravidar durante o tratamento, a medicação
deverá ser descontinuada.
Lupron Depot? (acetato de leuprolida) não é um contraceptivo. Se a
contracepção for necessária, deve ser utilizado um método contraceptivo não
hormonal.
O uso de Lupron Depot? (acetato de leuprolida) é contra-indicado durante a
gravidez.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que
possam ficar grávidas durante o tratamento.
Lactação: desconhece-se se o acetato de leuprolida é excretado no leite humano.
Como vários medicamentos são excretados no leite humano, Lupron Depot?
(acetato de leuprolida) deve ser indicado com cautela a mulheres que estejam
amamentando.

Interações medicamentosas de Lupron Depot

Não foram realizados estudos específicos sobre interação do acetato de leuprolida
com outras substâncias. Entretanto, considerando que a leuprolida é um peptídeo
principalmente metabolizado pela peptidase e não pelas enzimas do citocromo
P450, conforme observado em estudos específicos, e que a substância é apenas
cerca de 46% ligada às proteínas plasmáticas, não são esperadas interações
medicamentosas.
Alterações em exames laboratoriais durante o tratamento
A administração de acetato de leuprolida em suspensão de depósito em mulheres
resulta na supressão do sistema hipofisário-gonadal. A função normal geralmente é
recuperada em até 3 meses após a descontinuação do tratamento. Portanto, os
exames de diagnóstico da função hipofisária gonadotrófica e gonadal realizados
durante o tratamento até 3 meses após a descontinuação do produto podem não ser conclusivos.

Reações adversas / Efeitos colaterais de Lupron Depot

Na maioria dos pacientes, os níveis de testosterona aumentaram acima dos valores basais durante a primeira semana, diminuindo depois disso aos níveis basais ou inferiores, no final da segunda semana de tratamento. Esse aumento transitório nos níveis hormonais foi ocasionalmente associado com uma piora temporária dos sinais e sintomas. Atenção especial deve ser dedicada aos pacientes com metástases vertebrais e/ou obstrução urinária ou hematúria, pois um potencial agravamento dos sinais e sintomas no início do tratamento pode acarretar problemas neurológicos, tais como fraqueza e/ou parestesia dos membros inferiores ou piora dos sintomas urinários. Em estudos clínicos, as seguintes reações adversas ocorreram em 5% ou mais dos pacientes que receberam Lupron Depot 22,5 MG (acetato de leuprolida) (foram reunidas as reações consideradas como possível ou provavelmente relacionadas com o uso da medicação): Geral: Astenia, dor generalizada, cefaléia, reação no local da injeção. Sistema cardiovascular: Fogachos*, sudorese*. Sistema gastrointestinal: Alterações gastrointestinais. Sistema musculoesquelético: Alterações articulares. Sistema nervoso central/periférico: Tonturas, vertigens, insônia, alterações do sono, alterações neuromusculares. Sistema respiratório: Alterações respiratórias. Sistema tegumentar: Reações da pele. Sistema urogenital: Atrofia testicular, alterações urinárias. Laboratório: Anormalidades de certos parâmetros laboratoriais foram observadas, embora sejam de difícil avaliação neste grupo de pacientes. Foram registrados aumento de uréia, hiperglicemia, hiperlipidemia (colesterol total, LDL-colesterol, triglicérides), hiperfosfatemia, testes anormais de função hepática, aumento do TP e TTP, diminuição de plaquetas, diminuição de potássio, aumento de glóbulos brancos. Nesses mesmos estudos, as seguintes reações adversas foram relatadas em menos de 5% dos pacientes (foram reunidas as reações consideradas como possível ou provavelmente relacionadas com o uso da medicação): Geral: Aumento abdominal, febre. Sistema cardiovascular: Hipertensão, hipotensão, arritmia, bradicardia, insuficiência cardíaca, varizes. Sistema gastrointestinal: Anorexia, úlcera duodenal, aumento do apetite, sede e boca seca. Sistema sangüíneo e linfático: Anemia, linfedema. Alterações metabólicas e nutricionais: Desidratação, edema. Sistema nervoso central/periférico: Ansiedade, desilusão, depressão, hiperestesia, diminuição da libido*, nervosismo, parestesia. Sistema respiratório: Epistaxes, faringites, derrame pleural, pneumonia. Órgãos dos sentidos: Visão anormal, ambliopia, olhos secos, tinnitus. Sistema urogenital: Ginecomastia*, impotência*, alterações penianas, alterações testiculares. Reações adversas adicionais foram relatadas em outros estudos clínicos e em registros de farmacovigilância pós-comercialização: Sistema cardiovascular: Hipotensão, alterações no ECG/isquemia, infarto do miocárdio, murmúrio, flebite/trombose, embolia pulmonar, episódio isquêmico transitório. Sistema gastrointestinal: Constipação, disfagia, distúrbios e sangramento gastrointestinais, disfunção hepática, úlcera péptica, pólipos retais. Sistema respiratório: Tosse, atrito pleural, fibrose pulmonar, infiltrado pulmonar, alterações respiratórias, congestão sinusal. Sistema endócrino: Sensibilidade ou dor no peito (mama), aumento da libido, aumento da tireóide. Sistema sangüíneo e linfático: Diminuição de glóbulos brancos. Sistema musculoesquelético: Sintomas similares aos de tenossinovite, espondilite anquilosante, dores articulares, fibrose pélvica. Sistema nervoso central/periférico: Neuropatia periférica, fraturas/paralisia espinhal, visão borrada, tontura, alterações auditivas e do paladar, letargia, desordens de memória, oscilações de humor, entorpecimento, síncope/perda de consciência. Sistema tegumentar: Exantema, urticária, reações de fotossensibilidade, carcinoma de pele/orelha, pele seca, equimoses, perda de cabelos, prurido, pigmentação e lesões de pele. Sistema urogenital: Dor prostática, espasmos de bexiga, incontinência, aumento de volume peniano, obstrução urinária, infecção do trato urinário. Laboratório: Aumento de cálcio e de ácido úrico, hipoproteinemia, aumento de uréia e de creatinina. Miscelânea: Reações no local da injeção, incluindo dor, inflamação, abscesso estéril, enduração e hematoma, hipoglicemia, depressão, infecção/inflamação, alterações oftalmológicas, tumorações (osso temporal) e casos isolados de anafilaxia (* Efeitos fisiológicos da diminuição da testosterona).

Lupron Depot – Posologia

Lupron Depot 22,5 MG (acetato de leuprolida) deve ser administrado sob supervisão do médico assistente. A posologia recomendada de Lupron Depot 22,5 MG (acetato de leuprolida) é de uma injeção a cada 3 meses pelo tempo determinado pelo médico. Devido às diferentes características de liberação, o fracionamento da apresentação de Lupron Depot 22,5 MG (acetato de leuprolida) não é equivalente para as mesmas doses das apresentações de Lupron Depot 3,75 mg e Lupron Depot 7,5 mg e, portanto, não deve ser realizado. Lupron Depot 22,5 MG (acetato de leuprolida) é apresentado em microesferas liofilizadas, devendo ser previamente reconstituído por meio de adição de diluente, para administração a cada 3 meses através de dose única intramuscular. As recomendações para a reconstituição de Lupron Depot 22,5 MG (acetato de leuprolida) são as seguintes: 1. Usando a seringa com uma das agulhas calibre 22, retirar 1,5 ml de diluente da ampola (qualquer quantidade remanescente de diluente deve ser desprezada). 2. Após retirar a tampa externa de proteção do frasco, injetar o diluente dentro do mesmo. 3. Agitar bem o frasco até a obtenção de uma suspensão uniforme. A suspensão pode ter uma aparência leitosa. 4. Imediatamente após a reconstituição, retirar o conteúdo total do frasco através das mesmas seringa e agulha. Fazer a assepsia do local da injeção e injetar o medicamento por via intramuscular, utilizando a segunda agulha incluída na embalagem. Embora a potência da suspensão reconstituída de Lupron Depot 22,5 MG (acetato de leuprolida) tenha mostrado ser estável por 24 horas, deve ser descartada se não for usada imediatamente, visto que o produto não contém preservativos. Seguindo a mesma orientação para outras drogas administradas por injeção, os locais de aplicação devem ser variados periodicamente.

Características farmacológicas

Descrição:
O acetato de leuprolida, substância ativa do medicamento Lupron Depot®
(acetato de leuprolida) 22,5 mg, é um nonapeptídeo sintético análogo do hormônio
liberador da gonadotrofina natural (GnRH ou LH-RH). Possui maior potência que o
hormônio natural, atua como um inibidor da produção de gonadotrofina e é
quimicamente distinto dos esteróides. O acetato de leuprolida em LUPRON
DEPOT® (acetato de leuprolida) 22,5 mg é apresentado como microesferas
liofilizadas estéreis que, quando misturadas com o diluente, tornam-se uma
suspensão para uso intramuscular a cada 3 meses. O acetato de leuprolida não é
ativo quando administrado por via oral.
Farmacodinâmica:
O acetato de leuprolida – um agonista Gn-RH – age como um potente inibidor da
secreção de gonadotrofina, quando administrado continuamente e em doses
terapêuticas. Os estudos em animais e em humanos indicam que, seguindo-se a
uma estimulação inicial, a administração crônica de acetato de leuprolida resulta em
suspensão da esteroidogênese ovariana e testicular. Esse efeito é reversível com a
descontinuação da terapêutica.
A administração de acetato de leuprolida resultou na inibição de crescimento de
tumores hormônio-dependentes (tumores prostáticos em ratos machos das espécies
Noble e Dunning e tumores mamários DMBA-induzidos em ratas), assim como em
atrofia de órgãos reprodutivos.
Em humanos, a administração de acetato de leuprolida resulta num aumento inicial
dos níveis circulantes do hormônio luteinizante (LH) e do hormônio folículoestimulante
(FSH), conduzindo a um transitório aumento dos níveis dos esteróides
gonadais (testosterona e diidrotestosterona em homens; e estrona e estradiol em
mulheres na pré-menopausa).
Contudo, a administração contínua do acetato de leuprolida, nas doses
recomendadas, resulta em diminuição dos níveis de LH, FSH e esteróides sexuais.
Em homens, a testosterona é reduzida aos níveis de castração. Em mulheres na
pré-menopausa, os estrógenos são reduzidos aos níveis pós-menopausa. A
redução dos níveis desses hormônios ocorre dentro de um mês após o início do
tratamento.
Farmacocinética:
Absorção: nível sérico máximo de 48,9 ng/mL foi observado 4 horas após uma
única injeção da apresentação de Lupron Depot® (acetato de leuprolida) 22,5
mg. Este nível declinou para 0,67 ng/mL em 12 semanas. A taxa de liberação do
acetato de leuprolida estabiliza-se durante as 3 primeiras semanas, mantendo
estável a sua concentração sérica por 12 semanas. Níveis de leuprolida foram
verificados nas medições realizadas em todos os pacientes. O pico inicial é seguido
de um declínio até atingir o estado de equilíbrio, similarmente à liberação verificada
na formulação de administração mensal.
Distribuição: o volume de distribuição da leuprolida, no estado de equilíbrio, após
administração intravenosa, em bolus, em voluntários sadios do sexo masculino foi
de 27 litros. A ligação às proteínas plasmáticas humanas in vitro variou de 43% a
49%.
Metabolismo: em voluntários sadios do sexo masculino, uma injeção em bolus de 1
mg de leuprolida por via intravenosa, revelou que a depuração sistêmica média foi
de 7,6 L/h, com meia-vida de eliminação final de aproximadamente três horas, com
base em um modelo de dois compartimentos.
Estudos em animais mostraram que a leuprolida marcada com C14 foi metabolizada
em peptídeos menores inativos, um pentapeptídeo (Metabólito I), tripeptídeos
(Metabólitos II e III) e um dipeptídeo (Metabólito IV). Esses fragmentos podem ser
metabolizados posteriormente.
As concentrações plasmáticas do principal metabólito (M-I) avaliadas em cinco
pacientes com câncer de próstata que receberam acetato de leuprolida em
suspensão de depósito (Lupron Depot?), atingiram a concentração máxima em
duas a seis horas depois da administração e foram aproximadamente 6% da
concentração de pico da substância-mãe. Uma semana depois da administração, as
concentrações plasmáticas médias de M-I foram aproximadamente 20% das
concentrações médias da leuprolida.
Eliminação: após a administração de 3,75 mg do acetato de leuprolida em
suspensão de depósito a três pacientes, menos de 5% da dose administrada foi
recuperada sob a forma de substância-mãe e metabólito M-I na urina em 27 dias.
Populações especiais: a farmacocinética do acetato de leuprolida não foi
determinada em pacientes com insuficiência hepática ou insuficiência renal.
O crescimento e a função da próstata são dependentes de hormônio masculino, a
testosterona. A obtenção de um estado de privação androgênica é o objetivo
primordial do tratamento da neoplasia avançada da próstata. Em homens, a administração contínua do acetato de leuprolida resulta na diminuição da testosterona para níveis pré-puberais ou similares àqueles obtidos com a castração cirúrgica.

Resultados de eficácia

O acetato de leuprolida, substância ativa do medicamento Lupron Depot?
(acetato de leuprolida), é um hormônio sintético que age diminuindo a produção do
hormônio gonadotrofina pelo corpo. Essa diminuição bloqueia a produção hormonal
dos ovários e dos testículos. Esse bloqueio deixa de existir se o medicamento for
descontinuado. O uso do acetato de leuprolida impede o desenvolvimento de alguns
tumores dependentes de hormônios, como, por exemplo, alguns tipos de tumores de
próstata.

Modo de usar

1. Usando a seringa com uma das agulhas calibre 22, retirar 1,5 mL
de diluente de ampola (qualquer quantidade que sobrar do diluente deve ser jogada fora).
2. Após retirar a tampa externa de proteção do frasco, injetar o
diluente dentro do mesmo, usando técnica asséptica.
3. Agitar bem o frasco até que o pó e o diluente formem um líquido
uniforme, que pode ter uma aparência leitosa.
4. Imediatamente após a reconstituição da suspensão,
retirar o conteúdo total do frasco através das mesmas seringa e
agulha. Limpar o local da pele onde vai ser feita a injeção, com
algodão umedecido com álcool.
Trocar a agulha (usar a segunda agulha incluída na embalagem),
introduzir através da pele e injetar o medicamento por via;
intramuscular. Após injetar o medicamento, retirar a agulha e
usar novamente outro algodão com álcool e passar
suavemente sobre o local onde foi feita a injeção.Usar
Usar cada seringa somente uma vez. Cuidado ao descartá-la. As agulhas jogadas
sem proteção no lixo podem ferir acidentalmente as pessoas. Nunca deixe seringas,
agulhas ou medicamentos ao alcance das crianças.

Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

Uso em idosos: não há recomendações especiais para esta faixa etária.
Uso em crianças e lactentes: Não há justificativa, pelos conhecimentos atuais,
para uso desta apresentação em crianças e lactentes.

Armazenagem

Lupron Depot? (acetato de leuprolida) 22,5 mg e sua respectiva ampola diluente
devem ser armazenados em temperatura ambiente (15-30ºC) e protegidos da luz.
Não congelar. Manter o produto na embalagem até seu uso.
Se armazenado nas condições indicadas, este medicamento se manterá próprio
para consumo pelo prazo de validade de 24 meses, a partir da data de fabricação
impressa na embalagem externa.

Lupron Depot – Informações

O medicamento começa a fazer efeito dentro de 2 a 4 semanas.
INDICAÇÕES DO MEDICAMENTO
Lupron Depot? (acetato de leuprolida) é indicado para câncer de próstata (em
estágio avançado).
RISCOS DO MEDICAMENTO
Contra-indicações:
Este medicamento é contra-indicado a crianças e adolescentes.
Lupron Depot? (acetato de leuprolida) não deve ser usado por pessoas que
tenham alergia ao acetato de leuprolida, ou a outros medicamentos parecidos ou a
qualquer outro componente do medicamento.
Lupron Depot? (acetato de leuprolida) não deve ser usado por mulheres
grávidas ou que possam engravidar durante o tratamento.
Lupron Depot? (acetato de leuprolida) não deve ser usado por mulheres com
sangramento vaginal de causa desconhecida.
Advertências e precauções:
Câncer de próstata: pessoas nas quais o tumor atingiu os ossos da coluna
(vértebras) e/ou que não conseguem urinar devido à obstrução pelo tumor, devem
ficar mais atentas nas primeiras semanas do tratamento e avisar o médico o mais
rápido possível, se perceberem piora ou surgimento de alguma outra reação
desagradável. Algumas pessoas podem sentir piora dos sintomas durante as
primeiras semanas de tratamento.
Perda óssea: durante o tratamento com Lupron Depot® (acetato de leuprolida),
pode ocorrer perda da massa óssea, que é reversível com a descontinuação do
medicamento.
Lupron Depot? (acetato de leuprolida) 22,5 mg não vai ter ação se tomado por
via oral. Lupron Depot ? (acetato de leuprolida) 22,5 mg deve ser administrado
por via intramuscular.
Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco:
Uso em idosos: não há recomendações especiais para esta faixa etária.
Uso na gravidez: este medicamento é contra-indicado a mulheres grávidas ou que
possam engravidar durante o tratamento.
Uso em crianças e bebês: não há justificativa, pelos conhecimentos atuais, para uso
deste medicamento em crianças e bebês.
Amamentação: não se sabe se o Lupron Depot? (acetato de leuprolida) 22,5 mg
passa para o leite materno, mas como vários medicamentos passam pelo leite
materno, Lupron Depot? (acetato de leuprolida) 22,5 mg deve ser indicado com
cuidado a mulheres que estejam amamentando.
Interações medicamentosas, alimentares e com testes laboratoriais:
Não foram realizados estudos, no entanto, não são esperadas reações com outros
medicamentos ou com alimentos.
Os exames que medem a quantidade dos hormônios no sangue das mulheres
somente voltam ao normal depois de 3 meses da descontinuação do medicamento.
Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações
indesejáveis.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de
algum outro medicamento.
Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso
para a sua saúde.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se ocorrer gravidez ou iniciar
amamentação durante o uso deste medicamento.
O medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam
ficar grávidas durante o tratamento.
POSOLOGIA
Lupron Depot® (acetato de leuprolida) 22,5 mg deve ser administrado sob
supervisão do médico, uma vez a cada 3 meses, através de dose única
intramuscular.
Lupron Depot® (acetato de leuprolida) 22,5 mg está indicado no tratamento do
câncer de próstata em estágio avançado pelo tempo determinado pelo médico.
O que devo fazer se esquecer de tomar uma dose do medicamento?
Se a pessoa esquecer de aplicar o Lupron Depot? (acetato de leuprolida) 22,5
mg não vai sentir efeitos desagradáveis. No entanto, o médico deve ser avisado o
mais rápido possível, pois a falta do medicamento pode atrapalhar o seu efeito
sobre a doença.
Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e
a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar
observe o aspecto do medicamento.
REAÇÕES ADVERSAS
As reações desagradáveis mais freqüentes são:
Piora dos sintomas da doença durante a primeira semana de tratamento;
Pessoas nos quais o tumor atingiu os ossos da coluna (vértebras) e/ou que não
conseguem urinar devido à obstrução pelo tumor: fraqueza e/ou perda da
sensibilidade dos membros inferiores ou piora dos sintomas urinários;
Fraqueza, dor generalizada, dor de cabeça, reação no local da injeção;
Ondas de calor, aumento da transpiração;
Alterações gastrintestinais (estômago e intestino);
Problemas nas articulações;
Tontura, vertigem, insônia, alterações do sono, alterações neuromusculares;
Alterações respiratórias;
Reações da pele;
Atrofia do testículo, alterações urinárias;
Alterações em exames laboratoriais.
CONDUTA EM CASO DE SUPERDOSAGEM
Em casos de superdosagem, isto é, se a pessoa usar grande quantidade desse
medicamento, deverá procurar socorro médico o mais rápido possível para ficar em
observação cuidadosa e ser tratada para melhorar os sintomas (falta de ar,
desânimo, irritação no local onde foi aplicada a injeção).

4Medic

4Medic

As informações publicadas no site são elaboradas por redatores terceirizados não profissionais da saúde. Este site se compromete a publicar informações de fontes segura. Todos os artigos são baseados em artigos científicos, devidamente embasados.